Finge ser médico para abusar sexualmente de grávida

Homem de 58 anos foi condenado a seis anos e quatro meses de prisão, em Londres.
17.05.18
Gregory Boyle fingiu ser médico para poder agredir sexualmente uma mulher grávida enquanto estava num hospital de Bromley, em Londres.  

O homem, de 58 anos, terá referido que era cardiologista e dito à paciente para realizar um "exame íntimo", antes de várias enfermeiras preocupadas terem descoberto o que se passava. 

A Scotland Yard, sede central da Polícia Metropolitana de Londres, sublinha que poderá ter havido mais vítimas e que estas deverão fazer a denúncia. 

pub

pub