Barra Cofina

Correio da Manhã

Exclusivos
4

Polícia barra campeã em unidade de elite da PSP

Marisa Pires, subcomissária de 27 anos, impedida de ser a primeira mulher no Corpo de Intervenção da PSP, após expulsão do curso.
Miguel Curado 28 de Fevereiro de 2018 às 01:30
Marisa Pires foi afastada do curso da PSP
Marisa Pires
Marisa Pires foi afastada do curso da PSP
Marisa Pires
Marisa Pires
Marisa Pires foi afastada do curso da PSP
Marisa Pires
Marisa Pires foi afastada do curso da PSP
Marisa Pires
Marisa Pires
Marisa Pires foi afastada do curso da PSP
Marisa Pires
Marisa Pires foi afastada do curso da PSP
Marisa Pires
Marisa Pires
Superou as rígidas provas, físicas e teóricas, previstas no curso do Corpo de Intervenção (CI) da PSP, com resultados por vezes superiores aos dos homens. Campeã nacional e europeia de Muay Thai (desporto de combate), a subcomissária Marisa Pires, de 27 anos, era admirada por alunos e formadores. No entanto, o sonho de ser a primeira mulher a entrar na unidade de elite da PSP teve um fim abrupto. A meio do curso (começou a 22 de janeiro, e termina a 27 de março), a jovem oficial foi expulsa.

Contactada pelo CM, fonte oficial da PSP justificou assim a decisão: "A formanda foi eliminada no quadro da aplicação das regras de frequência e aproveitamento." A Polícia, no entanto, recusou-se a concretizar as referidas razões.

Marisa Pires decidiu entrar no curso do CI, que há 12 anos não se realizava, quando comandava a esquadra do Palácio de Belém. A Polícia admitiu nesse curso 120 agentes e 12 oficiais (132 alunos).

Desde o início, a subcomissária conseguiu ir dormir a casa. No quartel da Calçada da Ajuda, onde decorreu a formação, foi-lhe dado um espaço para mudar de roupa e tomar banho. Os obstáculos à presença de Marisa, no entanto, começaram cedo a fazer-se sentir.

A jovem oficial foi impedida pela hierarquia de estar na mesma camarata que os colegas homens nos tempos mortos. Além disso, em especial nas últimas duas semanas do curso, a jovem terá visto a nota de mérito (que avalia a capacidade de liderança) ser reduzida inexplicavelmente.

Na passada sexta-feira, quando já mais de 30 alunos tinham sido excluídos, Marisa Pires foi chamada aos coordenadores. Ao que o CM apurou, os responsáveis comunicaram-lhe a expulsão, mas não a justificaram.

Contactada pelo CM, a subcomissária Marisa Pires não quis prestar declarações. 

Presidente da República deu-lhe medalha de mérito   
A subcomissária Marisa Pires foi ontem condecorada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, com a medalha de Ordem e Mérito.

O Chefe de Estado quis premiar a jovem de 27 anos pelo período (cerca de ano e meio) em que esteve à frente da PSP do Palácio de Belém. Antes deste cargo, Marisa Pires comandou uma esquadra na Penha de França, em Lisboa.

Desde segunda-feira que a subcomissária está colocada no Núcleo de Operações do Comando de Lisboa. 

Muito trabalho força novo curso do Corpo de Intervenção      
Desde finais de 2015, quando o centro da Europa foi assolado por atentados terroristas, que o Governo português ordenou o reforço de patrulhamento em locais estratégicos do País. O Corpo de Intervenção da PSP foi chamado a esta função, mas a falta de efetivo é clara.

Por isso, a direção da Polícia, com o aval do Ministério da Administração Interna, abriu um novo curso de formação. 

PORMENORES 
Formadores contra
O CM sabe que os formadores do curso do Corpo de Intervenção frequentado pela subcomissária Marisa Pires se mostraram contra a decisão de expulsão da jovem oficial.

Possibilidade de recurso
O regulamento do curso de formação do Corpo de Intervenção permite ao candidato, em caso de expulsão, recorrer para a Direção-Nacional da Polícia.

Fim no dia da unidade
O atual curso do Corpo de Intervenção, o primeiro em 12 anos, acaba a 27 de março, dia do 42º aniversário da unidade.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)