Barra Cofina

Correio da Manhã

Mais CM

Candidatos à Presidência da República

Foi o mais indisciplinado de todos os debates entre os principais candidatos à Presidência da República (PR).
15 de Janeiro de 2006 às 00:00
Candidatos à Presidência da República
Candidatos à Presidência da República
Na RTP, a 22 de Dezembro, Mário Soares fez marcação cerrada àquele que ocupara São Bento quando ele estava em Belém. Aníbal Cavaco Silva, esfíngico, só a certa altura deixaria escapar: “Não quero ser deselegante mas tenho de me conter”, quando Soares pôs em causa o seu prestígio na UE.
Foi o primeiro e único frente-a-frente entre Mário Soares e Aníbal Cavaco Silva.
Há 20 anos, um deles, Soares, abria as portas de Belém ao outro, o então primeiro-ministro Cavaco Silva. Coabitação longa, nem sempre cordata, Soares ajudou ao fim da era Cavaco.
Tantos anos depois, o professor catedrático avançou pela segunda vez para Belém; apresentou-se por último, insistindo na independência.
Sob o estigma da instabilidade política, o ataque que mais lhe têm feito é de ter mais perfil de primeiro-ministro do que de presidente. O ‘papão’ não colhe, criou-se uma espécie de mito sebastiânico – Cavaco sempre liderou as sondagens.
Quando esteve em Belém, Mário Soares voou meio mundo; foi o verdadeiro Presidente de todos os portugueses. Lisboeta e advogado, ele sente-se manifestamente à vontade no papel de pai da Nação.
O líder histórico dos socialistas, combatente da ditadura, fundador da democracia portuguesa diz ter avançado para estas eleições por uma espécie de chamamento. Diz que Portugal precisa dele. Imbuído nessa certeza tem exibido na campanha uma energia não muito usual a quem como ele é maior de 80. O esforço não colhe intenções de voto, ainda que insista em negação que sondagens... “pois, valem o que valem.”
Cavaco Silva é o social-democrata, o líder surpresa do Congresso da Figueira da Foz, chefe do mais longo período de estabilidade política em Portugal (1985/95), período de liberalização e crescimento económico.
Como homem é a antítese de Soares, avesso às câmaras, frugal no convívio que recentemente confessou: “Dizem que sou autoconvencido.”
Soares é o homem dos gestos largos, da gargalhada, do abraço e do beijinho, aquele que não resistiu e nem achou impossível este último combate. O candidato que os socialistas no Governo lançaram para fazer o pleno em São Bento e Belém.
ESTATÍSTICA
As sondagens publicadas nos últimos meses no CM mostram que Cavaco lidera as intenções de voto com clara vantagem. Mas Soares não desiste.
- Setembro de 2005 (dias 17 e 18): Cavaco Silva lidera com 45,9 por cento das intenções de voto contra os 18,4 por cento atribuídos à candidatura de Mário Soares.
- Outubro de 2005 (dias 17 a 19): Cavaco Silva lidera com 56,2 por cento das intenções de voto contra os 10,2 por cento atribuídos à candidatura de Mário Soares.
- Novembro de 2005 (dias 7 e 8): Cavaco Silva lidera com 52,7 por cento das intenções de voto contra os 11,2 por cento atribuídos à candidatura de Mário Soares.
- Nov./Dez. de 2005 (dias 30 a 2): Cavaco Silva lidera com 50,9 por cento das intenções de voto contra os 14,7 por cento atribuídos à candidatura de Mário Soares.
- Janeiro de 2006 (dias 3 e 5): Cavaco Silva lidera com 54,6 por cento das intenções de voto contra os 13,8 por cento atribuídos à candidatura de Mário Soares.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)