Barra Cofina

Correio da Manhã

Mais CM
6

Segredos de um Verão ‘in’

Chegaram as férias e com elas o desejo de ser mais belo, mais ‘cool’ e impressionar os outros
4 de Julho de 2010 às 00:00
Esticar a toalha na praia não basta para se ter um Verão em grande
Esticar a toalha na praia não basta para se ter um Verão em grande FOTO: Nacho Doce, Reuters

Passa-se o ano a contar os dias que faltam para as férias, que se planeiam tanto como a própria vida. Quando estão à porta, somente ir não chega. É preciso estar bem e parecer ainda melhor. Somos seres gregários por natureza. E nas férias mais ainda...

Querer melhorar, ser mais belo, mais feliz – e desejar que os outros repararem – é normal, segundo o psicólogo Mário Horta. "No plano biológico estamos sintonizados com os ciclos cosmológicos, do ritmo diário de sono/vigília às estações do ano. Mas temos também uma dimensão cultural. No Verão, ao darmo-nos ao olhar dos outros, dependemos mais daquilo que pensam de nós. Adaptamo-nos para estar em consonância com o Mundo ou mesmo para tentar impressioná-lo", justifica.

Outras vezes, o motor da transformação é individual. "A mudança de estação pode lembrar-nos que queremos fazer mudanças interiores: limpamos a casa e compramos roupa porque queremos sentir-nos diferentes, com a cabeça arrumada e gostar mais de nós", acrescenta o psicólogo.

Por nós ou também por causa dos outros, o Verão de 2010 tem moda própria e regras de estilo, para fazer suspirar de inveja os olhares indiscretos...

MODA NA BAGAGEM

Além das tendências minimalistas ou étnicas, dos grandes ‘splashes’ de cor ao branco integral, há peças-chave que se impõem na bagagem de férias. "Para homem ou mulher, a peça mais cool da estação são as alpargatas, a fazerem lembrar o Sul de Itália e as regatas. Os chapéus de palha também fazem um ‘statement’ de estilo, mas os óculos de sol são os grandes protagonistas: coloridos, enormes, redondos ou rectos, modernos ou retro, são o item da afirmação pessoal", garante a personal stylist Maria Guedes.

Outro segredo está em usar peças trazidas de destinos longínquos que nos "conferem um estado de espírito especial e impressionam os demais".

Já Cristina Abreu, personal stylist da Imageconcept, defende que os básicos não podem ficar em casa: "uns jeans, um vestido para a noite, um ‘jump-suit’ para a praia, um calção curto – que tanto dá para o dia como para a noite se for usado com uns sapatos de salto alto. Este ano, as sandálias à gladiador, os saltos em cunha, ou os botins de Verão também são uma boa opção". Os fatos de banho ou biquinis querem-se em estilo retro, os cintos e os colares em tamanho XXL.

CORPO DE VERÃO

"A atitude ideal é estarmos bem com o corpo que temos. Somos todos diferentes e é isso que nos torna interessantes. Se aprendermos a valorizar a nossa figura, é meio caminho para irradiar beleza. Por isso, os extremos estão ‘out’. Magreza ou gordura excessiva mostram falta de carinho pelo nosso corpo", avisa Maria Guedes.

E para acarinhá-lo "o essencial é seguir um plano de alimentação saudável e de exercício regular todo o ano, pois não há milagres em pouco tempo", avisa a nutricionista Madalena Muñoz. Mas se isso não foi possível, há medidas simples e seguras que podem ser tomadas antes das férias: "retirar todas as farinhas brancas (pão, bolachas), aumentar a ingestão de fruta, consumir produtos hortícolas três vezes por dia, cozinhar ao vapor ou estufar", enuncia. A isto, o ideal é juntar uma caminhada diária de 30 minutos.

"O exercício físico não só se reflecte na estética, mas também no bem-estar físico e mental. Mais do que o aspecto, é a autoconfiança que impressiona", confessa o personal trainer (PT) Márcio Charneco.

Se o problema é a falta de tempo, nem sequer é preciso ir ao ginásio. "Há exercícios que se podem fazer em casa, na rua ou nas escadas do prédio ", refere o PT. Para tonificar o corpo e reduzir a massa gorda em quatro semanas, o treino em circuito é o mais apropriado. "O objectivo é alternar entre exercícios de musculação e força, com descanso reduzido ou activo (execução de outro exercício de baixa intensidade ou aeróbico). Por exemplo, poderá fazer uma série de supino (halteres), seguido de uma série de exercícios de pernas, uma série de abdominais, uma série de flexões etc... Poderá ser incluído trabalho cardiovascular, com exercícios aeróbios (passadeira, corrida, bicicleta) de 30 a 60 segundos, entre as séries", sugere Márcio Charneco.

DESTINOS EM ALTA

De acordo com a Associação Portuguesa das Agências de Viagem e Turismo, Brasil, Cabo Verde, Jamaica, Cuba, República Dominica, Disney Paris (na Europa), Algarve, Madeira e Açores são os destinos mais procurados. Mas em tempos de crise, o que está na moda é encontrar um paraíso ‘secreto’ perto de casa.

"Os destinos mais ‘in’ são os nacionais. Com paisagens, gastronomia e temperaturas fantásticas como as nossas, é um desperdício ir para fora", garante Maria Guedes. Para o sociólogo Luís Reto, a escolha é complexa. "Reflecte a força da comunicação publicitária e dos grupos de referência. Mas os interesses individuais podem sobrepor-se ao efeito do comportamento colectivo, sobretudo se o indivíduo for autocentrado", assegura.

SER ORIGINAL

Da mesma forma que "já não existem casamentos tradicionais, as férias também se querem originais e cheias de experiências", garante Cristina Abreu, justificando assim porque é que os programas especializados estão em alta, seja no spa, numa atmosfera de aventura e desporto ou num roteiro gastronómico ou cultural.

O fenómeno é global e tem crescido nos últimos anos. "As pessoas são mais informadas, complexas e urbanas, têm mais poder de compra e isso reflecte-se nas suas opções", entende o sociólogo Luís Reto.

"Ao ritmo em que vivemos, já não conseguimos conceber férias sem um objectivo. Estas devem servir para nos desenvolvermos a nível pessoal. O que está ‘out’ são férias só para comer e dormir", remata Maria Guedes.

AS PRAIAS MAIS ‘IN’

As que se enchem de celebridades são incontornáveis, pois "servem como referência de um certo estilo de vida". No entanto, quanto mais secreto for o lugar ao sol, melhor.

"As praias mais ‘in’ são aquelas de que ninguém fala, as que descobrimos e só contamos aos nossos amigos", revela Maria Guedes. "Sítios mais desconhecidos, como a Comporta, Arrifana, Aljezur, Carrapateira ou a Aldeia de Pedralva", exemplifica Cristina Abreu.

SER ‘FASHION’ NOS HÁBITOS

Quando o Verão chega, adquirem-se novos hábitos, às vezes influenciados pelos pares. "Não existimos sem os outros. Há pessoas mais centradas, outras dão grande peso à opinião alheia na formação da própria identidade. Tendem a adoptar hábitos do grupo social a que pertencem ou a que gostariam de pertencer", diz Luís Reto.

Motivações à parte, Maria Guedes ‘dita’ as tendências: "é frequente mudar de visual – cortar o cabelo, adoptar um estilo diferente, ir mais longe e correr mais riscos. Temos mais cuidado com a pele, os cabelos e até com a alimentação. A atitude ‘in’ é ‘mente sã em corpo são!’". Por isso, o bronze em excesso está fora de moda. Tal como as cadeias de fast-food ou passar a tarde à frente da televisão.

AMIGOS DA REDE

Desligar do Mundo durante as férias já não faz sentido. "As redes sociais dão informação sobre eventos, permitem-nos trocar mensagens com pessoas que conhecemos na praia ou numa festa e acima de tudo... ver como se divertem os outros", justifica Maria Guedes.

O sociólogo Luís Reto concorda. Em tempo de ócio, " intensificam-se os contactos, pois durante o resto do ano nem sempre há tempo". Já foi o tempo em que o descanso implicava nada de internet ou contactos telefónicos.

À MESA COM ESTILO

O abandono das rotinas também dita alterações à hora das refeições, que se querem mais leves e frescas. E como em tudo o resto, também aqui há opções ‘cool’, como o "sushi, as saladas com combinações exóticas, a cozinha de fusão e os pratos mediterrânicos", enumera Maria Guedes.

O CARRO ESTUPENDO

Os portugueses alugam mais carros para ir de férias. "Já não é um hábito exclusivo dos estrangeiros ou dos emigrantes. Com a crise, muitas pessoas têm pequenos utilitários para o dia-a-dia (ou nem sequer têm carro) mas alugam familiares para as férias", explica fonte da empresa de rent-a-car A.A. Castanheira-Budget.

Quem opta por trocar de carro, também prefere o Verão. "O mercado é sazonal. Vendem-se mais automóveis no final do ano e nesta época, porque há entrada de dinheiro (os subsídios) e para impressionar familiares e amigos", adivinha Hélder Pedro, porta-voz da Associação Automóvel de Portugal. Quanto aos modelos, Maria Guedes garante que "ficam bem carros pequenos e fáceis de estacionar, que possam encher-se de pó e areia ou os desportivos". Para Cristina Abreu, o que está na berra são as SUV.

VIVER AO AR LIVRE

Com o sol, as casas também têm direito a alma renovada. A a procura de mobiliário e artigos para jardins, terraços e até para as varandas é cada vez maior. "Preocupamo-nos mais em aproveitar o espaço exterior que as nossas casas nos proporcionam. Apetece estar na rua e ao ar livre. As noites agradáveis convidam a receber os amigos em casa, mas... na rua", explica Maria Guedes.

NOTAS

CORPO

No Verão, o culto do corpo está em alta. Ainda é possível disfarçar as gordurinhas a mais.

PRAIAS

As mais secretas e vazias. Aquelas que descobrimos por acaso e só contamos aos amigos.

PEÇAS

Calções, ‘jump-suits’, alpargatas, acessórios exóticos e óculos de sol marcam a personalidade no Verão.

CORES

Tudo é permitido: dos pastéis às cores vivas, em padrões exuberantes e combinações imprevisíveis.

PORTUGAL

‘Ir para fora, cá dentro’ nunca esteve tão na moda como agora. E com a crise até ajuda no orçamento.

NO  PRATO

No Verão a comida quer-se mais leve, fresca e, de preferência, com paladares exóticos, como o sushi.

AVENTURA

As férias servem cada vez mais para aprender, praticar desporto ou tratar do corpo no spa.

PARAÍSO

Encontrar um paraíso secreto mesmo à porta de casa pode ser uma arte. E está na moda.

Ver comentários