Barra Cofina

Correio da Manhã

Geração Arte Votação
3

Prosa: Ilustre indefinição

Aos 8 anos ainda não sabia o que queria fazer quando fosse grande, mas já sabia o que queria ser!
3 de Novembro de 2015 às 17:00
geração arte, prosa
geração arte, prosa

Aos 8 anos ainda não sabia o que queria fazer quando fosse grande, mas já sabia o que queria ser! São conceitos diferentes! Porque havemos de tomar como nossa identidade a designação de um profissional? Em casa do meu avô, sempre fui o "atleta". Em casa dos meus tios, empregavam-me em engenharia! Pelo menos, em matéria de alcunhas, possuía já um percurso repleto de prosperidade. Numa idade em que tanto eu não sabia, quanto tanto me perguntava, decidir-me não era fácil! No entanto, não era mau, por cada vez que pelas gentes passasse, concretizava uma maratona de labores, que mais não eram que uma tentativa de abordagem à prova de incompatibilidades etárias em comunicação de primeira instância. Um pequeno empurrãozinho à minha fala, que pouca experiência tinha em retorquir. Contudo, apesar da retração quanto a diálogo com gente adulta, diziam-me que, pelo olhar, iria ser um grande homem.

Bem que fui crescendo, homem grande pois fiquei, sem saber porém ainda que cognome acolher. Ainda mais reticente me sinto agora por não conseguir perceber se aquilo a que chamam de "grande homem" é o que estou a tentar conceber. O pior é que a minha síndrome etária destituiu-me do reino dos sonhos… Aos 24, continuo a indagar sobre a real perceção da ideia de "homem ilustre" e sinto, ainda, que gostava de o ser. 

O que me encalca é o facto de tentar alcançar algo que desconheço! Prezo, simplesmente, por dedicar aos meus dias um pouco de atenção à sinalética do meu percurso. É nesta fase que as minhas mãos testam a minha testa, atestando-me de prostração perante aquilo que é mais divino. Se tantos há, que grandes homens e mulheres serão, tantos são também escravos das suas próprias expectativas! A quem tudo mudou, aconselha-se a renovação! Se o meu "eu" está irreconhecível, reinvento-me então! Há uma altura em que as expectativas se deixam corromper pelo desígnio do homem comum…. Afinal, somente isto prevalece: ser um grande homem é não ser apenas mais um!

Texto enviado pelo participante Daniel Silva, 23 anos, de Monte Redondo.

----------------------------- 
Acompanha o Geração Arte na CMTV 
Não percas o Geração Arte no programa Falar Global, da CMTV, aos sábados às 11h30 e às 15h30. 
-----------------------------

Votação fechada. Vê os resultados na fanzine publicada com o Correio da Manhã de dia 26 de novembro. Entretanto, recordamos que o concurso é mensal e contamos com os teus trabalhos (vê aqui o regulamento).

geração arte texto Daniel Silva Falar Global CMTV
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)