Barra Cofina

Correio da Manhã

Exclusivos
5

Moniz ouviu Vara sobre Benfica

Chamada foi feita três horas antes da decisão. Moniz diz ao ‘CM’ que não queria saber a opinião de Armando Vara
17 de Junho de 2010 às 00:30
Moniz revelou que não era candidato às 21h00 do dia 18 de Junho de 2009.
Moniz revelou que não era candidato às 21h00 do dia 18 de Junho de 2009. FOTO: Mariline Alves

Antes de anunciar que não se candidatava a presidente do Benfica, José Eduardo Moniz falou com Armando Vara para aferir da real situação financeira do clube.

Na conversa hoje revelada pelo CM, Moniz pergunta a Vara qual é a sua opinião 'sobre estas maluqueiras do Benfica', ao que o então vice--presidente do BCP responde: 'Vieira tem espaço para ganhar'. Vara acrescenta que uma alteração de presidente 'não afectará as relações' do banco com o Benfica.

Contactado pelo CM, José Eduardo Moniz confirma esta conversa, às 17h32 de 18 de Junho, três horas e meia antes de revelar que não era candidato e em pleno ataque do Governo à TVI. No entanto, garante que não ligou para saber a opinião de Vara sobre a candidatura, mas sim 'na eventualidade de ganhar, saber se isso teria impacto na relação' do BCP com o clube. Moniz diz mesmo que, para ele, a opinião de Vara era irrelevante e que 'esta conversa em nada influenciou' a sua decisão.

José Eduardo Moniz adianta que falou com Vara enquanto administrador do BCP, tendo contactado responsáveis de outros bancos. 'Sempre disse que era fundamental perceber a real situação financeira do Benfica', diz para explicar estes contactos.

Ao CM, Moniz diz, também, que conhece Armando Vara, tendo tido vários 'contactos no passado'. 'Inclusive, quando ele me convidou para director-geral da RTP', recorda.

Questionado se esta candidatura pode ter sido impulsionada para criar uma cortina de fumo para a sua saída da TVI, Moniz diz que Nicolau Breyner e António Pedro Vasconcelos (que lhe sugeriram esta hipótese) 'nunca podem ser apontados como fazendo parte de um complô para sair da TVI'. 'Já sobre se outras pessoas que se aproximaram vinham sopradas por quem tinha interesse em ver-me fora da TVI é outra conversa'. Moniz confessa ainda que 'merece alguma reflexão' a atitude da administração da Media Capital (MC). 'É óbvio que a MC não constituía um obstáculo à minha saída', isto apesar de frisarem que a sua presença na empresa era 'imprescindível'.

SUBIDA DAS ACÇÕES DA IMPRESA EM CAUSA

A 16 de Junho de 2009 as acções da Impresa, de Francisco Pinto Balsemão, dispararam 147% num só minuto, uma situação que motivou a investigação da CMVM. Ao CM, fonte do regulador disse que o 'caso foi analisado' e que 'não se concluiu a existência de irregularidades'. No entanto, nas escutas, Paulo Penedos pergunta a Luís Parreirão se este tem 'acompanhado as transacções da Impresa das últimas horas', acrescentando que 'está tudo ligado'.

fonte da Impresa adiantou ao CM que, um ano depois, ainda desconhece o autor da compra, dizendo apenas que partiu de um 'corretor estrangeiro'. Na altura, o ‘Sol’ revelou que a Newshold, empresa angolana que detém o semanário, era o comprador.

Ontem, o BE reagiu às propostas de alteração do PS ao relatório da Comissão de Inquérito ao casoPT-TVI. Semedo, relator da Comissão, classifica a proposta do PS como um 'contra relatório', acrescentando que 'o PS, sob a batuta do deputado Ricardo Rodrigues, guarda no bolso o papel de Rui Pedro Soares nas duas tentativas, separadas por poucos meses, de aquisição da TVI'. Amanhã, o relatório será discutido e votado no Parlamento.

PARREIRÃO É O 'LUÍS' QUE FALA A PENEDOS

Luís Parreirão é o ‘Luís’ com quem Paulo Penedos fala sobre as mudanças da comunicação social. Trabalha para a Mota-Engil em Angola e foi secretário de Estado das Obras Públicas no último Governo de Guterres.

MARTIM NUNCA FALOU COM PENEDOS

Martim Avilez Figueiredo, ex-director do ‘i’, está incorrectamente identificado nas escutas com Paulo Penedos. Este fala com André Macedo, ex-director adjunto, e não com Martim Avilez.

CRONOLOGIA DAS CONVERSAS ESCUTAS

MAIO

Anunciadas mudanças no sector dos media por Paulo Penedos a um ‘Luís’

JUNHO

Penedos diz que negócio da TVI vai implicar aquisições de outros títulos

Na mesma conversa é dito que Manuela e Moniz vão deixar de controlar a TVI

JULHO

Moniz pergunta a Vara o que pensa este da sua candidatura ao Benfica

Escutas sobre factos aqui relatados foram captadas em dois dias

'CM' DIVULGA DOCUMENTO DA PJ DE AVEIRO ENVIADO PARA O PARLAMENTO, NA ÍNTEGRA

17 de Junho 23h42

Luís Parreirão e Paulo Penedos PP

PP dá conhecimento a um tal Luís de que vai haver uma alteração significativa da comunicação social em Portugal. Dentro de dois dias, a TVI vai deixar de ser controlada pelo Moniz e pela Manuela. Luís pergunta se vão mudar de dono, ao que PP responde que não, porque eles só vão ver 30 por cento, mas a condição é… e de lado vai também o ‘Correio da Manhã’, porque o Paulo Fernandes estava a tentar comprar 30 por cento. Disse que se não o conseguisse, o interesse dele na comunicação social diminuía muito em termos de grupo, porque a publicidade está a faltar brutalmente aos jornais. Se conseguisse comprar esses 30 por cento da TVI e entrar nesse bolo, muito bem. Não conseguindo, está disponível para vender o ‘Correio da Manhã’. Falam do valor do ‘CM’ que avaliam em 140 milhões, que vale mais do que os 30 por cento da TVI. 'Os gajos começaram a pedir 130 e fecharam nos 90'. Sobre o ‘CM’, PP diz que este valor só será o preço final, mas foi o que pediram para começar a conversar. Falam da imprensa que pretensamente lhes é hostil. O ‘Sol’, o ‘Expresso’, a SIC, a Renascença, a TVI e o ‘Público’.

PP pergunta a Luís quando é que vem a Portugal. Pede--lhe que quando estiver cá lhe ligue para lhe explicar os contornos desta operação, que será concretizada na sexta-feira desta semana. Adianta ainda que o Moniz hoje já avançou com a possibilidade de se candidatar à presidência do Benfica. Diz que já é uma saída, que já é um sinal. Que o grupo Vencer, Vencer, de oposição a Luís Filipe Vieira, foi hoje convidar o gajo, que a notícia esteve seis horas na internet sem ser desmentida. Volta a dizer que, a concretizar-se, a operação da compra da TVI terá algum fôlego de reorganização da comunicação social, do qual só lhe dá um lamiré. Diz que ele deve ter acompanhado as transacções do grupo Impresa das últimas horas e que está tudo ligado. O PP depois explica.

18 de Junho 16h12

Paulo Penedos manda SMS para RPS

'Avisa-me logo quando ele anunciar'

'OK'

18 de Junho 17h32

Armando Vara e José Eduardo Moniz

José Eduardo Moniz pergunta a Vara qual é a sua opinião sobre estas maluqueiras do Benfica, que queria ter a opinião dele e, embora ainda não tenha tomado qualquer decisão, quer ouvir Vara. Se achava bem ou mal... Vara diz que Vieira tem espaço para ganhar. JEM pergunta sobre o posicionamento do Millennium no Benfica. Armando diz que a alteração de presidente não afectará relações. Moniz diz que António Pedro já tinha falado disto há algum tempo mas não ligou muito. Mais a sério, só pensou no assunto há três ou quatro dias. Continuam conversa sobre relações do Millennium no Benfica.

18 de Junho 19h17

Paulo Penedos com Martim Avilez

Martim Avilez diz a PP que precisa de falar com ele, que o País está a cair aos bocados e ele não lhe conta. Dá-lhe depois a notícia dos rumores. O Moniz, que primeiro dizia que não, afinal, irá avançar. Que a TVI vai ser vendida à COFINA... histórias muito malucas. Começaram por dizer que era a PT que ia comprar a TVI. PP mostra-se muito surpreendido e Avilez repete que se dizia que era a PT que ia comprar a TVI. Um disparate... que o Zeinal nunca se ia meter nos conteúdos depois do inferno do ‘DN’. Mas é a história do Moniz que está a dominar o País. A ideia do Moniz ir para o Benfica, a TVI ser vendida à Cofina, estão muitos interesses em jogo. PP responde que não faz ideia, porque, como se sabe, essa não é a praia dele. Avilez queixa--se de que o RPS não lhe atende o telefone.

18 de Junho 21h29

Paulo Penedos e João Carlos Silva JCS

JCS diz a PP que, afinal, Moniz já não se candidata. Diz que o c (...) ‘borregou’, mas que o efeito principal está atingido, que foi o gajo apontar outras áreas de interesse. Deu uma conferência de imprensa e isso permitiu uma cortina de fumo, que é melhor isso do que não haver nada. JCS diz que isso é bom, que permite uma saída ou até um pontapé para cima ou para o lado. PP volta a insistir que há uma cortina de fumo que na cabeça das pessoas ficou.

A VERSÃO DA COMISSÃO: PT QUERIA MANTER MONIZ NA TVI

As escutas mostram que, a 17 de Junho, Paulo Penedos dava como certa a compra de 30% da TVI por 90 milhões de euros e que, no dia 19, sexta-feira, a TVI deixava de ser controlada por Moniz e Moura Guedes. Uma versão diferente foi defendida por Zeinal Bava e Manuel Polanco na Comissão de Inquérito. O administrador da Prisa disse que só no dia 19 é que 'começou a ser estruturado um esqueleto do ‘term sheet’, onde estavam a ser avaliados valores de empresa, as percentagens de empresa, as quotas na administração da mesma…'. Uma versão partilhada por Zeinal Bava, que afirmou que só neste dia é que 'a transacção passa para uma negociação'. Bava disse ainda que as funções de Moniz 'na Media Capital (MC) nunca passariam pela PT', até porque apenas teria 'o direito de nomear o administrador com o pelouro financeiro'. Bava acrescentou que 'ele era um activo importante e que, para nós, era importante que ele se mantivesse a apoiar a PT, mas também na MC'.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)