Carrilho: "Eu posso, devo e tenho o direito de me aproximar da Bárbara"

Carrilho nega ter entrado no prédio e acusa a apresentadora de lhe ter roubado um cheque no valor de 35 mil euros.
Por Marta Costa|06.12.18
Depois de o CM ter revelado que a polícia foi chamada a casa de Bárbara Guimarães no passado dia 29 de novembro, depois de esta ter acionado o botão de pânico ao aperceber-se da presença do ex-marido à porta do prédio onde vive, Manuel Maria Carrilho decidiu esclarecer a sua versão dos factos.
Carrilho: "Eu posso, devo e tenho o direito de me aproximar da Bárbara"

Esta noite, no programa ‘Rua Segura’, da CMTV, Manuel Maria Carrilho esteve em direto, através de uma chamada telefónica, e nega ter entrado no prédio onde vive Bárbara Guimarães.

O ex-ministro da Cultura alega que foi apenas buscar o filho a casa da mãe e que simplesmente tocou à campainha para que Dinis descesse. "Eu posso, devo e tenho o direito de me aproximar da Bárbara Guimarães sempre que estiver em causa as minhas responsabilidades parentais e, como sabe, eu tenho à minha guarda o meu filho Dinis que era quem eu ia buscar. Apenas toquei à porta para ele descer", afirma Manuel Maria Carrilho.

"Não há nenhuma transgressão de nenhuma norma", sublinha o ex-ministro. O ex-marido de Bárbara Guimarães acusa ainda a apresentadora de ter ficado com um cheque no valor de 35 mil euros. Esse montante tem a ver com acertos decididos pelo tribunal.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!