Barra Cofina

Correio da Manhã

Exclusivos
6

Estudante abusada por violador mata-se

Uma das vítimas do ‘violador em série’, como era conhecido o predador sexual que atacou na Lousã até ser preso pela PJ, suicidou-se ontem, em Coimbra, atirando-se do 6º andar do prédio onde morava. "Completamente desfeita", a adolescente nunca conseguiu recuperar do trauma, recorda o advogado que a representou em tribunal, Albano Dias Ferreira.
17 de Novembro de 2009 às 22:00
Joana atirou-se do 6.º andar do prédio onde morava em Coimbra. Não resistiu ao trauma que sofreu
Joana atirou-se do 6.º andar do prédio onde morava em Coimbra. Não resistiu ao trauma que sofreu FOTO: Ricardo Almeida

Joana tinha 16 anos quando, em 2008, foi atacada e vítima de tentativa de violação e coacção sexual. Desde aí 'entrou numa depressão profunda de que não conseguiu sair', diz o advogado, lembrando que durante o julgamento, em que a acompanhou de perto, confirmou que vivia momentos 'dramáticos'. Já nessa altura tentara o suicídio.

O sofrimento de Joana era de tal forma evidente que o Tribunal da Lousã, onde o agressor foi julgado, a autorizou a prestar depoimento acompanhada da psicóloga.

Segundo Albano Dias Ferreira, o colectivo de juízes 'constatou que era uma miúda sem qualquer experiência sexual anterior e que sofreu enormidades com a situação'. Por isso condenou o arguido a pagar-lhe um indemnização de 50 mil euros, 'quantia pouco habitual num caso destes'.

POPULAÇÃO VIVEU UM ANO EM PÂNICO

Durante um ano, a população da Lousã viveu em pânico, com medo do homem que ficou conhecido como ‘violador em série’, nome dado por a PJ recear que continuasse a cometer os crimes se não fosse apanhado. Foi detido em finais de Maio de 2008 e julgado já este ano, tendo sido condenado a seis anos de prisão por um crime de coacção sexual e dois de tentativa de violação. No caso mais grave, o tribunal não conseguiu provar que o arguido tivesse consumado a violação de uma adolescente de 16 anos, pelo que o condenou por coacção sexual e ao pagamento de indemnização de 51 mil euros. Foi condenado a pagar a uma das outras duas vítimas, de 17 e 18 anos, cinco mil euros. Com 22 anos, agricultor mas sem ocupação, residia na Lousã e actuava entre a meia-noite e as 03h00, no centro da vila.

VÍTIMAS DE ABUSO SEXUAL COM TENDÊNCIAS SUICÍDIAS

Os abusos sexuais são um dos factores que fazem aumentar as tendências autodestrutivas e suicidas entre os jovens – como terá acontecido com a estudante da Lousã –, segundo revelam estudos internacionais. Num deles, realizado na Carolina do Sul (EUA), sob coordenação do pediatra William T. Basco, concluiu-se que entre 75% dos inquiridos que pensaram ou tentaram o suicídio, 11% declararam ter sido vítimas de abuso sexual. O estudo, que envolveu 2875 estudantes universitários, revelou também que 24 % dos suicidas disseram ter sofrido abusos emocionais e 6,3% físicos. Por outro lado, apenas 25% dos alunos revelaram nunca ter apresentado um comportamento autodestrutivo, pensado ou tentado o suicídio.

PORMENORES

ALUNA DE ENFERMAGEM

Joana era aluna do 1.º ano da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra que, segundo o professor José Carlos Santos, se disponibilizou para apoiar a família e acompanhar os colegas da vítima, que estão em choque com a situação.

DESPEDIDA

Os Bombeiros Sapadores de Coimbra receberam o alerta às 01h16 de ontem. Joana vivia num quarto arrendado no 6.º andar de um prédio da rua Carlos Seixas. Antes da morte, despediu-se dos proprietários do apartamento.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)