Barra Cofina

Correio da Manhã

Mais CM
8

O charme perfumado da desempregada

Quarentona aloirada bem medida, caminha com ar decidido por uma rua da Amadora. Numa mão, a pasta tipo James Bond. Da outra, brotam meia dúzia de tiras de papel branco.
17 de Março de 2013 às 15:00
Victor Bandarra, Ligação Directa, desempregada
Victor Bandarra, Ligação Directa, desempregada

 À porta do pequeno restaurante, cinquentão barrigudo encolhe--se ao frio enquanto puxa fumaça do cigarro. A mulher avança e estica-lhe os papelinhos.

– Muito boas tardes ao senhor! Faça o favor de cheirar aqui!

O homem hesita, assustadiço. A mulher, charmosa, insiste de rajada.

– Não tenha medo! Hoje é o Dia da Mulher. A sua esposa vai ficar delirante com estes perfumes de alta categoria. Todos muito em conta...

– Ó menina! Não percebo nada de perfumes! – explica-se ele, indeciso entre o voltar ao quente da tasquinha e a quentura vocal da loira. – Estou só aqui a almoçar com uns amigos...

A mulher faz beicinho. É vendedora de perfumes low-cost, de imitação, genéricos, "fragrâncias similares às dos melhores perfumes internacionais". Por 10/15 euros, 20 no máximo, o homem vai fazer um vistão lá em casa. Palavra puxa palavra, sabe-se que as vendedoras são largadas pelas esquinas do país. Vendem perfumes espanhóis. Explica a mulher que acabou de sair do Centro de Emprego. Ainda nada! Não há trabalho para ex-secretária de administração de conhecida multinacional. Dedica-se aos perfumes, é especialista na matéria. Em menos de nada, os amigos do fumador barrigudo estão de volta da mulher que faz pela vida. Educada e pestanuda, ela espalha sedução e perfumes pela mesa do restaurante.

O meu amigo Zé dos Pneus ia sendo apanhado pelos perfumes low--cost mas resistiu a tempo. Mentiroso, explicou à menina desempregada que anda a cortar na comida, não tem lata para comprar perfumes. "Poupo na comida e no colesterol..." Contribui para o agravamento da recessão. Apanhadas pelo desemprego, licenciadas e secretárias topo de gama, operárias e funcionárias públicas, muitas dedicam-se à venda de perfumes de imitação. No fim, não têm outro remédio senão impingir o produto a amigos, familiares, conhecidos. Mas a mulher é profissional – em menos de nada vende uns 100 euros de perfumes low-cost aos amigos do amigo de ocasião. E parte com sorriso luminoso. A sós, os seis homens entreolham-se. "Já fomos enganados", diz um deles. "E a culpa é toda tua, meu maluco!" O barrigudo solta sorriso melancólico. "Eu sei! Mas lembrei--me do tempo em que vendia enciclopédias porta a porta!" lD

Victor Bandarra Ligação Directa desempregada
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)