Cientista defensor da eutanásia cria máquina de suicídio

Cápsula que se enche de nitrogénio foi apresentada em feira de artigos funerários.
Por José Carlos Marques|17.04.18

É uma máquina já vista em filmes e séries de ficção, mas que pode agora tornar-se realidade. Uma feira de artigos funerários que decorre em Amsterdão foi o cenário para a apresentação do 'Sarco', uma cápsula de suicídio criada pelo cientista e ativista pela eutanásia australiano Philip Nitschke e pelo designer holandês Alexander Bannink.

A controversa criação consta de uma cápsula em que o paciente entra e se deita. Depois de o compartimento estar fechado resta-lhe carregar num botão que aciona um mecanismo que enche o compartimento de nitrogénio. O paciente fica inconsciente em um minuto e morre ao fim de cinco, garantem os inventores. O invento inclui um compartimento destacável que pode servir como caixão.

O projeto foi criado com uma impressora 3D e os seus inventores planeiam em tornar o projeto público, para que todos possa fabricar o 'Sarco' - acrónimo de sarcófago -  em casa.

pub

pub