Barra Cofina

Correio da Manhã

Mais CM
4

OS ELEITOS

Segundo as leitoras da Domingo Magazine, Luís Figo, Zinedine Zidane e David Beckham foram os futebolístas mais charmosos do Mundial 2002. Tal como prometemos, aqui se traça o perfil desses jogadores que, além de talento, espalham sensualidade pelos relvados
5 de Julho de 2002 às 19:59
OS ELEITOS
OS ELEITOS
Nos últimos anos, um fenómeno curioso tem vindo a verificar-se: há cada vez mais mulheres a vibrar com o desporto-rei. Vestidas a rigor, com as cores e o cachecol do clube de eleição, as adeptas até já dominam a linguagem do futebol, e não hesitam em gritar falta, fora de jogo ou pénalti, sempre que a ocasião o exige. Quase tão ruidosas como os homens, as fãs já conhecem de cor e salteado os nomes dos jogadores da selecção, e durante o Mundial 2002, também não pouparam críticas à equipa, o que só mostra que a paixão pelo futebol é cada vez mais feminina.

De acordo com os resultados do passatempo promovido pelo Domingo Magazine, que teve como objectivo eleger o jogador mais sexy , o coração bate sempre mais forte quando o português Luís Figo, o enigmático Zinedine Zidane ou o spice boy, David Beckham, entram em campo. É aqui que reside a principal diferença entre a legião de fãs deste desporto, e os adeptos mais fanáticos, que têm o terrível defeito de admirar um jogador durante anos, sem nunca repararem no seu sorriso perfeito sempre que marca um golo.

Felizmente, o espírito observador das mulheres permite-lhes estar com atenção ao jogo enquanto observam, atentamente, o novo penteado de Sérgio Conceição ou as pernas atléticas de Maldini da selecção italiana. E se na equipa italiana não faltam razões para gostar de futebol, a verdade é que não conseguiram destronar a liderança de Figo, que durante o Mundial nunca perdeu o primeiro lugar do pódio. Já a luta entre o 2o e o 3o lugar foi mais renhida, mas a experiência de Zidane acabou por ofuscar o penteado de Beckham, que apesar de ter sido uma das modas mais marcantes deste torneio, não convenceu as portuguesas. Conheça, de perto, estes três craques.

Figo: Nascido para Vencer

Para um país que ainda não se habituou a assistir ao triunfo e à consagração de portugueses no mercado internacional, Luís Figo, 30 anos, é uma verdadeira lufada de ar fresco. Actual detentor do galardão de melhor jogador do Mundo, (prémio atribuído pela FIFA), Figo é uma vedeta mediática, à escala mundial, cobiçado pelo actual mercado da publicidade, onde dá a cara pela Galp Energia, a Coca-Cola, o Banco Português de Negócios e a Nike, (que continua a surpreender o público com a genialidade dos seus spots publicitários). Além de ganhar mais de oito milhões de euros por ano, estes contratos fizeram do jogador, natural de Almada, um milionário à força.

Reservado quanto à sua vida privada, Figo não tem por hábito expor a sua mulher, Helen, (uma modelo sueca), e as suas duas filhas, aos flashes das câmaras fotográficas. Até no dia do seu casamento, no Algarve, Figo fez os possíveis para afastar os media deste acontecimento social, uma reacção que não foi bem vista pelos jornalistas e alguns fãs, já que o exclusivo desta cerimónia foi parar às mãos de uma revista espanhola.

Nos últimos anos, o seu estilo fora dos relvados tem vindo a sofrer algumas alterações, que não passam despercebidas às inúmeras fãs. Depois de ter cortado os caracóis, um penteado que marcou os primeiros anos da sua carreira, Figo tem sabido utilizar a moda a seu favor e já não dispensa as boas marcas italianas, como a Gucci ou Armani, que o ajudaram a tornar-se num sex symbol do futebol internacional.

Foi no clube Os Pastilhas, que deu os primeiros toques na bola. Aos 11 anos já jogava no Sporting. E com apenas 16 anos, integrava a equipa titular, mas foi ao serviço da selecção de juniores que se destacou, juntamente com João Pinto e Rui Costa, ao ganhar o campeonato de Sub-16 e, dois anos mais tarde, a mítica geração de ouro tornou-se campeã de Sub-21. No clube de Alvalade, à custa de muito trabalho e força de vontade, Figo conseguiu conquistar a braçadeira de capitão de equipa, que recebeu aos 23 anos. Mas o Sporting tornou-se pequeno demais para este jogador, que acabou por ir parar à cidade de Barcelona após a decisão da FIFA, que o proibiu de mudar para a Itália durante dois anos, depois de ter assinado um contrato com duas equipas, a Juventus e o Parma.

Depois da saída do jogador Michael Laudrup, Johan Cruyff, (ex-treinador do Barça), viu que Figo tinha capacidades suficientes para substituir o dinamarquês: extremamente profissional, líder dentro das quatro linhas e os seus famosos centros milimétricos, bastaram para convencer Cruyff. Adorado pelos fãs do clube catalão, onde conquistou um sem número de títulos, a desfeita chegaria no Verão de 2001, quando Figo se tornou no trunfo de Florentino Perez, candidato à liderança do Real Madrid. Pela "módica" quantia de 12 milhões de contos, o jogador trocou a camisola do Barça, pelo equipamento dos merengues.

Colega de Zinedine Zidane, também Luís Figo teve uma prestação para esquecer durante este Mundial. Já a descansar em Vilamoura, onde pode ser visto na companhia do seu amigo, Paulo China, Figo prepara-se para enfrentar a próxima época em melhores condições, já mais refeito da lesão no joelho, que tanta tinta fez correr nos meios de comunicação social, e que o obrigou a declarar, dias antes do jogo contra os Estados Unidos: “O meu joelho não é um assunto de estado”.

Zidane: Um Modelo Francês

O que está a fazer o francês, Zinedine Zidane, no segundo lugar do top dos jogadores mais sexys do mundial? O mais intrigante, é que conseguiu ultrapassar o mediático David Beckham, na recta final deste passatempo. Terá havido algum erro na contagem dos votos? Antes fosse, mas está provado que as mulheres portuguesas deliram com o seu ar másculo e sorriso tímido. O mais curioso, é que o atleta nem precisou de se esforçar muito neste Mundial, (devido a uma lesão, só jogou contra a selecção dinamarquesa) para entrar directamente para a segunda posição do pódio. Qual será o seu segredo?

Talvez a resposta seja mesmo essa: Zinedine tem algo de misterioso, e prefere dar-se a conhecer dentro das quatro linhas e não nas revistas sociais, o que desperta a curiosidade do público feminino. Apesar de não ter o charme do português Luís Figo, nem o estilo inconfundível de David Beckham, a marca Christian Dior também não ficou indiferente ao seu carisma e escolheu-o como modelo desta prestigiada casa de alta costura.

O jovem Zidane começou a aprender a jogar futebol nas ruas de Marseilles, onde nasceu, no dia 23 de Junho de 1973. Filho de emigrantes argelinos, aos 16 anos o seu talento já não passava despercebido e o AS Cannes foi o primeiro clube profissional a conceder-lhe a oportunidade de revelar toda a sua arte e engenho em campo. O primeiro golo, ao serviço da equipa titular, surgiu no dia 8 de Fevereiro de 1991, e tal como lhe havia prometido, o presidente deste clube ofereceu-lhe um Clio, para sinalizar esta data. Foi na elegante cidade francesa que Zizou, (como também é conhecido), conheceu Veronique, uma bailarina espanhola, que se tornaria na sua mulher. Os dois têm dois filhos, Enzo e Lucas, com os quais Zidane faz questão de passar todos os tempos livres.

Profissionalmente, Zidane estava preparado para mudar de ares. Já na equipa do Girondins de Bordeaux, o francês continuou a dar provas do seu talento, e tinha o apoio do treinador, o benfiquista Toni, (ao serviço do Bordéus, na época 94/95) que não lhe poupava elogios. Foi neste clube que a sua performance mereceu ser comparada ao legendário Michel Platini, (uma referência do futebol internacional), ao ajudar a equipa a chegar à final da Taça UEFA, mas o Bayern de Munique foi mais forte e levou para casa o desejado troféu. Mas durante a sua estadia em Itália, na Juventus, prémios e títulos tornaram-se cada vez mais comuns.

Zizou surpreende os adeptos com a qualidade do seu passe e drible, e mostra-se um exímio organizador do ataque, talento esse que alcança fama mundial. Para quem duvidava deste atleta, em 98, a França chega à final do Mundial e os dois golos de Zizou são suficientes para derrotar o Brasil e fazer da selecção Les Bleus, campeã. Eleito pela FIFA, o melhor jogador desse ano, (título que lhe seria atribuído, uma vez mais, em 2000), Zinedine torna-se na transferência mais cara da história quando é vendido ao Real Madrid, por 70 milhões de euros, na época passada. E apesar de ter ficado em 2o lugar do pódio, tem o previlégio de figurar no 1o lugar do top de jogadores mais ricos do mundo, recebendo mais de 13 milhões de euros por ano.

David Beckham: O Spice Boy do futebol

No jogo contra a selecção argentina, no último campeonato do mundo, que se disputou em França, David Beckham não soube controlar o seu feitio e agrediu o jogador Diego Simone, uma entrada que lhe valeu a expulsão e a consequente saída da Inglaterra desta competição, que acabou por não resistir à pressão dos argentinos e perdeu o jogo.

Os fãs e a comunicação social não lhe pouparam críticas e apupos. E até a sua relação com a Spice Girl, Victoria, foi alvo de uma intensa campanha de difamação, já que os dois nunca esconderam o seu fascínio por roupas de marca, jóias, carros desportivos e festas, um lifestyle que não é compatível (ou não deveria ser), com a vida de atleta de alta competição.

Para muitos, David Robert Beckham, nascido a 2 de Maio de 1975, não passava de uma vedeta pop vestida com um equipamento de futebol, e os jornais chegaram a avançar com a possibilidade de David deixar o Manchester United e ir jogar para Itália, de modo a ter mais sossego. Mas nada disso acabou por acontecer, já que o inglês estava determinado a dar a volta por cima.

Na época 98/99, Beckham foi vital para o sucesso do seu clube, que ficou em primeiro lugar da Premiereship, ganhou a taça de Inglaterra em futebol e levou para casa a taça UEFA. Resultados que só foram possíveis graças aos seus inconfundíveis cruzamentos, (que se tornam pénaltis), aos seus famosos livres e passes, de quase 30 metros. Aos poucos, a opinião pública foi esquecendo aquele episódio infeliz, e nesse ano Beckham concretizou o sonho de se tornar pai, ao receber de braços abertos o pequeno Brooklyn. Em Julho desse mesmo ano, a cerimónia do seu casamento com a posh spice, torna-se num dos eventos mais mediáticos do ano.

Seja pelo seu novo penteado ou porque a sua mulher não resiste a contar pormenores íntimos da sua vida privada – (para a história fica a revelação do seu cognome golden balls, nome esse que Victoria não se importou de partilhar com o resto do mundo) – a verdade é que David está sempre nas notícias ou na capa de algumas das mais prestigiadas revistas, como a GQ ou a Marie Claire. Um verdadeiro sex symbol à escala mundial que fez furor no Japão e na Coreia, com um penteado moderno e algo irreverente.

À espera do segundo filho já para o mês de Setembro, este atleta tem vindo a dar provas que não é só uma “carinha laroca” e neste Mundial, mostrou que o treinador da selecção, Sven-Goran Ericksson, tinha razão quando o escolheu para capitão da equipa. Apesar de não estar totalmente recuperado da sua lesão, (partiu um osso do dedo do pé algumas semanas antes de partir), conseguiu levar a equipa até aos quartos de final. O futuro adivinha-se risonho...
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)