Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais
6

Grupo Ghost exporta para 30 países

Papel produzido em 17 dias é suficiente para dar a volta à terra.
Maria João Vieira de Matos 28 de Janeiro de 2017 às 16:00
FOTO: Direitos Reservados
O Grupo Ghost dedica-se à transformação de papel desde 1996. A Suavecel, a primeira fábrica do grupo, começou por produzir papel higiénico, rolos de cozinha e lenços de papel para ‘private label’, um mercado em crescimento na década de 90.

Hoje, a Suavecel é uma marca de referência nos mercados nacional e internacional. Mais tarde, a Nunex foi a primeira empresa portuguesa a produzir fraldas 100% nacionais. E, por último, a Fortissue, empresa que fornece a matéria-prima ‘papel tissue’ à Suavecel e que implicou um investimento recente de 25 milhões de euros. Uma estratégia de verticalização que favoreceu a competitividade do grupo: reduziu o custo e aumentou a qualidade da matéria-prima, diminuindo a dependência de terceiros.

No total, o grupo transforma por ano cerca de 800 mil quilómetros de papel em produtos de higiene pessoal, ou seja, o papel produzido em 17 dias é suficiente para dar a volta à Terra. Mais de 60% da produção é destinada a grandes retalhistas internacionais em 30 países como Espanha, Angola, Inglaterra, Colômbia e China. O investimento constante em tecnologia de ponta permite produzir produtos de qualidade a um preço competitivo. O processo produtivo e o armazenamento são automatizados.

As fraldas da Nunex foram desenvolvidas e testadas no laboratório da empresa a vários níveis como a absorção, resistência e humidade. As fraldas conseguem satisfazer as exigências de diferentes mercados. Enquanto os mercados asiáticos dão mais valor ao conforto, os mercados ocidentais apreciam mais a capacidade de absorção.

Assim como, países menos desenvolvidos ainda associam a grossura à capacidade de retenção de líquidos, um mito que a tecnologia já resolveu sendo possível produzir fraldas finas com o mesmo desempenho. A qualidade das fraldas foi comprovada pelo prémio europeu de inovação atribuído à fralda de criança ‘Active Dry’ da Nunex em 2016.

Futuro: Exportação - Mais produção e novos produtos
O Grupo Ghost está a investir mais de 60 milhões de euros em novas linhas de produção e novos produtos. O objetivo é aumentar a produção assim como introduzir novos artigos como um novo modelo de papel higiénico, resguardos de camas e animais, pensos higiénicos e tampões. O aumento da produção resultará em mais de 400 milhões de fraldas, 500 milhões de pensos higiénicos e 50 milhões de tampões por ano. Para escoar a nova produção o grupo já tem pré-acordos com retalhistas internacionais.


Nuno Ribeiro, Administrador: "Tecnologia de última geração"
CM - Quando começaram a exportar?
Nuno Ribeiro – Começamos a exportar em 1996 apenas para ‘private label’, e mais tarde introduzimos as nossas marcas.

– Quais são as principais marcas?
– A Suavecel de papel higiénico, rolos de cozinha, guardanapos e lenços de papel; a Nunex de fraldas e toalhitas de criança e a Intimus de fraldas e toalhitas de adulto.

– Adaptam os produtos aos mercados?
– A maioria dos produtos são estandardizados, exceto algumas adaptações como embalagens maiores de 60 rolos para Portugal e embalagens mais pequenas para a Escandinávia.

– Como rentabilizam o elevado custo de transporte?
– A exportação de produtos com maior valor acrescentado dilui o custo logístico.

– O que distingue o Grupo Ghost da concorrência?
– A tecnologia de última geração permite produzir produtos de alta qualidade a um preço competitivo.

B.I.

Nome e Fundação
Grupo Ghost, 1996
Produto
Artigos de Higiene Pessoal
Localização
A sede e as instalações fabris da empresa localizam-se em Viana do Castelo.
Vendas (2016)
75 milhões de euros
N.º de trabalhadores
200
Exportação
67% vendas
Principais mercados
Espanha e Angola
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)