Barra Cofina

Correio da Manhã

Exclusivos
9

Marcelo Rebelo de Sousa: “Foi um comportamento louco”

Antigo líder do PSD explicou na TVI como tentou evitar que um homem usasse uma arma.
8 de Maio de 2011 às 00:30
Marcelo Rebelo de Sousa ainda pediu para se chamar a PSP mas “ninguém se mexeu”
Marcelo Rebelo de Sousa ainda pediu para se chamar a PSP mas “ninguém se mexeu” FOTO: Pedro Catarino

"Pensando bem, foi um bocadinho louco aquele meu comportamento. Mas por uma vez a pedagogia cívica resultou." As palavras são de Marcelo Rebelo de Sousa, que confirmou ontem na TVI ter evitado uma cena de pancadaria entre dois homens, no Chiado, tal como noticiou o CM na sexta-feira.

Confessando que "foi complicado", o professor revelou ainda outro pormenor que tornou a sua intervenção ainda mais arriscada: um dos homens tinha um revólver. Quando entrou na rua Ivens, em Lisboa, na terça-feira, Marcelo deparou-se "com dois homens que se queriam matar um ao outro".

De um lado estaria "um arrumador da zona" e do outro um vigilante, explicou ontem Marcelo, que recordou a situação na primeira pessoa. "A coisa complicou-se quando um deles sacou de um revólver. Quando o vigilante disse que ia chamar a polícia pelo telemóvel, o outro disse ‘mas eu mato-te’." Segundo o comentador, valeu-lhe o facto de ser uma figura conhecida para usar a "pedagogia cívica". "Mas não me conhece?", descreveu o comentador, tentando argumentar com o indivíduo que seria um erro usar a arma. "Tem aqui não sei quantas testemunhas de acusação, vai ficar com a vida estragada", apelou Marcelo Rebelo de Sousa.

"Entretanto, chegou a polícia, o homem guardou o revólver e achou, realmente, que era uma estupidez com 50 anos ir parar com os ossos à cadeia", concluiu o comentador, lembrando que "à portuguesa [entre os transeuntes], ninguém se mexeu". 

"AMEAÇAS COM TÁBUAS" 

A confusão a que Marcelo Rebelo de Sousa assistiu e que procurou ajudar a resolver foi relatada ao CM por várias fontes que, no local, viram o professor apelar à calma dos dois homens envolvidos na discussão. Um deles fez "ameaças com uma tábua que apanhou do chão". 

Ver comentários