Justiça pode retirar sobrenome a filha assassina de Amélia Fialho

Diana Fialho e o marido Iúri respondem pela morte brutal da professora. Filha adotiva premeditou crime por dinheiro.
Por Sofia Garcia|12.03.19
Notícia exclusiva para assinantes. Para ler faça Login ou AssineSaiba mais aqui.
O sangue espalhado pelo apartamento que Amélia Fialho dividia com a filha adotiva e o genro conta a história de um crime premeditado ao pormenor.Diana Fialho, de 23 anos, e Iúri Mata, de 27, mataram a professora de Físico-Química enquanto a vítima estava na cama a dormir. Antes, tinham-na drogado com comprimidos. Atacaram-na ...
Exclusivos CMEste artigo é exclusivo para Assinantes Correio da Manhã
Se já é Assinante, faça o seu loginouAssine 1 mês por 1€.
Para ler TODOS OS EXCLUSIVOS CM de hoje por 0.60€ + IVA
Obtenha o seu código de acesso com uma simples chamada telefónica
ou
UTILIZE O 
Assine agora o Correio da Manhã Digital
  • Assine Acesso integral ao Correio da Manhã ePaper (tal como é impresso em papel, veja exemplo)
  • AssineAcesso ilimitado a todo o site do Correio da Manhã.
  • AssineTodos os exclusivos, opinião e análise da edição em papel.
Saiba mais
Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!