Sónia Balacó: "Sinto que não tenho de provar nada"

A atriz e modelo viu premiado o telefilme ‘E Depois, Matei-o', no qual era uma jornalista que entrevistava uma mulher condenada por matar o marido. Representar, dentro e fora de Portugal, é a sua prioridade.
24.11.13
  • partilhe
  • 0
  • +
Sónia Balacó: "Sinto que não tenho de provar nada"
Sónia Balacó nasceu há 29 anos, em Peniche Foto Pedro Garcia

Nascida a 12 de fevereiro de 1984, em Peniche. A proximidade do oceano e da Berlenga fez com que tivesse desde muito cedo a noção de que havia mais terras para conquistar. Assim foi quando venceu a edição portuguesa do concurso Supermodel of the World. Mas também em londres, para onde foi viver em 2008, procurando oportunidades como modelo e uma carreira internacional na representação.

Depois de ter interpretado uma norte-americana em lua de mel na localidade italiana de Positano, numa curta-metragem da realizadora britânica Poppy de Villeneuve, Sónia Balacó soube que o telefilme da RTP ‘E Depois, Matei-o' venceu o Prix Italia, que premeia as melhores produções audiovisuais.

Trata-se de mais um incentivo para a atriz e modelo natural de Peniche, que ficou mais conhecida pelos telespectadores portugueses ao participar em ‘Último a Sair', a sátira aos reality shows que a RTP 2 repôs há poucos meses. Apesar de continuar a protagonizar campanhas publicitárias e a fazer trabalhos de modelo, Sónia Balacó procura novos papéis no cinema e na televisão, tanto em Portugal como em Londres, onde passa grande parte do ano.

*A resposta escolhida é a que se encontra sublinhada.

Vive há cinco anos em constantes viagens entre Lisboa e Londres. Qual é a principal consequência?

a) Consigo variar entre as duas línguas na mesma frase e nem dou conta ("E não me orgulho nada disso")

b) Estou habilitada a escrever um guia prático de sobrevivência em aeroportos

c) Já descobri traduções muito aproximadas da palavra ‘saudade' para inglês

Qual é a ideia-feita sobre a Inglaterra e os ingleses mais próxima da verdade?

a) O céu está sempre cinzento e quando aparece o sol há quem pense que é uma nave extraterrestre

b) A comida é tão má que um menu infantil de fast food parece gourmet

c) Algumas pessoas estão mais a par do que se passa com a família real do que com a sua própria família

Tendo nascido em Peniche, qual foi a maior influência que a terra natal teve no seu destino?

a) A omnipresença do Atlântico contribuiu para que buscasse novas terras ("A ideia de que há algo mais para lá do mar foi-me sempre muito presente, o que é também acentuado pela Berlenga")

b) A participação num grupo de teatro contribuiu para que ganhasse gosto pela representação

c) A falta de oportunidades contribuiu para que desfilasse para fora de Peniche ainda adolescente


Qual é o preconceito contra modelos que mais a irrita?

a) Não passamos de cabides andantes em forma de gente

b) Representamos uma percentagem leonina do consumo mundial de estupefacientes

c) Somos fúteis, implacáveis com as colegas e obcecadas com a imagem

d) Outra hipótese: Deixei de me apoquentar com os preconceitos em relação às modelos. Sinto que não tenho de provar nada

Deu voz a uma personagem do videojogo ‘GoldenEye 007: Reloaded'. Se pudesse interpretar uma ‘Bond Girl' qual seria o seu modelo?

a) A vendedora de conchas Honey Ryder, que Ursula Andress interpretou em ‘007 - Agente Secreto'

b) A traficante de joias Octopussy, que Maud Adams interpretou em ‘007 - Operação Tentáculo'

c) A agente secreta Vesper Lynd, que Eva Green interpretou em ‘007 - Casino Royale'

Participar no programa da RTP ‘Último a Sair' foi uma experiência marcante porque...

a) Ninguém tivera a coragem de fazer uma sátira daquelas aos reality shows e duvido que alguém volte a ter

b) Ainda há pessoas que esperam o dia em que irei apresentar oficialmente Bruno Nogueira à minha família.

c) Revelei um talento para a representação que milhões de telespectadores desconheciam

d) Outra hipótese: Fiz comédia pela primeira vez, num projeto em que acreditava a 100%, e com pessoas cujo trabalho admiro

O telefilme português ‘E Depois, Matei-o', em que tinha um dos papéis principais, foi premiado em Itália. Como reagiu à notícia?

a) Fiquei com a impressão de que devo fazer mais projetos portugueses

b) Senti que a equipa viu recompensada a difícil abordagem do tema da violência doméstica

c) Enchi-me de vontade de obter papéis em filmes capazes de conquistar prémios ainda mais importantes

Está a protagonizar a campanha de uma operadora de televisão e telecomunicações. Qual é a sua maior preocupação quando faz publicidade?

a) Assegurar-me de que o produto que vou promover tem qualidade

b) Esconder que sou fiel cliente de uma empresa que faz concorrência direta

c) Rezar para que as pessoas não passem a encarar-me apenas como a menina dos anúncios.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!