Barra Cofina

Correio da Manhã

Exclusivos
1

Padre violador “sem desculpa”

Acusado de amarrar um jovem à cama e de o obrigar a fazer sexo na casa paroquial.
30 de Maio de 2010 às 00:30
Para D. António Marto, a conduta do padre Marcin (na foto) é “absolutamente inaceitável”. A detenção foi recebida com surpresa
Para D. António Marto, a conduta do padre Marcin (na foto) é “absolutamente inaceitável”. A detenção foi recebida com surpresa FOTO: direitos reservados

O bispo da Diocese de Leiria-Fátima, D. António Marto, considera 'absolutamente inaceitável e sem qualquer desculpa' o comportamento do padre polaco Marcin Strachanowski, capelão no Santuário de Fátima durante um ano e acusado no Brasil de abusos sexuais.

O primeiro pensamento de D. António Marto 'dirige-se para aqueles que tenham sido vítimas deste comportamento e para todos os que se sentem desiludidos pela conduta' do padre polaco, de 44 anos, refere a Diocese de Leiria-Fátima em comunicado.

A detenção do padre foi recebida 'com grande surpresa e profunda consternação' pela diocese, que o acolheu de 21 de Junho de 2007 a 1 de Junho de 2008, altura em que o sacerdote regressou ao Brasil.

Marcin Strachanowski está detido, acusado de ter algemado um adolescente de 16 anos a uma cama, numa casa paroquial do Rio de Janeiro, obrigando-o a praticar sexo oral, em Março de 2007. O Ministério Público brasileiro considera que transformou a residência numa 'masmorra erótica' e que aliciava os jovens pela internet, enviando--lhes mensagens pornográficas.

PORMENORES

SOFRIMENTO

Vítima denunciou o padre passado mais de um ano. Antes teve acompanhamento psicológico sem que a família soubesse. Ele próprio pagou o tratamento.

AFASTADO

O padre Marcin foi afastado da sua paróquia quando começou a investigação, em meados de 2008. Agora está suspenso de funções e é investigado pelo Tribunal Eclesiástico brasileiro.

Ver comentários