Barra Cofina

Correio da Manhã

Insólitos
5

Fanática do fitness desenvolve doença mortal por treinar demais no ginásio

Jovem de 23 anos sentia falta de ar e dor "muito intensa" depois dos exercícios. Tinhas os músculos e os rins a serem destruídos.
Correio da Manhã 30 de Agosto de 2020 às 19:22
Kiana Alvarez tem 23 anos
Kiana Alvarez tem 23 anos
Kiana Alvarez tem 23 anos
Kiana Alvarez tem 23 anos
Kiana Alvarez tem 23 anos
Kiana Alvarez tem 23 anos

Uma jovem inglesa de 23 anos, que se assume fanática do fitness e bem-estar, travou um duro combate contra uma doença mortal, que desenvolveu depois de ter treinado em excesso no ginásio.

Kiana Alvarez começou a sentir dificuldades em respirar e dores "supre intensas" no corpo ao terminar os treinos. Achava que era normal e que se devia à exigência dos exercícios mas um dia, quando percebeu que não se conseguia levantar devido às dores e não conseguia mesmo respirar, percebeu que se tratava de algo sério. Suspeitava de rabdomiólise, doença que afetou o seu ídolo, a culturista e estrela do crossfit Dana Linn Bailey, que se viu envolvida numa luta contra a condição durante mais de um ano.

O diagnóstico veio confirmar as suspeitas. A rabdomiólise é uma doença rara que se desenvolve a partir de uma lesão muscular. As fibras que constituem os músculos começam a morrer e o seu conteúdo é libertado para a corrente sanguínea, acabando por afetar os rins, que não conseguem fazer a correta filtração das substâncias e entram em falência. Se não tiver tratamento imediato, pode resultar na morte do doente.

"Fui eu que dei o alerta aos médicos, porque eles não sabiam o que podia estar errado comigo", revela Kiana ao Saturday Telegraph. A jovem, que esteve hospitalizada em estado grave, deixa agora o alerta para os comportamentos a evitar, para prevenir a doença que ameaça a sua própria vida.

"Eu não bebia água o suficiente e treinava todos os dias de manhã antes de comer. Estava muito desidratada sempre. E assim os músculos morrem. É o que acontece, começam a ser destruídos devagarinho e os fluidos entram na corrente sanguínea, nos rins e no fígado", conta a inglesa.

Apesar do susto, Kiana já tem planos para regressar à atividade física. "Já tive alta e disseram-me que podia voltar a treinar. Claro que vou logo para o ginásio, mas agora vou puxar menos por mim", termina.

Kiana Alvarez desporto saúde ginástica questões sociais doenças