Barra Cofina

Correio da Manhã

Exclusivos

Diplomata morde GNR para não ser revistada no aeroporto

Sul-africana alegou ter sido vítima de racismo.
Miguel Curado e Sérgio A. Vitorino 31 de Outubro de 2018 às 01:30
A carregar o vídeo ...
11 - Diplomata morde GNR para não ser revistada no aeroporto
Uma diplomata sul-africana de 60 anos, colocada na embaixada deste país em Lisboa, atacou à dentada um cabo da GNR, colocado no posto fiscal do Aeroporto Humberto Delgado, quando o militar lhe tentava revistar a bagagem.

A vítima sofreu ferimentos que a levaram ao hospital – e a agressora foi sujeita a termo de identidade e residência e logo libertada face ao seu estatuto diplomático.

O crime ocorreu na segunda-feira de manhã. A diplomata chegou a Lisboa num voo proveniente do país de origem. À espera estavam inspetores alfandegários, que a escolheram, aleatoriamente, para uma revista à bagagem.

A sul-africana, no entanto, reagiu mal à abordagem. Terá alegado racismo por parte dos inspetores alfandegários, sendo, com dificuldade, encaminhada para o posto fiscal da GNR do aeroporto.

Chegada a este local, a mulher invocou o seu estatuto de diplomata para, mais uma vez, recusar que as bagagens lhe fossem revistadas.

O CM sabe no entanto, que essa recusa só deve ser aceite em caso de transporte de correio diplomático. E foi então que, quando um cabo do posto fiscal da GNR se preparava para lhe abrir uma das malas, foi atacado com violência à dentada.

Fonte oficial desta força de segurança confirmou que o militar sofreu ferimentos na cara, num braço e numa mão, e foi mesmo levado pelo INEM às Urgências do Hospital de Santa Maria. Teve alta, com ordem para regressar ao trabalho.

Na revista, os militares encontraram várias bugigangas na bagagem que obrigariam a sul-africana a ter pago, na origem do voo, uma taxa aduaneira que não liquidou.

Contactado o Ministério Público, a diplomata foi sujeita a termo de identidade e residência e libertada ao abrigo da imunidade que a lei lhe confere. A embaixada sul-africana foi contactada pelo CM mas não reagiu em tempo útil.

SAIBA MAIS
26,670
Milhões foi o número de passageiros que passaram pelo Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, em 2017. Um número recorde, sendo mais 18,8% do que no ano anterior, um crescimento de mais 4 milhões de passageiros em relação a 2016.

Mais de 600 queixas
No ano passado, 611 passageiros fizeram queixa no aeroporto de Lisboa, um aumento de 12,4 por cento em relação ao número de denúncias em 2016, num total de 535. A maioria das queixas prendeu-se com atrasos ou cancelamentos dos voos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)