Barra Cofina

Correio da Manhã

Exclusivos
4

Ladrões presos no telhado

Quadrilha falha tentativa de assalto a ourivesaria. Um assaltante caiu de 12 metros de altura e partiu uma perna. Foi ajudado pela polícia.
20 de Fevereiro de 2010 às 00:30
O buraco já tinha uma abertura que permitia ver o interior da loja
O buraco já tinha uma abertura que permitia ver o interior da loja FOTO: Nuno André Ferreira

Uma aparatosa fuga à polícia pelos telhados dos prédios de uma avenida de Viseu só terminou quando um dos quatro ladrões, que tentaram assaltar uma ourivesaria, caiu de uma altura de 12 metros durante um salto falhado. Imobilizado num buraco, com uma perna fracturada, o assaltante de 34 anos foi obrigado a pedir socorro. 'Nessa altura já queria a polícia por perto e só gritava: ‘Amigo estou aqui!’', conta um morador.

Um segundo assaltante, de 24 anos, foi interceptado pela PSP no telhado de um dos prédios e outros dois conseguiram escapar. A perseguição, ao longo da avenida Alberto Sampaio, começou pelas 04h00 de ontem, quando a PSP recebeu um alerta para 'ruídos estranhos' no interior de um prédio. 'Parecia que estavam a bater numa parede', explica um vizinho. Ao chegarem, os agentes depararam com a porta principal do prédio arrombada e com um buraco numa parede que permitia o acesso a uma ourivesaria no edifício contíguo, contou o sub-comissário da PSP António Moita. Através da abertura – num dos pontos já com 12 centímetros de um lado ao outro –, era visível o interior do estabelecimento. Para o comandante da PSP de Viseu, Serafim Tavares, a entrada na ourivesaria 'estava iminente'.

Ao aperceber-se da presença dos policias, o grupo fugiu pela clarabóia do prédio de três andares. A partir daí começou uma perseguição que, segundo os moradores, 'parecia um filme policial'. Um morador acordou com um estrondo na parte superior do prédio e ao ir à janela deparou-se com um agente no telhado da sua churrasqueira e um ladrão de 'mãos no ar'. Só depois se apercebeu que os elementos da quadrilha 'foram saltando de telhado em telhado e de quintal em quintal', ao longo de três prédios. No último edifício, um deles, ao saltar de um muro, caiu no buraco. Foi o próprio ladrão a chamar os agentes: 'Senhores polícias estou aqui, acudam-me por favor!' Foi levado sob detenção para o hospital e será presente a tribunal quando tiver alta médica.

PORMENORES

GRUPO MAIOR

As autoridades suspeitam que estes ladrões façam parte de um gang maior, que tem assaltado ourivesarias em todo o País. Estarão ligados ao grupo que assaltou, em Janeiro, uma ourivesaria em Setúbal. Dois deles foram então detidos.

FERRAMENTAS

Na fuga, os assaltantes deixaram para trás as ferramentas usadas para abrir o buraco na parede da ourivesaria, designadamente um macaco hidráulico, um pé-de-cabra, um alicate e uma chave de fendas. Deixaram ainda um saco e duas mochilas para transportar o ouro que queriam roubar.

DOIS EM FUGA

Os dois detidos integravam um grupo de quatro, tendo dois deles fugido. A PSP ainda montou um cerco nas principais estradas da cidade, mas os ladrões escaparam.

PERFUMARIA

Pouco antes do assalto falhado, uma perfumaria localizada a 400 metros também foi alvo de uma tentativa de furto. 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)