Barra Cofina

Correio da Manhã

Exclusivos
3

Investigada seringa no apartamento

Os gémeos Sean e Amélie nunca acordaram na confusão da noite do crime, antes e depois de a irmã ser levada do apartamento, mas Gerry McCann garante que é normal e diz que os filhos costumam dormir sem interrupções. Só que a Judiciária encontrou uma seringa com tranquilizantes na cómoda do quarto do casal de médicos, adianta ao CM fonte ligada à investigação – e também isso está a ser levado em conta pelos inspectores.
29 de Agosto de 2007 às 13:01
Judiciária encontrou tranquilizantes no quarto e investiga o porquê de as crianças não terem acordado
Judiciária encontrou tranquilizantes no quarto e investiga o porquê de as crianças não terem acordado FOTO: Reuters
O pai tem-se mostrado bastante irritado acerca da investigação ao desaparecimento de Madeleine, a filha de quatro anos que foi levada do apartamento onde passavam férias na Praia da Luz, em 3 de Maio. Explodiu mal os jornalistas o confrontaram com o sangue encontrado nas paredes e arrancou o microfone, deixando a mulher sozinha em frente às câmaras, na entrevista para um programa do canal espanhol Telecinco, exibida no sábado à noite.
Gerry não comenta o facto de ter sido o último a ver a filha com vida, quando a terá ido visitar ao quarto pelas 21h00 – mas tanto ele como a mulher acham “normal” que os dois filhos gémeos tenham continuado a dormir na noite do crime. “É muito difícil para nós toda esta especulação, mas certo é que os nossos filhos estavam muito cansados, são muito pequenos e não conseguimos saber se eles ouviram alguma coisa...”.
“Por hábito deitamo-los entre as 19h00 e as 20h00 e dormem toda a noite sem interrupções. É uma rotina que seguimos no Reino Unido e que mantemos aqui”, justificou o pai das crianças, afastando assim a hipótese de os gémeos, de dois anos, terem sido adormecidos com os tranquilizantes injectáveis que os inspectores foram encontrar numa cómoda do quarto dos pais.
CRÍTICAS E NERVOSISMO
Numa altura em que a equipa da Judiciária começa a apertar o cerco e a investigação avança “cada vez mais em círculo”, reconheceu ao CM um dos inspectores, Gerry lança críticas à PJ. “Queremos chegar ao fundo das coisas e encontrar a Madeleine, mas, obviamente, não há sinais de qualquer avanço – a polícia portuguesa faz as coisas de uma forma muito, muito discreta para que as pessoas não saibam e isso também é difícil para nós”, diz o pai.
O médico, que deixou de ser chamado para reuniões semanais com a PJ enquanto o resultado das análises não chega de Inglaterra (ver caixa), diz ainda que “a forma como a investigação está a ser tratada é muito diferente do Reino Unido, onde a polícia gosta de dar informações...”.
MURAT ANSIOSO POR SER ILIBADO
Robert Murat, único arguido constituído no âmbito da investigação ao desaparecimento de Madeleine, está à espera que seja revisto o seu estatuto processual. As buscas feitas a 4 e 5 de Agosto na sua residência, próxima do Ocean Club e a viaturas do seu círculo familiar e de amizades, dois dias depois, terão sido determinantes para afastar a suspeita por falta de provas. “Na próxima semana vou reunir com o senhor Robert e vamos decidir o que fazer”, disse ao CM o seu advogado, Francisco Pagarete. Caberá ao Ministério Público decidir a eventual revogação do estatuto de arguido, mas para isso serão necessários os resultados das análises aos vestígios enviados para Birmingham. Murat pode também solicitar a revisão, mas o mais provável será esperar.
PORMENORES
ANÁLISES ATRASADAS
O laboratório do Forensic Science Service em Birmingham, para onde a PJ enviou os vestígios encontrados em vários carros e no apartamento dos McCann, continua sem enviar resultados. Entre os vestígios estão amostras de sangue e a PJ tem urgência para avançar com os interrogatórios.
ACONSELHADO A FICAR
Gerry McCann disse, em visita à Escócia, pensar voltar já ao Reino Unido para voltar a exercer medicina. Mas, segundo o ‘Daily Express’, os inspectores estão tão confiantes em resultados que disseram ao casal para não deixar Portugal.
CAMPANHA ABRANDA
O ‘Daily Express’ e a ‘Sky News’ deram ontem eco a uma fonte, segundo a qual o governo inglês terá aconselhado os pais de Maddie a abrandarem a campanha. “Foram avisados de que estarão a ir longe demais”.
SAIBA MAIS
1.500.000
O fundo de solidariedade para ajudar a encontrar Madeleine atingiu nos últimos dias um milhão e meio de euros. Mantêm-se as recompensas milionárias para quem der à polícia informações sobre a criança.
22
São os dias que a Direcção Central de Combate ao Banditismo da PJ já espera, em Portimão, que os resultados das análises cheguem.
TÉCNINA UTILIZADA
Low Copy Number é técnica do laboratório de Birmingham na análise dos vestígios biológicos recolhidos no apartamento em que estiveram os McCann e nos carros usados pelos amigos ingleses.
GENÉTICA
A técnica LCN permite fazer a identificação genética a partir de vestígios na cena de um crime em quantidades infinitamente pequenas: células de sangue e outras amostras.
ESPERANÇA
Os pais de Maddie, segundo a imprensa inglesa, vão concedendo entrevistas à televisão e jornais espanhóis na esperança de que a filha esteja viva e em Espanha.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)