Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais

Licença para cuidadores informais

Estatísticas apontam para que um em cada seis cidadãos da União Europeia seja cuidador informal.
21 de Maio de 2019 às 01:30
Cuidadores informais
Cuidadores informais FOTO: Mariline Alves
As estatísticas apontam para que um em cada seis cidadãos da União Europeia (UE) seja cuidador informal. Para apoiar estas pessoas, a UE está a tentar reunir linhas orientadoras para criar uma licença de cuidador.

A UE não tem autonomia para implementar leis de política social que englobem a prestação de cuidados. Essa responsabilidade recai nos governos nacionais. Ainda assim, complementa a ação nacional através de medidas legislativas e do financiamento de projetos.

De todos os cuidados de longa duração na Europa, 80% são prestados por membros da família. Tal implica que, em muitos casos, haja dificuldade em atingir a estabilidade económica no seio familiar.

Nesse sentido, a UE tenta estabelecer orientações legislativas relativas à conciliação da vida profissional e familiar dos cuidadores. A medida faz parte do Pilar Europeu dos Direitos Sociais.

O Fundo Social Europeu financia projetos de apoio aos cuidadores informais de vários estados-membros.

2,7 milhões de euros
Foi o valor dado pelos fundos europeus para a construção de um dos complexos de arte mais modernos de Portugal, em Sines.

389 mil euros 
Foram disponibilizados pela UE para requalificar os castelos de Marialva e de Longroiva.

85%
Foi a comparticipação da UE para requalificar a Estação de Camionagem de Vila Pouca de Aguiar.
Ver comentários