Barra Cofina

Correio da Manhã

Mais CM
8

Tecnologia contra o mosquito

Infetados têm sintomas ligeiros como febre baixa, dores de cabeça e irritações na pele
João Ferreira e Suely Costa 28 de Fevereiro de 2016 às 11:00
A manipulação genética pode ser a chave para uma das formas de combater o vírus Zika. Desde 2014, uma fábrica no Brasil produz mosquitos geneticamente modificados para controlar a população de mosquitos, libertando machos modificados em laboratório que, ao copularem com fêmeas – que picam humanos –, façam com que os óvulos contaminados acabem por morrer antes da idade adulta. Com este projeto já foi possível diminuir a população de mosquitos em cerca de 80%. O grande responsável pelo vírus Zika é o mesmo mosquito que transmite a dengue e a febre a amarela. Já infetou milhões na América Latina e é apontado como responsável pelo aumento de casos de microcefalia, que afetam maioritariamente o Brasil. O alerta é sério "não pelo número de mortos, que deve ser muito pequeno, mas pelas consequências na gravidez" diz Jaime Nina, especialista em Medicina Tropical. Já há uma vacina a ser produzida nos EUA, também com base na ciência e na tecnologia de ponta, mas só no final do ano é que serão feitos os primeiros testes em humanos.
Brasil Medicina Tropical EUA saúde ciência e tecnologia
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)