Barra Cofina

Correio da Manhã

Exclusivos

Juntos nos últimos minutos

Pais do cantor assistiram a todos os momentos através de um vidro. Dois psicólogos acompanham casal. Óbito declarado às 23h40.
29 de Junho de 2011 às 00:30
Angélico Vieira morreu aos 28 anos.
Angélico estreou-se na TV em 2004, na série 'Morangos com Açúcar', como David da banda D'ZRT
O cantor era presença assídua em programas da TVi e foi seu a canção oficial do programa de recorde de audiências 'Casa dos Segredos'
Como 'rei' em carnavais levou atrás de si uma legião de fãs
A moda era também uma das suas paixões. A primeira agência de modelos de Angélico foi a DXL Models
Na temporada de Verão de 'Morangos com Açúcar' contracenou com Joana Duarte, Daniel Cardoso, Ana Rita Tristão e Diana Chaves
O sucesso da banda 'saltou' do ecrã para os palcos e os concertos pelo País multiplicaram-se
Após o final anunciado dos D'ZRT, Angélico lançou-se a solo e o sucesso continuou
Milhares de pessoas esperaram no exterior do Instituto de Medicina Legal do Porto para prestarem uma última homenagem a Angélico Vieira
A relação de cinco anos com a actriz Rita Pereira tornou-os num dos casais mais acarinhados pelo público
O seu corpo delineado fez suspirar muitos corações de jovens fãs
Angélico Vieira morreu aos 28 anos.
Angélico estreou-se na TV em 2004, na série 'Morangos com Açúcar', como David da banda D'ZRT
O cantor era presença assídua em programas da TVi e foi seu a canção oficial do programa de recorde de audiências 'Casa dos Segredos'
Como 'rei' em carnavais levou atrás de si uma legião de fãs
A moda era também uma das suas paixões. A primeira agência de modelos de Angélico foi a DXL Models
Na temporada de Verão de 'Morangos com Açúcar' contracenou com Joana Duarte, Daniel Cardoso, Ana Rita Tristão e Diana Chaves
O sucesso da banda 'saltou' do ecrã para os palcos e os concertos pelo País multiplicaram-se
Após o final anunciado dos D'ZRT, Angélico lançou-se a solo e o sucesso continuou
Milhares de pessoas esperaram no exterior do Instituto de Medicina Legal do Porto para prestarem uma última homenagem a Angélico Vieira
A relação de cinco anos com a actriz Rita Pereira tornou-os num dos casais mais acarinhados pelo público
O seu corpo delineado fez suspirar muitos corações de jovens fãs
Angélico Vieira morreu aos 28 anos.
Angélico estreou-se na TV em 2004, na série 'Morangos com Açúcar', como David da banda D'ZRT
O cantor era presença assídua em programas da TVi e foi seu a canção oficial do programa de recorde de audiências 'Casa dos Segredos'
Como 'rei' em carnavais levou atrás de si uma legião de fãs
A moda era também uma das suas paixões. A primeira agência de modelos de Angélico foi a DXL Models
Na temporada de Verão de 'Morangos com Açúcar' contracenou com Joana Duarte, Daniel Cardoso, Ana Rita Tristão e Diana Chaves
O sucesso da banda 'saltou' do ecrã para os palcos e os concertos pelo País multiplicaram-se
Após o final anunciado dos D'ZRT, Angélico lançou-se a solo e o sucesso continuou
Milhares de pessoas esperaram no exterior do Instituto de Medicina Legal do Porto para prestarem uma última homenagem a Angélico Vieira
A relação de cinco anos com a actriz Rita Pereira tornou-os num dos casais mais acarinhados pelo público
O seu corpo delineado fez suspirar muitos corações de jovens fãs

Num completo estado de desespero e com uma dor difícil de suportar a corroer-lhes o peito, Filomena e Milton, pais do cantor e actor Angélico, que sofreu no sábado um acidente na A1, assistiram ontem impotentes e destroçados aos últimos minutos do filho. Acompanhados por psicólogos, viram o jovem perder todos os sinais vitais, através de um vidro do quarto no Hospital de Santo António, Porto. Depois de anunciar a morte clínica do cantor, o hospital demorou ainda algumas horas antes de declarar o óbito. Angélico foi, contudo, mantido ligado ao ventilador, mas apenas para oxigenar o sangue e manter intactos os órgãos para transplante, a que a mãe se terá oposto. O óbito acabaria por ser declarado às 23h40. Logo que souberam que a situação era irreversível, Filomena e Milton foram sedados. A dolorosa notícia de que o único filho já não tinha salvação deixou--os inconsoláveis. Foram quatro dias de uma espera dolorosa para os pais. Desde o primeiro momento, o hospital colocou dois psicólogos ao seu dispor, acompanhando sempre as visitas a Angélico. Tentaram acalmá-los e prepará-los para o pior, mas na hora da verdade o coração falou mais alto. "Os psicólogos e os médicos prepararam-nos desde o primeiro minuto para o pior, mas os pais nunca acreditaram. Tinham fé em que o seu menino sobrevivesse", disse ao CM um familiar.

O estado de saúde de Angélico degradou-se rapidamente. Por volta das 11h00, o coração começou a ceder e a ficar cada vez mais fraco. As funções cardíacas passaram a ser suportadas por uma máquina e, já ao início da tarde, o cantor praticamente não tinha sinais vitais. Uma equipa de dois neurocirurgiões foi chamada, realizaram uma série de exames, mas Angélico não reagiu. As máquinas tinham de ser desligadas.

A ex-namorada, Rita Pereira, que estava em Lisboa a gravar uma novela, largou tudo e viajou para o Porto para dizer adeus àquele que sempre disse ser o homem da sua vida. A notícia chocou também uma multidão de fãs para quem Angélico era um ídolo.

ANITA CAI NO HALL DO HOSPITAL AO SABER DA MORTE

Desde sábado que Anita Costa, de 21 anos, não arreda pé do Hospital de Santo António. A actriz, apontada como a última namorada de Angélico, é a imagem da desolação. Ontem, quando soube de que não havia salvação, não aguentou. Suplicou ao segurança que a deixasse entrar no quarto, e após a recusa daquele caiu no hall do hospital e desatou a chorar. Uma amiga insistiu que a deixassem ver Angélico uma última vez, mas apenas a família estava autorizada a entrar. Anita refugiou-se na casa de banho a chorar.

"ESTRELAS NÃO MORREM"

Idolatrado por milhares de fãs, Angélico era um verdadeiro exemplo para várias crianças e adolescentes. Durante os quatro dias em que se manteve internado no hospital, diversas foram as jovens que por ali passaram. Ontem, quando foi divulgada a notícia da morte clínica do cantor, o desespero tomou conta da multidão. Tentaram por diversas vezes invadir o hospital e a PSP teve mesmo de montar um perímetro de segurança.

Amigos do cantor pediram calma e, emocionados, todos entoaram músicas de Angélico.

"O momento é muito difícil para todos nós, mas temos de manter a calma. Fizeram tudo o que era possível pelo Angélico. Ele estará sempre connosco, vivo no nosso coração", disse, emocionada, a actriz Laura Galvão.

As mãos trémulas das cerca de 200 fãs seguravam cartazes com mensagens de despedida. No corpo envergavam t-shirts com fotografias. "As estrelas não morrem e tu, Angélico, estarás sempre vivo na minha memória. Eras um ídolo para mim, o meu exemplo", lia-se num cartaz.

Os antigos colegas da banda D’ZRT tiveram também oportunidade de dizer o último adeus a Angélico. Ao final da manhã, viram--no mais uma vez pelo vidro do quarto e, também eles, cantaram algumas das músicas da banda que os levou a todos ao sucesso. A emoção tomou conta dos jovens, que não contiveram as lágrimas.

"Conheceram-se quando eram apenas adolescentes, cresceram juntos e construíram uma carreira. O Vítor Fonseca em especial era muito ligado ao Angélico, ele não acredita nisto e tem passado as noites em claro", adiantou ao CM um amigo.

ÚLTIMO ADEUS A HÉLIO MARCADO PELO DESESPERO

"A tua casa não é aqui. Sai daqui meu filho", gritava desesperada a mãe de Hélio Filipe, durante o funeral do jovem de 25 anos que morreu na madrugada de sábado na sequência do acidente com o carro conduzido por Angélico Vieira.

"Ai, a vida acabou. A vida acabou", lamentava a mãe, arrebatada pela "dor que não passa". Hélio Filipe era licenciado em Engenharia Informática e estava a terminar o mestrado na mesma área na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, onde também dava aulas. Familiares descreveram-no como uma pessoa "boa" e "humilde".

angélico vieira morte hospital santo antónio acidente a21 família drama
Ver comentários