Barra Cofina

Correio da Manhã

Mais CM
2

Insónia no sonho

‘A origem’ no filme de Christopher Nolan, uma equipa de quase-super-heróis entra nos sonhos dos outros para roubar segredos e criar ideias.
Joana Amaral Dias 22 de Agosto de 2010 às 00:00
Insónia no sonho

Vive-se, cada vez mais, em múltiplos níveis de realidade, através de jogos de computador ou de outras interacções virtuais. O cinema reflecte essa tendência. Sobretudo desde ‘Matrix’, surgiram vários filmes sobre universos paralelos. Já ‘A Origem’ centra-se numa dimensão alternativa que sempre existiu: os sonhos.

Na Antiga Grécia acreditava-se que muitas terapêuticas passavam por "incubar" sonhos em templos. No Egipto, os sacerdotes interpretavam-nos como mensagens de Deus. A Bíblia também os descreve como revelações. Salomão fala com Deus nos seus sonhos. Daniel interpreta-os. A José foi dito para fugir para o Egipto. Na Idade Média cria-se que essa imaginação involuntária eram os Portões de Chifre e do Marfim de estados míticos.

Os sonhos são tecido da literatura, como na ‘Ilíada’, ou da pintura, de Giotto a Dalí. "Porque vemos mais claramente em sonhos?", perguntava da Vinci. "Sonhei um sonho que parecia a revelação de todo o conhecimento", declarou Shakespeare. E claro, os sonhos povoam o cinema, seja nos filmes de Tarkovsky (‘Espelho’), Kurosawa (‘Sonho) ou David Lynch. Aliás, ir ao cinema é sonhar acordado.

Quem nunca sonhou que voava? Os sonhos da humanidade partilham muitos elementos comuns, o que inspirou a teoria de Jung sobre sincronicidade e inconsciente colectivo. A ciência vê-o como um mistificador. No entanto, essa corrente influenciou a cultura pop e ‘A Origem’.

SONHOS PARTILHADOS

Se sonhar é a actividade solitária, neste filme uma equipa de quase-super-heróis entra nos sonhos dos outros para roubar segredos. Ou, pior, para plantar novas ideias. São agentes hackers especiais que se tornam ratos no labirinto da imaginação alheia. Por um lado, a intriga joga com as características dos sonhos, como a sua volatilidade na memória, o sonho dentro do sonho, ou o facto de a actividade onírica quebrar as leis da física, do espaço e do tempo. Uma vida inteira pode ser sonhada numa noite. Por outro lado, "plantar uma ideia" remete para a força dessa maré viva ou, como dizia Vítor Hugo, "pode-se resistir à invasão dos exércitos. Mas não à das ideias".

São mesmo ideias e referências que atravessam constantemente ‘A Origem’: ‘James Bond’, videojogos, desenhos de Escher. Se fosse realizado por Resnais ou Cocteau, talvez se potenciasse a irracionalidade dos sonhos. Porém, com Nolan, este filme consegue ser um monumento visual a partir desse aglomerado colossal de citações, conceitos, imagens que todos partilhamos. A partir do nosso arquivo colectivo. E consegue que o espectador sinta que somos todos super--heróis surrealistas depois de adormecer. O cineasta planta essas ideias na cabeça da plateia. Acredite que depois não saem facilmente. 

RESUMO

Uma equipa de ‘sabotadores’ entra nos sonhos das vítimas para lhes plantar ideias.

TÍTULO ORIGINAL

‘Inception’

REALIZADOR

Christopher Nolan

INTÉRPRETES

Lonardo DiCaprio, Marion Cotillard e Ellen Page

EXPOSIÇÃO: ‘VIVA A REPÚBLICA!’

Visitar a exposição ‘Viva a República!’ é atraente para todos e um íman para os mais novos. Os filmes, vários inéditos, são imperdíveis. Mas também se pode ir a um comício republicano ou reviver a travessia do Atlântico de Sacadura Cabral e Gago Coutinho.

RESUMO

Exposição sob a égide da Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República, mostra o período da I República com vários conteúdos multimédia.

Local: Cordoaria Nacional, Lisboa.

Entrada: Livre

Horários: todos os dias, das 10h00 às 18h00

DVD: ‘SHERLOCK HOLMES’

Apesar de mal recebido, o ‘Sherlock Holmes’ de Guy Ritchie mostra outro prisma do mais famoso detective, levando às últimas consequências o seu brilhante raciocínio dedutivo: as proezas cerebrais são também físicas, neste filme de acção e mistério.

RESUMO

O detective é perito em artes marciais e farta-se de esmurrar os inimigos.

Título original: ‘Sherlock Holmes’

Realizador: Guy Ritchie

Intérpretes: Robert Downey Jr. e Jude Law

EXPOSIÇÃO: ‘WARHOL TV’

Warhol invejava o poder da TV e sonhava ter um programa. Conseguiu. Nesta exposição descobrem-se os seus clips para a MTV, anúncios e até a sua participação no ‘Barco do Amor’, entre outras vídeo-excentricidades do mais celebrado artista pop do século XX.

RESUMO

Até 14 de Novembro, o Museu Colecção Berardo apresenta a exposição ‘Warhol TV’, produzida em cooperação com o The Andy Warhol Museum, de Pittsburgh (EUA).

Local: Museu Colecção Berardo – Centro Cultural de Belém – Lisboa

Entrada: Livre

Horário: Todos os dias das 10h00 às 19h00. sábado das 10h00 às 22h00

FUGIR DE...

‘O ÚLTIMO AIR BENDER’

‘Airbender’ vai atrás do 3D, sem saber o que fazer dele. Resultado: um filme para adolescentes infantis ou adultos ‘Peter Pan’. Shyamalan não acerta. A sua obra, apesar de bons momentos cinematográficos, segue uma rota descendente desde a primeira longa-metragem. Pena.

RESUMO

Durante milénios, as tribos do Ar, Água, Terra e Fogo viveram em harmonia, mas o equilíbiro foi quebrado. Cabe a ‘Aang’ repor a paz.

Realizador: M. Night Shyamalan

Intérpretes: Noah Ringer e Dev Patel

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)