Barra Cofina

Correio da Manhã

Mais CM
9

Direito de resposta e retificação de Bombeiros de Faro - Cruz Lusa

Referente à notícia "Atraso de ambulância cancela transplante".
19 de Maio de 2019 às 01:30
Na sequência da notícia publicada dia 16 de maio, com o título ‘Atraso de ambulância cancela transplante’, recebemos o seguinte esclarecimento do presidente da Associação Humanitária de Bombeiros de Faro – Cruz Lusa:

"1. O doente candidato a transplante pulmonar, Luís Paulo Pereira Correia, entregou em janeiro de 2019, na Associação, uma comunicação do Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE que, solicita aos Comandantes de Corporações de Bombeiros a colaboração no seu transporte;

2. A esposa do doente, no dia 10 de maio do corrente, às 15h00, ligou para a Central a solicitar o serviço de transporte e pediu que esperássemos 1 h para lhe dar tempo de encerrar a sua loja em Tavira e chegar a casa em Olhão;

3. A única ambulância disponível para o transporte do doente regressava de Lisboa de um outro serviço;

4. Após a chegada da ambulância, ocorreu mudança de equipa de bombeiros;

5. Antes de se dirigirem à casa do doente, houve a necessidade de abastecer o veículo;

6. Chegada a casa do doente perto das 17h00, seguindo imediatamente para Lisboa;

7. A esposa do doente, acompanhou, na sua viatura particular, sempre o transporte do doente. Doente esse que seguia na ambulância;

8. O doente durante o trajeto solicitou uma paragem cerca de 20 minutos para beber café numa das estações de serviço da A2;

9. O Hospital ligou ao doente próximo da localidade Alcácer do Sal a informar que este podia regressar a casa visto o procedimento não se efetuar, por motivos não revelados;

10. O doente solicitou que o seu retorno fosse concretizado, no seu veículo particular, com a esposa.

11. Regressámos ao Quartel já sem o doente.

De salientar que, o facto de aceitarmos a comunicação supra citada não nos responsabiliza pelo serviço de transporte, devendo esta ser entregue a várias entidade para a existência de diferentes possibilidades de contacto, uma vez que é o doente responsável por providenciar o seu transporte.

Em momento algum o Comandante deste Corpo de Bombeiros assumiu o compromisso de ter um veículo e equipa disponível 24h00/dia para a realização deste serviço, quer para outros serviços com doentes de transplantes.

Neste caso em particular, o transporte de doente, visto não necessitar de aporte de oxigénio, pode ser realizado em veículo não urgente.

Com suporte do relatório do Hospital de Santa Marta – CHLC, EPE em anexo, não nos responsabilizamos por não ter sido efetuado o transplante pulmonar, devendo-se esta infeliz ocorrência aos critérios de transplante."
Steven Sousa Piedade
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)