Barra Cofina

Correio da Manhã

Insólitos
2

Balenciaga arrasada por vender ‘bolsa saco do lixo’ inspirada nos refugiados por 1800 euros

Marca espanhola lançou mala com design insólito e gera polémica nas redes sociais.
Correio da Manhã 4 de Agosto de 2022 às 18:42
Balenciaga arrasada por vender ‘bolsa saco do lixo’
Balenciaga arrasada por vender ‘bolsa saco do lixo’
Balenciaga arrasada por vender ‘bolsa saco do lixo’
Balenciaga arrasada por vender ‘bolsa saco do lixo’
Balenciaga arrasada por vender ‘bolsa saco do lixo’
Balenciaga arrasada por vender ‘bolsa saco do lixo’
Balenciaga arrasada por vender ‘bolsa saco do lixo’
Balenciaga arrasada por vender ‘bolsa saco do lixo’
Balenciaga arrasada por vender ‘bolsa saco do lixo’

Depois de, em mail, ter dado que falar ao vender ténis rasgados, sujos e pintados por mais de 500 euros, a Balenciaga volta a estar no centro de uma grande polémica que estalou nas redes sociais. Desta vez, a marca espanhola de luxo está a ser arrasada por vender uma mala inspirada nos sacos do lixo, pela módica quantia de quase 1800 euros.

O modelo, a que a marca chama ‘bolsa saco do lixo’ foi apresentado na Semana da Moda de Paris, em março e chegou agora às lojas em quatro cores, habituais nos sacos de lixo de plástico que inspiram o design: preto, azul, amarelo e branco. No Twitter os utilizadores e fãs da marca não poupam críticas à Balenciaga, acusando a marca de "estar a levar a cabo uma experiência social mórbida", "fazer uma piada de mau gosto" e de "gozar com os mais pobres".

Denma Gvasalia, diretor criativo da marca justificou a coleção com a inspiração nos refugiados que fugiram da guerra na Ucrânia, dizendo que as notícias sobre o conflito "espoletaram a dor" que veveu quando ele foi também refugiado.

Gvasalia diz que quis homenagear a resistência das vítimas do conflito e que o foco fosse "a vitória do amor e da paz". "Não podia perder a oportunidade de fazer o saco do lixo mais caro do mundo. Quem é que não adora um escândalo no mundo da moda?", afirma à Women’s Wear Daily, indiferente ás críticas que falam em "aproveitamento da desgraça" e "mau-gosto".

Balenciaga Denma Gvasalia economia negócios e finanças bens de consumo política questões sociais refugiados
}