Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais
2

André Ventura diz que liderança do Chega "não está em causa" nas eleições autárquicas

"Ao contrário do que acontece" com PSD e CDS, acrescentou o presidente do partido.
Lusa 18 de Setembro de 2021 às 19:36
André Ventura, líder do Chega
André Ventura, líder do Chega FOTO: Lusa

O líder do Chega afirmou, este sábado, que a liderança do partido "não está em causa" nas eleições autárquicas, "ao contrário do que acontece" com o PSD e CDS.

No Porto, para uma arruada em Santa Catarina, André Ventura explicou que será convocado um Conselho Nacional pós-eleições para analisar "o que correu bem e o que correu mal" no processo eleitoral e que haverá também uma convenção de autarcas para "definir como é que os autarcas dos Chega se relacionarão" com os outros partidos.

"É muito claro o que eu vou dizer. Nós vamos ter um conselho nacional depois das eleições para avaliar o que é que correu bem e o que é que correu mal. Não creio, ao contrário do que acontece com o CDS e com o PSD, que haja neste momento uma questão de liderança no Chega", afirmou.

Ventura deixou claro que não será ele a provocar uma crise interna no Chega: "Mesmo que os resultados não sejam aqueles que esperamos não se justifica (...) colocar em causa a liderança do partido e a sua direção nacional".

Numa ação de campanha em que o distanciamento social foi imposto pela equipa de seguranças de André ventura, que afastavam de forma veemente os jornalistas e populares que tentavam falar com o líder do Chega, este salientou a importância do Porto para o partido.

"Eu estou convencido de que só quando o Porto tiver um grande resultado nós podemos aspirar a ser Governo nacional", afirmou.

Na arruada marcada por vivas e empurrões a jornalistas, Ventura considerou que o Porto é "fundamental enquanto palco de batalha".

"Estou convencido de que ganhar o Porto será o primeiro passo para conseguirmos chegar ao Governo nacional", reforçou.

As desculpas pelos empurrões foram feitas pelo candidato à autarquia, António Fonseca.

"O André Ventura teve o cuidado de dizer que recebe muitas ameaças (...). Não concordo de forma alguma que se agridam jornalistas, os seguranças são para ser um veículo de apoio e não de agressão", justificou.

André Ventura PSD Chega CDS Porto Governo política autoridades locais eleições partidos e movimentos
Ver comentários