Barra Cofina

Correio da Manhã

Exclusivos
7

Todos ouvidos

O Ministério Público (MP) e a Polícia Judiciária (PJ) estão a voltar a inquirir todos os arguidos que constam nas certidões relacionadas com o processo ‘Apito Dourado’, por sugestão de vários procuradores que Maria José Morgado mandou avançar.
16 de Fevereiro de 2007 às 13:00
Maria José Morgado já reabriu dois processos em que Pinto da Costa é arguido
Maria José Morgado já reabriu dois processos em que Pinto da Costa é arguido FOTO: Manuel Moreira
Segundo apurou o CM, a repetição das inquirições nada tem a ver com factos novos que tenham sido carreados para os autos, desde que as certidões extraídas do processo principal (Gondomar) foram distribuídas por 33 comarcas.
De acordo com fonte judicial, o MP decidiu “reforçar as garantias de defesa”, renovar os termos de identidade e residência e possibilitar aos arguidos que fiquem com a certeza de que a certidão onde estão referenciados deu origem a um inquérito.
Além disso, segundo a mesma fonte, as novas inquirições também visam impedir que alguns arguidos avancem com “nulidades processuais”, caso não voltassem a ser inquiridos.
Entre os arguidos convocados para voltar a prestar declarações, o CM sabe que um deles é José António Pinto de Sousa, ex-presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol, que no dia 22 vai deslocar-se à Procuradoria da República de Matosinhos.
Valentim Loureiro, João Loureiro e os árbitros Lucílio Baptista, Paulo Baptista e Paulo Paraty são outros dos arguidos abrangidos pelas novas inquirições. Alguns, como Lucílio Baptista, ainda não foram notificados.
PINTO DA COSTA
Pinto da Costa é um dos arguidos que já foi novamente inquirido sobre o jogo em que o Nacional venceu (3--2) o Benfica (dirigido por Augusto Duarte), disputado no dia 22 de Fevereiro de 2004, no Funchal, em que está indiciado por um crime de corrupção desportiva activa. Em causa, a certidão n.º 3, que está a ser investigada pelo Ministério Público do Funchal e que, ao contrário do que chegou a ser divulgado, não foi arquivada.
Nesta segunda ronda de inquirições, Pinto da Costa não prestou qualquer declaração nem foi constituído arguido, dado que já detinha essa qualidade desde o dia 3 de Dezembro de 2004, data em que recebeu ordem de detenção do procurador Carlos Teixeira, quando se apresentou no Tribunal de Gondomar. Quatro dias depois, o presidente do FC Porto foi interrogado pela juíza de instrução criminal Ana Cláudia Nogueira e sobre o árbitro Augusto Duarte (indiciado por corrupção desportiva passiva) disse que o conhecia desde que começou a apitar jogos de futebol.
No caso Nacional-Benfica são ainda arguidos o empresário de jogadores António Araújo e Rui Alves, presidente do clube madeirense. Tal como Pinto da Costa foram ambos indiciados por crimes de corrupção desportiva activa.
INDICIADO POR CRIME DE CORRUPÇÃO DESPORTIVA ACTIVA
Pinto da Costa pode vir a ser julgado pelo crime de corrupção desportiva activa, no âmbito do processo sobre o jogo FC Porto-Beira-Mar (época 2003/04), reaberto por Maria José Morgado.
Segundo um advogado especialista em Direito Penal, que solicitou o anonimato, o facto de a procuradora ter decidido reabrir um processo arquivado aponta para um despacho final de acusação: “Não é provável que o desfecho seja outro, tendo em conta o valor das novas provas. Que têm de ser significativas. Só assim se justifica que tenham permitido a alteração da decisão final que foi de arquivamento e que, agora, tudo indica, será de acusação.”
Além de Pinto da Costa, são também arguidos os árbitros Augusto Duarte e Perdigão da Silva, o empresário António Araújo e Pinto de Sousa, ex-presidente do Conselho de Arbitragem da FPF, todos indiciados por crimes de corrupção desportiva.
A decisão da procuradora-geral adjunta foi feita com base no depoimento prestado por Carolina Salgado, em Janeiro, no qual assegurou que Augusto Duarte era um dos árbitros que frequentava a casa do presidente dos dragões. No livro ‘Eu, Carolina’, aliás, a ex-companheira de Pinto da Costa escreveu que Augusto Duarte e o também árbitro Martins dos Santos iam a casa de Pinto da Costa, levados pelo empresário de jogadores António Araújo, comer “chocolatinhos” e beber café.
Segundo soube o CM, Maria José Morgado considerou o depoimento de Carolina como nova e fundamental prova para reabrir um processo que tinha sido arquivado (2006) pelo Ministério Público de Gaia.
Com esta decisão, são já dois os processos reabertos pela magistrada em que Pinto da Costa está envolvido. O primeiro foi no dia 16 de Janeiro e diz respeito ao Caso das Prostitutas, relativo ao jogo em que o FC Porto venceu o Estrela da Amadora (2-0 época 2003/04), em que também estão envolvidos, entre outros, o árbitro Jacinto Paixão e o empresário António Araújo.
No processo agora reaberto está em causa a ida de Augusto Duarte e António Araújo a casa de Pinto da Costa no dia 16 de Abril de 2004, quarenta e oito horas antes de o árbitro de Braga dirigir o FC Porto-Beira--Mar, que acabou empatado.
Após o jogo, Pinto da Costa foi apanhado numa escuta a dizer a Pinto de Sousa que o árbitro não esteve mal, mas que só deixou passar “uns livres” a favor do FC Porto.
Segundo soube o CM, Augusto Duarte e Pinto de Sousa vão reclamar junto do Procurador-geral da República, Pinto Monteiro, da decisão de Maria José Morgado.
ENCONTRO NA IGREJA DAS ANTAS
António Araújo e Augusto Duarte encontraram-se na Igreja das Antas, no Porto, antes de rumarem para casa de Pinto da Costa, em Gaia. A 16 de Abril de 2004, dois dias antes do jogo Beira-Mar-FC Porto, que o juiz de Braga ia dirigir.
Segundo o Ministério Público, o empresário com ligações aos portistas e o árbitro de 1.ª categoria partiram da Igreja das Antas para casa de Pinto da Costa às 22h00. Como não sabiam bem o caminho foi o próprio líder dos dragões que, pelas 22h18, lhes indicou o melhor percurso.
Quando foi ouvido pela juíza de instrução Ana Cláudia Nogueira, o presidente do FC Porto classificou como despropositada a visita de Araújo e Duarte.
O QUE DISSERAM NA FASE DE INQUÉRITO
"O FC Porto nem sequer precisava de ganhar o jogo com o Beira-Mar. Augusto Duarte tomou um cafezinho e falámos de nada." Pinto da Costa
"Só fui tomar um café a casa do senhor Pinto da Costa. Antes disso nunca tinha estado pessoalmente com ele." Augusto Duarte
"Foi o árbitro Augusto Duarte que me pediu para ir a casa do senhor Pinto da Costa." (Nas escutas telefónicas da PJ, é António Araújo quem insiste com o árbitro para ir a casa de Pinto da Costa, em Gaia) António Araújo
JOAQUIM PINHEIRO NA PJ
Joaquim Pinheiro, irmão do dirigente do FC Porto Reinaldo Teles, foi ontem ouvido pela PJ do Porto.
De acordo com o que Carolina Salgado escreveu no livro ‘Eu, Carolina’, Joaquim Pinheiro era uma das pessoas que, com o empresário de jogadores António Araújo e Reinaldo Teles, angariava prostitutas em bares do Porto que eram disponibilizadas a árbitros de futebol.
Segundo a ex-companheira de Pinto da Costa, os serviços de prostituição tinham como objectivo pagar arbitragens favoráveis ao FC Porto.
Segundo apurou o ‘CM’, Joaquim Pinheiro também terá sido uma das pessoas que avisou Pinto da Costa de que a sua casa ia ser alvo de buscas, no dia 2 de Dezembro de 2004, o que levou o líder portista a ausentar-se para Espanha.
NOTAS
SEGREDO DE JUSTIÇA
A FPF informou ontem que o Tribunal de Gondomar não lhe forneceu informações sobre o ‘Apito Dourado’ para não quebrar o segredo de justiça.
"GERENTE DE CAIXA"
“Gerente de caixa” e “engenheiro máximo” foram duas das expressões que António Araújo utilizou para se referir a Pinto da Costa.
"EU, CAROLINA"
No livro ‘Eu, Carolina’, a autora escreveu que Pinto da Costa não telefonava a árbitros, porque eles iam a casa do líder dos dragões.
ERROS A FAVOR DO FC PORTO
No jogo com o Beira-Mar (0-0), os peritos Vítor Pereira, Jorge Coroado e Adelino Antunes detectaram três erros do árbitro a favor do FC Porto.
LÍDER PORTISTA NEGA PRENDAS
Pinto da Costa disse à juíza Ana Cláudia Nogueira, do Tribunal de Gondomar, que o FC orto nunca deu prendas e dinheiro a árbitros.
ARGUIDOS
Todos os arguidos das 81 certidões relacionadas com o caso ‘Apito Dourado’ que não foram arquivadas, vão voltar a ser ouvidos.
AUTARCAS
Valentim Loureiro, 15 (número de certdões)
Avelino Ferreira Torres, 3
Isabel Damasceno, 2
Manuel Pinto Teixeira, 1
DIRIGENTES
Pinto de Sousa, 10
Pinto da Costa, 9
João Loureiro, 9
José Luís Oliveira, 7
António Henriques, 7
Júlio Mouco, 6
Azevedo Duarte, 6
Luís Nunes, 5
Carlos Carvalho, 5
Francisco Costa, 4
Rui Alves, 3
Aprígio Santos, 3
Joaquim Barbosa, 3
Carlos Silva, 2
José Veiga, 2
João Bartolomeu, 2
Artur Mesquita, 2
David Rodrigues, 2
António Candelária, 2
Adriano Pinto, 1
Reinaldo Teles, 1
Carlos Esteves, 1
Mário Graça, 1
Hernâni Silva, 1
Artur Azevedo, 1
Simão Ribeiro, 1
Antonino Silva, 1
Blanco Miranda, 1
TREINADOR
Mário Reis, 1
ÁRBITROS
Jacinto Paixão, 2
Augusto Duarte, 5
João Macedo, 5
Pedro Sanhudo, 19
Martins dos Santos, 5
António Perdigão, 4
Sérgio Jesus, 4
João Vilas Boas, 3
Licínio Santos, 3
Nuno Almeida, 3
Vasco Vilela, 3
Luís Lameira, 3
Óscar Coutinho, 3
José Alves, 3
Ricardo Sousa, 3
Paulo Batista, 2
Paulo Pereira, 2
Patrick Pinto, 2
José Chilrito, 2
Hernâni Duarte, 2
Ângelo Ferreira, 2
Nuno Borba, 2
José Ferreira Rodrigues, 2
Belarmino Aleixo, 2
Gonçalo Pires, 2
Joaquim Assunção, 2
José Ferreira, 2
Marco Santos, 2
Paulo Pinheiro, 2
Hélder Carvalho, 2
Amílcar Brito, 2
José Cardoso, 2
Leonel Moreira, 2
José António Pereira, 2
Paulo Paraty, 1
Lucílio Baptista, 1
Carlos Xistra, 1
Mário Mendes, 1
António Resende, 1
Artur Soares Dias, 1
Cosme Machado, 1
Carlos Amado, 1
Manuel Quadrado, 1
Devesa Neto, 1
António Neiva, 1
Nuno Fraguito, 1
Rui Rodrigues, 1
Sérgio Pereira, 1
Jorge Saramago, 1
José Palma, 1
Valente Mendes, 1
João Andrade, 1
Paulo Miranda, 1
Aníbal Gonçalves, 1
Carlos Rogério, 1
João Henriques, 1
Carlos Vigário, 1
António Bernardo, 1
Joaquim Freitas, 1
Bruno Costa, 1
António Moreira, 1
Bernardino Silva, 1
Joaquim Lourenço, 1
Francisco Vicente, 1
Pedro Maia, 1
Constantino Pereira, 1
Pedro Pereira, 1
Sérgio Cunha, 1
Marco Ferreira, 1
Francisco Ribeiro, 1
António Miranda, 1
Manuel Fernandes, 1
Jorge Ferreira, 1
Paulo Rodrigues, 1
Gil Teixeira, 1
Francisco Ferreira, 1
Daniel Santos, 1
Carlos Barros, 1
Rui Correia, 1
OBSERVADORES
Ezequiel Feijão, 3
Pinto Correia, 4
Serafim Nogueira, 2
Manuel Soares Dias, 1
Barbosa da Cunha, 1
João Penicho, 1
Paulo Pita, 1
José Mendonça, 1
Teresa Faria, 1
FUNCIONÁRIOS (LIGA)
Carlos Pinto, 3
(FPF)
Paulo Gonçalves, 1
EMPRESÁRIOS
António Araújo, 6
Sousa Cintra, 1
Couto Alves, 1
Joaquim Camilo, 1
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)