Barra Cofina

Correio da Manhã

Exclusivos
9

Pedófilo infecta enteada com sida

Está proibido de contactar com a vítima, mas livre de o fazer com a mãe daquela e com outros menores.
26 de Janeiro de 2010 às 00:30
Pedófilo infecta enteada com sida
Pedófilo infecta enteada com sida FOTO: Ricardo Cabral

Entrou sorrateiramente na sua vida como se de um ladrão se tratasse e a pouco e pouco o homem de 50 anos foi-lhe roubando o sorriso, os sonhos e a alegria de viver. Com apenas dez anos, Mariana está sentenciada a uma vida de sofrimento. Foi espancada, violada pelo padrasto e recentemente descobriu que aquele a contagiou com o vírus da sida. O violador vive em casa de familiares, onde aguarda julgamento em prisão domiciliária depois de ter sido presente a um juiz de instrução criminal. Está proibido de contactar com a vítima, mas nada o impede de o fazer com a mãe da criança ou até mesmo com outros menores que residem na mesma casa.

De forma a preservar a identidade da criança, os nomes, as datas e os locais são fictícios. Apenas os factos são reais.

Mariana sofreu durante meses. Praticamente todos os dias, a menina, as irmãs e a mãe eram humilhadas e espancadas pelo homem. A menina tentou resistir, ficava em silêncio com medo que o padrasto pudesse fazer pior. Os medos de Mariana tornaram-se bem reais. Quando se encontrava sozinha com o padrasto, ele aproximou-se e começou a tocar-lhe. A criança tentou evitar e suplicou-lhe que parasse. O pedófilo continuou, sabia que estava infectado com o vírus da sida, mas nem isso o impediu.

Mariana foi violada e semanas mais tarde, após o caso ser descoberto, o padrasto foi detido e confessou que tinha sida há já algum tempo. A menina fez imediatamente os testes e o pior confirmou-se: estava contaminada.

O pedófilo foi ouvido em tribunal onde o Ministério Público pediu que ficasse em prisão preventiva. No entanto, o juiz entendeu que por não haver perigo de fuga não existia razão para aplicar a medida mais grave, parecer este que tem sido adoptado por muitos juízes desde a última alteração do Código Penal, em 2007. Já outro dos crimes que era acusado, a propagação de doença, não permite sequer a prisão preventiva.

O homem aguarda agora julgamento em casa de familiares. Nada o impede de contactar a mãe da menina, as irmãs mais novas ou até mesmo outras crianças. Nada o impede de voltar a cometer os mesmos crimes.

CLIENTES INFECTADOS POR PROSTITUTA

A morte de uma prostituta com sida, em 2005, alarmou por completo a cidade de Viseu. Infectada há vários anos, a brasileira, de 32 anos, não usava preservativo durante as relações sexuais. Por dia recebia sete a oito clientes, pelo que se estima que dezenas de pessoas tenham sido infectadas.

Aos clientes a prostituta escondia a doença contagiosa de que sofria. Só após a sua morte é que os homens ficaram ao corrente do que se passava. O pânico instalou-se entre as centenas de clientes que imediatamente se deslocaram ao centro de saúde de Viseu de forma a realizar os exames.

"OBRIGAM AS CRIANÇAS A FOCAR EM SILÊNCIO"

Segundo o psicólogo criminal Carlos Poiares, os pedófilos escolhem as crianças para satisfazer os seus desejos sexuais por serem mais indefesas e por ser mais fácil obrigá-las a manter o silêncio. "As crianças são alvos mais fáceis pois raramente se conseguem defender. É muito mais fácil obrigar uma criança manter o silêncio", diz.

Carlos Poiares adiantou ainda que os pedófilos são pessoas que tem uma imagem sexual vulnerável. "Geralmente não são muito abonados sexualmente, por isso escolhem crianças para não se exporem", afirma o psicólogo.

O certo é que desde que o caso Casa Pia veio a descoberto o número de detenções de pedófilos tem aumentado.

DISCURSO DIRECTO

"VOLTARÁ A FAZER O MESMO": Carlos Poiares Psicólogo Criminal

Correio da Manhã – A prisão domiciliária é uma medida adequada para este homem?

Carlos Poiares – Para um violador a reabilitação é muito difícil, pelo que a prisão domiciliária não é adequada. Se o violador não se afastar de pessoas que possam ser potenciais vítimas voltará a fazer o mesmo.

– O que leva alguém a infectar outra pessoa com sida ?

– Este homem pode ter actuado intencionalmente ou por impulso. Ou seja, pode fazê-lo como uma forma de se vingar contra a vida ou durante um acto tresloucado para satisfazer o seu desejo.

– Deverão os familiares e vizinhos ser informados do que aconteceu?

– Temos de ter em conta a reserva da intimidade, mas caso o tribunal tenha uma pré-convicção de que este homem é culpado, deve alertar as pessoas e tomar medidas.

SAIBA MAIS

HOMEM MAIS PERIGOSO

O contágio de sida por via sexual nas relações heterossexuais é mais comum do homem para a mulher do que o contrário porque o sémen é mais virulento do que os fluidos vaginais. A violação é factor agravante de risco.

33,4

milhões de pessoas vivem actualmente infectadas com VIH devido aos benefícios da terapia antirretroviral.

RISCOS DE CONTÁGIO

O VIH transmite-se pelo sémen, fluidos vaginais, sangue e leite materno. Encontra-se ainda nas lágrimas e saliva, mas em quantidade insuficiente para o contágio.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)