Barra Cofina

Correio da Manhã

Exclusivos
4

Famílias pedem ajuda ao Estado (ACTUALIZADA)

As famílias estão a recorrer cada vez mais ao apoio do Estado para pagar as prestações do Crédito à Habitação: desde Maio passado, altura em que entrou em vigor a linha de crédito específica para ajudar os desempregados a fazer face aos seus compromissos com o empréstimo da casa, já foram apresentados aos bancos 1431 pedidos de ajuda, número que representa um aumento de 83 por cento face aos 782 pedidos registados até ao final de Agosto.
25 de Outubro de 2009 às 22:00
O aumento de pedidos de ajuda acaba por confirmar as crescentes dificuldades financeiras das famílias
O aumento de pedidos de ajuda acaba por confirmar as crescentes dificuldades financeiras das famílias FOTO: Sérgio Lemos

Os dados do Ministério das Finanças deixam claro que, em 16 de Maio, do total de pedidos de ajuda até aí apresentados por famílias com pelo menos um membro no desemprego, 887 já tinham sido aprovados pelos bancos e 243 estavam em análise. Em contrapartida, 146 solicitações de ajuda foram recusadas pela Banca.

O aumento do número de pedidos de ajuda acaba por confirmar as crescentes dificuldades financeiras de muitas famílias, graças ao aumento do desemprego, e ajuda a perceber também a crescente subida do crédito malparado no Crédito à Habitação. Só o incumprimento dos empréstimos à habitação atingiu em Agosto, segundo os dados divulgados esta semana pelo Banco de Portugal, 1,83 mil milhões de euros, uma subida de quase 24 por cento face ao mês anterior.

Como o desemprego afecta mais de 500 mil pessoas e mantém uma tendência ascendente pelo menos até ao final de 2010, apesar da recuperação da economia, tudo indica que o número de pedidos de ajuda possa disparar até ao final do ano. Ao aprovarem os pedidos de ajuda das famílias, os bancos permitem que o Estado assuma o pagamento de metade da prestação mensal do Crédito à Habitação, até ao montante máximo de 500 euros, das famílias a quem emprestaram dinheiro para a compra de casa. O apoio do Estado tem a duração de dois anos.

As famílias apoiadas poderão devolver o dinheiro pago pelo Estado durante todo o período do contrato do Crédito à Habitação. O decreto-lei 104, de 12 de Maio deste ano, não impõe qualquer limite de rendimentos familiares para aceder a esta ajuda do Estado.

SAIBA MAIS

PEDIDO DE AJUDA

As famílias devem apresentar aos bancos o pedido de ajuda financeira do Estado.

500

euros é o valor mensal máximo da ajuda do Estado: de 50 por cento da prestação mensal.

1,83

mil milhões de euros é o total do crédito malparado nos empréstimos da casa.

PEDIDOS SÓ SERÃO ACEITES ATÉ FINAL DESTE ANO

As famílias com dificuldades a pagar o empréstimo da casa, por terem pelo menos um membro no desemprego, têm até 31 de Dezembro deste ano para fazer aos bancos o pedido de ajuda do Estado.

Para poderem fazer o pedido, essas famílias têm de ter um membro familiar desempregado inscrito nos centros de emprego, no mínimo, há três meses. E esta condição aplica-se a quem exerceu funções por conta de outrem ou por conta própria. Apenas são abrangidos os contratos celebrados até 19 de Março deste ano.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)