Barra Cofina

Correio da Manhã

Exclusivos

Pai vai a julgamento por abusar do filho

"Parece que parte do pesadelo está a chegar ao fim." Ana Cláudia, mãe do pequeno Pedro (nome fictício), que entre os três e os sete anos sofreu alegados abusos sexuais e que foi vítima de maus tratos por parte do progenitor, nem quer acreditar que o caso vai finalmente a julgamento. A primeira audiência está marcada para Novembro no Tribunal de Nisa.
12 de Agosto de 2008 às 22:00
Pedro (na foto) terá sido abusado pelo pai. A mãe, Ana Cláudia, espera que aquele seja condenado
Pedro (na foto) terá sido abusado pelo pai. A mãe, Ana Cláudia, espera que aquele seja condenado FOTO: Alexandre M. Silva

"Espero que seja condenado por tudo o que fez ao meu filho", frisa a mão de Pedro, hoje com dez anos. Segundo a Acusação, a criança, a ser acompanhada por psiquiatras do Hospital de São Francisco Xavier, em Lisboa, terá sido abusada, na forma consumada e continuada, pelo progenitor, enquanto viveu com aquele na casa dos avós paternos em Montalvão.

De acordo com a denúncia, o pai, C. M., que se encontra em liberdade com Termo de Identidade e Residência, terá obrigado o filho a praticar sexo oral e anal. A vítima, que devido aos abusos começou a não reter as fezes, nunca terá relatado os crimes com medo de represálias. Referiu que, por guardar segredo, era recompensado com presentes.

O pai do arguido e avô da criança, afirma que o filho é "inocente" e que as acusações são "caluniosas". No inquérito do Ministério Público, o progenitor negou todas as acusações, referindo tratar-se de "pura ficção" e que a mãe foi orientada no meio social onde reside, em Alcabideche (Cascais), a se queixar de abusos sexuais, para ficar com a guarda do menor. Disse ainda que o filho era uma criança alegre, que andava de bicicleta e que nunca se apercebeu de problemas.

Pedro nasceu no seio de uma família constituída na adolescência. Ana Cláudia deixou o marido em 2002, quando o filho tinha dois anos, devido a alegadas agressões do companheiro. Por não ter dinheiro, entregou a criança aos avós paternos, com quem viveu até Agosto de 2005. Os alegados abusos foram contados pelo menor à mãe e ao padastro em 2006.

JULGAMENTO

Denúncia

O auto teve origem numa denúncia apresentada por Ana Cláudia, mãe da vítima.

Audiência

A audiência de julgamento terá lugar no dia 14 de Novembro pelas 10h00.

Ver comentários