Barra Cofina

Correio da Manhã

Exclusivos

Morre a comer folhas de árvore

Teixo está no jardim de hospital psiquiátrico e é de acesso fácil aos utentes. Espaço será vedado.
17 de Janeiro de 2010 às 00:30
Árvore que tem substância tóxica está há cerca de 900 anos no jardim do unidade psiquiátrica
Árvore que tem substância tóxica está há cerca de 900 anos no jardim do unidade psiquiátrica FOTO: direitos reservados

Uma mulher de 53 anos, que estava internada há 20 no Hospital de Psiquiatria de Bragança, morreu esta semana após ter ingerido folhas de teixo – uma árvore cujas folhas contêm uma substância tóxica e que é usada em alguns medicamentos de combate ao cancro.

O teixo está há cerca de 900 anos na Quinta da Trajinha, onde funciona a unidade de saúde, numa zona usada pelos utentes para passeios. "Os doentes estão internados, são medicados, alimentados e vigiados, mas estão em regime livre, podem sair e circular pela quinta", explicou ao CM o director clínico do Centro Hospitalar do Nordeste, Sampaio da Veiga.

"Ninguém viu que a senhora estava a ingerir folhas da árvore até porque era costume a doente frequentar o local, que fica perto de uma fonte", disse.

A toxicidade das folhas provocou falhas respiratórias e cardiovasculares na utente que, apesar das tentativas dos médicos, acabou por morrer no mesmo dia.

A árvore – apelidada pelos habitantes locais de ‘mata cavalos’ – é de uma espécie protegida, sendo uma das poucas que ainda existe na região.

Ao que o CM apurou, a maioria dos técnicos do hospital desconhecia a toxidade do teixo e o director clínico assegura que este foi o primeiro caso registado. Sampaio da Veiga garante ainda que a árvore não será abatida, mas será colocada uma grade à volta do teixo, para impedir o acesso às folhas.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)