Barra Cofina

Correio da Manhã

Geração Arte Votação
7

Prosa: Um Medo Chamado Velhice!

Quem diz que envelhecer é algo fácil, é porque é um louco que ainda não envelheceu.
1 de Setembro de 2015 às 18:00
geração arte, prosa
geração arte, prosa

Quem diz que envelhecer é algo fácil, é porque é um louco que ainda não envelheceu ou então não olha para os "antigos" à sua volta, com olhos de ver. Estar em lugares como lares ou centros de dia, é algo que me custa, sou sincera. Não por nojo, nem por desprezo, não desdenho e não é por falta de respeito. Não há melhor conversa do que aquela que acontece entre uma mente nova e uma mente crescida, chamemos-lhe assim.

Entro nestes sítios e as paredes parecem encolher, as portas fecham e a vida torna-se mais curta. A velhice assusta-me, é isso.

Não tenho medo das rugas, nem das peles flácidas, das mãos enrugadas, de todo. Uma mulher com rugas é tão bonita! São marcas de experiências. Mas assusta-me aquilo que representa. Ficamos mais perto da hora de ir embora quando ainda existem tantas coisas que poderíamos fazer. Não é a morte que me assusta, é o fim que começa muito antes da alma nos fugir do corpo. É ter que aceitar que a dada altura começamos a perder-nos a nós próprios. É como se fôssemos embora para mais tarde voltarmos uma pessoa totalmente diferente.

Deixamos de responder que estamos bem para passarmos a responder Aguentar e cara alegre!, como hoje ouvi alguém dizer.

Tenho uma vida aliciante, quero um futuro igualmente preenchido e recuso-me já a aceitar que há um início para o fim. Como adultos, muitas vezes, crescemos apenas para nos apercebermos que quanto mais velhos somos, mais depressa o tempo passa.

Quando ele chegar, esse tal fim, que se acha no direito de nos tirar aquilo que temos de mais importante, que venha mesmo só quando for para me ir embora, nem tente vir antes. O tempo é demasiado curto para as vidas que queremos ter, e eu ainda tenho muito para fazer e sei que quando o fizer, já terei mais mil planos para fazer depois.

No entanto, acredito que atingir a velhice e podermos recordar tudo aquilo que um dia fizemos, deve ser das coisas mais bonitas. Chego à conclusão que nunca podemos esperar partir deste mundo com o sentimento de missão totalmente cumprida, porque irão haver sempre muitas mais coisas que podíamos ter feito e não fizemos.

Não quero envelhecer, mas quero envelhecer. Não faz lógica? Se calhar não. Se pareço louca, por ter medo de envelhecer mas querer envelhecer na mesma? Talvez. Sim. Mas eu costumo dizer que vivemos naquele tipo de loucura em que os loucos são sãos e os sãos é que são loucos.

E agora? Já faz lógica?


Texto enviado pela participante Matilde Maia Pratas, 16 anos, Coimbra

----------------------------- 
Acompanha o Geração Arte na CMTV 
Não percas o Geração Arte no programa Falar Global, da CMTV, aos sábados às 11h30 e às 15h30.  
-----------------------------


Votação fechada. Vê os resultados na fanzine publicada com o Correio da Manhã de dia 24 de setembro. Entretanto, recordamos que o concurso é mensal e contamos com os teus trabalhos (vê aqui o regulamento).

geração arte texto Matilde Maia Pratas CMTV Falar Global
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)