Barra Cofina

Correio da Manhã

Mais CM
9

Conselhos aos Jovens

A tão falada “empregabilidade” não deve condicionar a escolha de um curso universitário.
Maria Filomena Mónica 29 de Abril de 2018 às 15:00
A tão falada "empregabilidade" não deve condicionar a escolha de um curso universitário

Na minha qualidade de docente e de avó, tenho debatido com jovens a forma como escolher um curso universitário. A primeira coisa que lhes digo é que, mesmo no caso de terem médias altas no 12º ano, não vão necessariamente para Medicina ou para Gestão, as opções que, tendo em conta uma real ou suposta "empregabilidade", os paizinhos preferem.
Depois, relembro-lhes que uma Universidade não serve apenas, nem sobretudo, para formar os indivíduos robóticos que os políticos julgam necessários ao funcionamento da Economia. Uma boa Universidade destina-se, sobretudo, a ensinar a pensar.

O que importa
Os jovens não devem encarar a Universidade como um comboio. Se tiverem escolhido um curso cujos carris conduzam a um trabalho que descubram não ser do seu agrado, devem voltar atrás. Pena é que as Universidades portuguesas não tenham, como os comboios, alguns ramais, de onde se possa saltar de um para apanhar o outro.
O que importa não é apenas a qualidade dos docentes, mas a dos alunos pois, até certo ponto, são estes que determinam o grau de exigência de um curso. Actualmente, talvez a profissão mais apetecível seja a de Jornalismo, considerada como uma luta gloriosa contra os poderosos, mas não se inscrevam numa licenciatura em Jornalismo mas num curso que vos dê uma sólida base de cultura geral. Esta obtém-se em História, em Filosofia ou em Literatura. Nos bons romances está lá tudo, o que ajudará os jovens a sair da redoma onde foram criados. Viajar é importante e, com o apoio do plano Erasmus, isso é mais fácil do que no meu tempo. Infelizmente, a forma como o esquema financiado pela UE está montado faz com que apenas possa ser utilizado por alunos cujos pais tenham rendimento. Aconselho a leitura da transcrição da conferência feita em 2008 por J.K. Rowling - sim, a do Harry Potter - aos alunos de Harvard, ‘Uma Vida Muito Boa: Os Benefícios do Fracasso e a Importância da Imaginação’. Vejam aforma como ela soube ultrapassar os desejos dos pais, que procuraram convencê-la a que escolhesse um curso com maior "empregabilidade". Mal sabiam que, ao resistir ao seu apelo, ela se iria tornar milionária.


Emprego
Notícia que se celebrou suficientemente

Pelo segundo mês consecutivo, a taxa de desemprego ficou abaixo de 8%, notícia que não foi suficientemente celebrada. É preciso recuar até 2004 para se encontrar um número tão baixo quanto este. Além disso, o desemprego jovem, possivelmente ainda mais trágico do que o dos adultos, também desceu.  

Viagens dos deputados  
Parabéns Deputada Rubina Berardo

Parabéns à deputada Rubina Berardo por ter optado por não exigir o dinheiro em duplicado a que, segundo a lei, tinha direito quando viajava para a Madeira. Sendo os deputados quem confecciona as leis, pode acontecer que nelas metam alçapões que facilitem a corrupção. A resposta de Ferro Rodrigues é uma vergonha. 

Pré-escolar 
Maioria tem base para sucesso no futuro

A maioria dos especialistas está de acordo em que a frequência do ensino pré-escolar é determinante. Inferior a 50% em 1990, andará hoje nos 90%. Sei que falta organizar uma rede decente de creches, mas o facto de a maioria ter hoje ao seu dispor uma instituição que a prepara para o futuro é de realçar.

Fugir de: Corrupção GPS

Um grupo de videirinhos, que dá pelo nome de ‘GPS’, conseguiu obter verbas avultadas para certas escolas privadas. Entre 2005 e 2013, o Ministério da Educação ter-lhe-á entregado 300 milhões de euros, dinheiro que, em parte, seria gasto em jantaradas, carros e cruzeiros nas Caraíbas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)