Barra Cofina

Correio da Manhã

Mais CM
2

Pinheiros mansos e cobras bravas

Ontem participei de um evento literário internacional no Teatro Municipal de São Luiz, em Lisboa. Não pude deixar de pensar em literatura (nem parar de pensar em mulheres). Como se não bastasse a concorrência electrónica, um dos problemas dos romances de hoje é a escassez do romanesco.
10 de Maio de 2009 às 01:00
Pinheiros mansos e cobras bravas
Pinheiros mansos e cobras bravas

Digitei no Google J. M. Coetzee (escritor sul-africano e Prémio Nobel da Literatura em 2003) e a palavra 'económico' (que define o seu estilo) – obtive novecentos e sete resultados! Ora, como leitor, não quero que os autores economizem comigo! Quero que me estraguem com mimos! Bato os meus talheres na mesa e exijo aquilo que certos restaurantes chamam 'menu degustação' – um rodízio fino de comes e bebes. Raios, um niquinho de imaginação nunca matou um ficcionista!

Outro dia li o seguinte nos jornais. Um cirurgião russo abriu o pulmão de um rapaz para extirpar-lhe um suposto tumor maligno. Em vez disso, encontrou um broto de pinheiro a crescer todo lampeiro em pleno órgão – já media cinco centímetros. O médico deduziu que o jovem inalara uma semente, que desatara a germinar no pulmão – apesar de este não ser propriamente o local mais ensolarado do Mundo. Se não fosse removido, no próximo mês de Dezembro o rapaz seria uma Árvore de Natal humana.

No Quénia, um camponês foi apanhado por uma pitão de quatro metros de comprimento, que o levou para o cimo de uma árvore e passou três horas a tentar triturá-lo e engoli-lo. O homem retaliou com uma dentada na cobra. Aproveitando a compreensível estupefacção do réptil, a presa sacou do telemóvel e pediu ajuda. A pitão foi capturada e confinada numa arrecadação, donde, segundo a polícia, fugiu por debaixo da porta e voltou para a selva. Não ficou claro como uma cobra capaz de engolir um adulto pode passar sob uma porta. A vida imita a arte? Por vezes, aperfeiçoa-a.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)