Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais
5
Ao minuto Atualizado às 12:17 | 17/01

AO MINUTO: Dois mortos e nove feridos nas últimas 24 horas apesar da trégua

Acompanhe ao minuto a evolução da guerra na Ucrânia.
Correio da Manhã 26 de Outubro de 2022 às 10:57
A carregar o vídeo ...
Quatro feridos em explosão na estação de serviço Dnipro
A Rússia invadiu a Ucrânia a 24 de fevereiro, dando início a uma guerra que já provocou milhares de mortos, destruiu diversas cidades e levou a que milhões abandonassem o país. 

O conflito armado está também a provocar uma grave crise na cadeia de distribuição de alguns produtos para outros países, como é o caso dos cereais, e a contribuir para o aumento da inflação. 
Ao minuto Atualizado a 17 de jan de 2023 | 12:17
12:17 | 17/01
Lusa

UE desembolsa primeira parcela de três mil milhões de euros de nova ajuda macrofinanceira à Ucrânia

A União Europeia (UE) desembolsou esta terça-feira a primeira parcela de três mil milhões de euros no âmbito do novo programa de assistência macrofinanceira (AMF+) à Ucrânia, num total de 18 mil milhões de euros para este ano.
19:33 | 16/01
Lusa

Secretário-geral das Nações Unidas "condena" ataque a prédio em Dnipro

O secretário-geral das Nações Unidas (ONU) "condenou" esta segunda-feira o ataque mortal russo a um prédio residencial em Dnipro, na Ucrânia, considerando-o mais um exemplo de "suspeitas de violação das leis de guerra", disse uma porta-voz de António Guterres.

"Um ataque atingiu um prédio residencial em Dnipro na noite de sábado, num dos ataques mais mortíferos na Ucrânia desde o início da invasão russa", disse Stephanie Tremblay a jornalistas.

"O secretário-geral condenou este ataque, dizendo que este foi mais um exemplo de suspeita de violação das leis de guerra", acrescentou.

10:26 | 13/01

Ministro da Defesa de Kiev diz que Ucrânia é membro "de facto" da NATO

O ministro da Defesa da Ucrânia disse esta sexta-feira à BBC que o país tornou-se num membro "de facto" da NATO porque os Estados ocidentais "concentraram-se" de forma diferente face à guerra.

Oleksii Reznikov disse à estação de televisão pública britânica que "os países ocidentais" que temiam que a assistência militar à Ucrânia podia fazer agravar o conflito mudaram de opinião acrescentando que acredita que Kiev vai receber armamento, incluindo carros e aviões de combate. 

08:59 | 12/01
Correio da Manhã

Grupo mercenário russo afirma ter tomado a cidade ucraniana de Soledar mas Zelensky desmente

A organização paramilitar de origem russa, Grupo Wagner, afirma ter tomado, esta quinta-feira, o controlo total da cidade ucraniana de Soledar.

O grupo mercenário afirmou que a cidade está "cheia de corpos ucranianos", de acordo com a agência Reuters.

Yevgeny Prigozhin, o líder do Grupo Wagner, e aliado próximo do presidente russo, Vladimir Putin, disse que as suas forças tinham "tomado Soledar e morto cerca de 500 soldados ucranianos".  "Toda a cidade está repleta de cadáveres de soldados ucranianos", acrescentou.

17:26 | 11/01

A Ucrânia pode ganhar a guerra ainda este ano se o Ocidente lhe fornecer equipamento militar mais poderoso, incluindo mísseis de longo alcance e tanques pesados, disse Mykhailo Podoliak, conselheiro da presidência ucraniana, numa entrevista à France-Presse.
09:53 | 11/01
Correio da Manhã

Ucrânia diz que a Rússia ainda não tem o controlo de Soledar

Os militares ucranianos negaram esta quarta-feira que as forças russas tomaram o controlo da cidade oriental de Soledar, na Ucrânia, e disseram que a intensidade das batalhas na região poderia ser comparada aos combates na Segunda Guerra Mundial.

Serhiy Cherevatyi, porta-voz do comando militar oriental, disse à televisão ucraniana que a batalha por Soledar era importante e que as forças ucranianas não tinham permitido que as forças russas atravessassem as linhas da frente.

09:39 | 11/01
Correio da Manhã

Rússia e Ucrânia aceitam trocar 40 prisioneiros

A comissária russa dos Direitos Humanos, Tatiana Moskalkova, afirmou esta quarta-feira que a Ucrânia e a Rússia acordaram uma troca de 40 prisioneiros de guerra depois do encontro com o seu homólogo ucraniano, Dmytro Lubinets.

O encontro decorreu num hotel em Ancara, na Turquia, à margem de uma conferência internacional de provedores de justiça.
14:16 | 09/01

Reino Unido está a considerar fornecer tanques à Ucrânia

O Reino Unido está, pela primeira, vez a considerar oferecer tanques à Ucrânia para ajudar o país em guerra a defender-se das forças russas, avança a estação televisiva britânica Sky News.

Tem-se vindo a discutir ao longo das ultimas semanas a entrega do principal tanque de batalha do exército britânico: Challenger 2.  Este fornecimento representaria um avanço significativo no apoio à Ucrânia, mas o governo britânico ainda não tomou a deicsão final. 
14:40 | 08/01

Rússia reivindica ataque que matou mais de 600 militares ucranianos

O Ministério da Defesa da Rússia afirmou, este domingo, que matou mais de 600 militares ucranianos, num ataque a dois edifícios em Makiivka, leste da Ucrânia, onde as forças ucranianas estavam temporariamente abrigadas.

Estas declarações surgem depois do presidente da câmara de Kramatorsk, na Ucrânia, ter afirmado este domingo que ninguém morreu nos ataques que os russos efetuaram a vários edíficios da cidade, de acordo com a Reuters.
13:17 | 08/01

Papa reza por "mães ucranianas e russas" que perderam filhos na guerra

O Papa lembrou esta quarta-feira "as mães ucranianas e as mães russas" dos soldados mortos na Ucrânia e pediu uma oração por elas, que "perderam os seus filhos" e pagam "o preço da guerra", no final da oração do Angelus, no Vaticano.

Francisco recordou "as irmãs e os irmãos ucranianos" que "tanto sofrem", que passaram "este Natal na guerra, sem luz, sem calor" e pediu aos milhares de fiéis reunidos na Praça de São Pedro que o escutassem e que "não se esquecessem".

"E hoje, vendo a Virgem a carregar a criança na manjedoura, cuidando dela, penso nas mães das vítimas da guerra, nos soldados que morreram nesta guerra na Ucrânia, nas mães ucranianas e nas mães russas", enfatizou.

13:16 | 08/01

Dois mortos e nove feridos nas últimas 24 horas apesar da trégua

Pelo menos duas pessoas morreram e nove ficaram feridas nas últimas 24 horas na Ucrânia, apesar do cessar-fogo unilateral declarado pelo Presidente russo, Vladimir Putin, que terminou à meia-noite de sábado, disseram este domingo as autoridades ucranianas.

Segundo o vice-chefe da administração presidencial ucraniana, Kyrylo Tymoshenko, um civil foi morto na região de Karkiv (nordeste) e outro na de Donetsk (leste), com nove pessoas a ficarem feridas em três outras áreas.

Sexta-feira e sábado, durante a trégua estabelecida unilateralmente pela Rússia por ocasião do Natal ortodoxo, as hostilidades continuaram, apesar de uma diminuição da intensidade em comparação com os dias anteriores.

14:46 | 04/01

Putin lança fragata com mísseis hipersónicos para o Oceano Atlântico

O presidente russo, Vladimir Putin, enviou, esta quarta-feira, uma fragata para o Oceano Atlântico composta por mísseis de cruzeiro hipersónicos de nova geração, um sinal para o Ocidente de que a Rússia não vai recuar na guerra na Ucrânia.

Os países Rússia, China e Estados Unidos estão numa corrida para desenvolver armas hipersónicas que são vistas como uma forma de ganhar vantagem sobre qualquer adversário devido à velocidade que conseguem atingir. 
07:38 | 04/01

Rússia afirma que ataque a Makiivka causou 89 mortos

O ataque ucraniano a Makiivka no domingo causou 89 mortos, segundo um novo balanço das autoridades russas, confrontadas com raras manifestações públicas de raiva e tristeza nas cerimónias memoriais para os soldados mortos.

O número de mortos russos, inicialmente estimado em 63, foi revisto após terem sido encontrados mais corpos nas ruínas de um edifício, explicou o general russo Sergei Sevryukov numa mensagem de vídeo divulgada pelo Ministério da Defesa russo.

"Atualmente, uma comissão está a investigar as circunstâncias" do ataque, disse ele. "Mas já é claro que a causa principal (...) é a ativação e utilização maciça de telemóveis ao alcance das armas inimigas, ao contrário da proibição", o que teria permitido que as tropas fossem geolocalizadas, acrescentou o general.

18:44 | 02/01

Kiev reivindica ataque que mata "centenas" de soldados russos

O Exército ucraniano reivindicou esta segunda-feira o ataque que a Rússia diz ter matado 63 soldados russos em Makiivka, mas que os 'media' russos e ucranianos dizem ter feito centenas de vítimas mortais.

"Em 31 de dezembro, até 10 unidades de equipamento militar inimigo de vários tipos foram destruídas ou danificadas" em Makiivka, região de Donetsk, disse o Estado-Maior ucraniano, numa mensagem na rede social Facebook, indicando que o número de perdas dos recursos humanos russos estava ainda a ser avaliado.

De acordo com relatos de vários 'media' russos e ucranianos, centenas de soldados russos, recentemente mobilizados para a invasão da Ucrânia, terão sido mortos no edifício da Escola Politécnica na cidade de Makiivka, na região de Donetsk.

17:52 | 02/01

Operadora ucraniana Ukrenegro afirma que sistema elétrico está "totalmente sob controlo"

A empresa de energia estatal da Ucrânia, Ukrenergo, anunciou esta segunda-feira que o sistema elétrico do país está "totalmente sob controlo", apesar dos recentes ataques do Exército russo.

Numa mensagem no Facebook, a empresa disse que "a situação está totalmente sob controlo", mas que "os russos atacaram novamente a infraestrutura energética com 'drones', provocando danos".

A Rússia enviou vários 'drones' [aeronaves não tripuladas] durante a noite de domingo para atacar regiões da Ucrânia e dezenas foram abatidos, disseram esta segunda-feira as autoridades ucranianas, após uma série de ataques no fim de semana, que mataram quatro pessoas.

14:30 | 02/01
Lusa

Rússia confirma morte de mais de 60 soldados russos em ataque ucraniano

O Governo russo confirmou esta segunda-feira a morte de mais de 60 militares num ataque do Exército ucraniano com foguetes de artilharia de alta mobilidade (HIMARS) contra uma cidade da região de Donetsk.
13:50 | 02/01
Lusa

Justiça ucraniana acusa mais dois soldados russos de homicídio de civil

O Ministério Público da Ucrânia acusou esta segunda-feira dois soldados russos, destacados no país no âmbito da invasão ordenada por Moscovo, da morte de um civil durante a captura da cidade de Gostomel, na região de Kiev.
20:26 | 30/12

Kiev antecipa redução nos ataques de mísseis russos

O Ministério da Defesa da Ucrânia disse na quinta-feira estar convencido de que a Rússia vai reduzir o número e a frequência dos mísseis lançados contra território ucraniano.

"Eles (as Forças Armadas russas) não podem manter uma intensidade tão elevada, tanto do ponto de vista da regularidade como do ponto de vista da quantidade", disse o porta-voz da inteligência ucraniana, Andriy Yusov.

O porta-voz deu a entender que o Exército russo estará a entrar numa fase de escassez de munições, depois de ter lançado enormes quantidades de mísseis em parte do território ucraniano.

17:56 | 30/12

Rússia diz ter impedido "ataque terrorista" ucraniano no Cáucaso

As autoridades russas dizem ter impedido um "ataque terrorista" no norte do Cáucaso e anunciaram que a cidade ocupada de Nova Kakhovka, na região de Kherson, foi atingida por artilharia ucraniana, deixando-a sem eletricidade.

Moscovo disse que impediu um "ataque terrorista" no distrito federal do norte do Cáucaso e sublinhou que o alegado autor, que foi detido, atuou sob ordens dos serviços especiais da Ucrânia.

O Serviço Federal de Segurança (FSB) indicou que o detido é um cidadão ucraniano que apoia "ideologias nacionalistas" e que entrou no país com uma autorização de trabalho.

12:20 | 29/12
Correio da Manhã

Míssil ucraniano apareceu esta quinta-feira na Bielorrússia

Um míssil ucraniano apareceu esta quinta-feira no território bielorusso.

Trata-se de um míssil S-300 ucraniano e o presidente da Bielorrúsia, Aleksandr Lukashenko, foi imediatamente informado sobre o sucedido, de acordo com a agência de notícias bielorussa Belta.

Especialistas da Comissão de Investigação, do Ministério dos Assuntos Internos e do Ministério da Defesa estão no local a tentar perceber o que pode ter acontecido para o míssil acabar no território da Bielorrússia.

10:37 | 28/12
Reuters

Rússia intensifica ataques contra Kherson

A Rússia intensificou, esta quarta-feira, os ataques com artilharia em Kherson, no sul da Ucrânia, revelaram militares ucranianos.

Até 33 mísseis foram lançados contra alvos civis na cidade, na terça-feira, adiantou o Estado-Maior das Forças Armadas da Ucrânia citado pela Reuters. 
09:43 | 28/12
Reuters

Alertas de ataques aéreos em toda a Ucrânia fazem soar sirenes em Kiev

Foram emitidos alertas de ataques aéreos em toda a Ucrânia, esta quarta-feira, e as sirenes voltaram a soar em Kiev, adiantaram funcionários locais.

13:26 | 27/12
Correio da Manhã

Ucrânia sob alerta de ataque aéreo em todo o território

Um alerta de um ataque aéreo foi declarado, esta terça-feira, em todo o território da Ucrânia, avançou a agência Nexta.
07:50 | 26/12
Lusa

Três mortos em ataque de drone na Ucrânia contra base russa

A defesa aérea russa abateu um 'drone' ucraniano que se aproximava de uma base aérea no sul do país, tendo os destroços do aparelho não tripulado atingido mortalmente três pessoas no solo, foi esta segunda-feira noticiado.
10:52 | 25/12

Putin diz que Rússia estava pronta a negociar mas Ucrânia não quis

O presidente russo, Vladimir Putin, disse que a Rússia estava pronta a negociar com todas as partes envolvidas na guerra na Ucrânia, mas que Kiev e os apoiantes do Ocidente recusaram.

"Estamos prontos para negociar com todos os envolvidos sobre soluções aceitáveis, mas isso é com eles - não somos nós que nos recusamos a negociar, são eles", disse Putin numa entrevista à televisão estatal russa.
11:50 | 24/12

Pelo menos oito mortos em Kherson após ataque russo

Pelo menos oito pessoas morreram e 17 ficaram feridas este sábado num ataque russo no cento de Kherson, na Ucrânia, refere Ministério Público de Kherson.

"De manhã, no sábado, na véspera do Natal, na parte central da cidade. Estas não são instalações militares. Isto não é uma guerra de acordo com as regras definidas", disse o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky em reação ao ataque.
23:17 | 23/12
Lusa

Congresso dos EUA aprova orçamentos para 2023 que incluem cerca de 40 mil milhões de euros para a Ucrânia

O Congresso dos Estados Unidos aprovou esta sexta-feira os orçamentos para o ano de fiscal de 2023, que contemplam um gasto de cerca de 1,7 biliões de dólares, incluindo 45 mil milhões de dólares (42192 milhões de euros) para a Ucrânia.
16:50 | 20/12
Lusa

Dois jornalistas italianos alvo de disparos russos "intencionais" em Kherson

Dois jornalistas italianos afirmaram esta terça-feira terem sido alvo de um ataque deliberado das forças russas na cidade ucraniana de Kherson (leste).

Os jornalistas referiram que o veículo foi visado pelas forças russas "intencionalmente", mas que tinham conseguido fugir em segurança.
16:28 | 20/12
Lusa

Putin vai fixar na quarta-feira objetivos das Forças Armadas russas para 2023

O Presidente russo Vladimir Putin vai fixar os objetivos do Exército russo para 2023 durante um encontro na quarta-feira com altos responsáveis militares, anunciou esta terça-feira o Kremlin no nono mês da ofensiva de Moscovo na Ucrânia
13:14 | 19/12

Ataque russo provoca cortes de energia em Kiev e dez regiões ucranianas

A cidade de Kiev e dez regiões da Ucrânia estão a ser afetadas por cortes no fornecimento de eletricidade, após nova vaga de ataques com 'drones' pelas forças russas, disse esta segunda-feira o operador ucraniano Ukrenergo.
19:13 | 16/12

NATO acredita que Rússia se prepara para uma longa guerra

A NATO está convencida de que a Rússia se prepara para uma longa guerra com a Ucrânia, até que o Presidente russo, Vladimir Putin, perceba "que não pode vencer no campo de batalha".
19:10 | 16/12

Chefe da diplomacia europeia condena "terror cego" dos bombardeamentos russos

O chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, considerou esta sexta-feira como "crimes de guerra" os bombardeamentos maciços com mísseis disparados pelas tropas russas contra a Ucrânia e denunciou que tal constitui "outro exemplo do terror cego do Kremlin".
08:59 | 16/12
Lusa

Kiev denuncia grande ataque da artilharia russa contra três cidades

As autoridades ucranianas disseram que houve esta madrugada explosões em três cidades, acusando a Rússia de ter lançado um "grande ataque com mísseis" contra centrais elétricas e infraestruturas básicas.
08:38 | 16/12

Kiev denuncia grande ataque da artilharia russa contra três cidades

As autoridades ucranianas disseram que houve esta madrugada explosões em três cidades, acusando a Rússia de ter lançado um "grande ataque com mísseis" contra centrais elétricas e infraestruturas básicas.

As autoridades locais ucranianas, através das redes sociais, referem-se a explosões em Kiev, em Krivoy Rog (centro) e em Kharkiv no nordeste do país.

De acordo com as mesmas fontes, os alarmes sonoros de aviso à população foram acionados.

15:44 | 15/12
Lusa

Presente trazido da Ucrânia explode em sede da polícia polaca em Varsóvia

Um presente recebido por um comandante da polícia da Polónia numa visita recente à Ucrânia explodiu na sede da polícia em Varsóvia, causando-lhe ferimentos ligeiros e a um funcionário civil, indicou esta quinta-feira o Ministério do Interior.
11:08 | 15/12

Relatório da ONU documenta pelo menos 441 crimes de guerra russos

O Alto-Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Volker Türk, apresentou esta quinta-feira um relatório do seu Gabinete documentando o assassínio de pelo menos 441 civis na Ucrânia, que podem constituir crimes de guerra dos invasores russos.
10:27 | 15/12

General ucraniano rejeita hipótese de cessar-fogo durante os festejos do ano novo

O General ucraniano Oleksiy Gromov rejeitou a hipótese de existir um cessar-fogo na guerra Ucrânia-Rússia durante os festejos de ano novo.

Gromov afirmou que "só haverá um cessar-fogo total quando não restar um único invasor nas nossas terras".

09:47 | 15/12

Rússia ataca centro de Kiev com drones e rejeita tréguas

A Rússia lançou esta quarta-feira um novo ataque a Kiev, num dia em que o Kremlin rejeitou apelos para uma trégua de Natal. Os alvos atingidos foram edifícios residenciais e administrativos e não infraestruturas elétricas, como vem acontecendo há várias semanas. As autoridades ucranianas dizem que 13 drones foram abatidos pelas defesas antiaéreas.
15:19 | 14/12
Lusa

Erdogan afirma ainda acreditar num cessar-fogo

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, disse esta quarta-feira que ainda está confiante na possibilidade de alcançar um cessar-fogo na Ucrânia, mantendo o diálogo com os líderes russo e ucraniano.
12:54 | 14/12
Correio da Manhã

Míssil russo atinge edifício administrativo em Kherson

As tropas de Putin dispararam vários lança-foguetes durante esta quarta-feira que atingiram um edifício de administração regional, localizado na praça central da cidade de Kherson, região do sul da Ucrânia, que se libertou do domínio russo há relativamente pouco tempo, de acordo com a Reuters.

O vice-chefe do escritório de Zelensky, Kyrylo Tymoshenko, revelou que dois andares do edifício administrativo ficaram danificados, mas que não existe registos de feridos.
08:22 | 14/12

Explosões em Kiev, diz presidente da câmara

O presidente da câmara de Kiev afirmou que várias explosões ocorreram esta quarta-feira na capital ucraniana.

"Explosões no bairro Shevchenkivsky. Os serviços [de emergência] estão a caminho", escreveu Vitali Klitschko, na plataforma Telegram.

O responsável acrescentou que o sistema de defesa antiaérea abateu 10 'drones' (aparelhos aéreos não tripulados) de fabrico iraniano sobre Kiev e arredores.
14:31 | 13/12
Lusa

Reino Unido sanciona russos e iranianos envolvidos nos bombardeamentos com 'drones'

O Reino Unido anunciou esta terça-feira um novo pacote de sanções a comandantes militares russos pelo envolvimento na invasão da Ucrânia e a empresários e funcionários iranianos envolvidos na produção ou fornecimento de 'drones' à Rússia.

Ao todo, foram sancionados 12 oficiais superiores das forças armadas russas, entre os quais o Major-General Robert Baranov, identificado por uma investigação do site Bellingcat como comandante de uma unidade responsável pela identificação de alvos dos mísseis de cruzeiro russos.

22:58 | 12/12

Zelensky propõe ao G7 acolher uma "cimeira de paz mundial"

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, propôs esta segunda-feira aos países do G7 a organização de uma "cimeira de paz mundial", para debater "como e quando" podem ser implementadas as exigências de Kiev para o final do conflito com a Rússia.

"A Ucrânia sempre liderou os esforços de negociação e fez de tudo para impedir a agressão russa. E agora sentimos uma oportunidade de usar a diplomacia para conseguir a libertação de todo o nosso povo, de todos os nossos territórios", sublinhou o chefe de Estado ucraniano.

17:26 | 12/12

232 moradores de Zaporíjia mantidos em cativeiro pelos russos

O chefe da administração militar da região ucraniana de Zaporíjia, Oleksandr Starukh, revelou a um canal televisivo ucraniano que "232 pessoas ainda estão em cativeiro. São representantes das autoridades, empresários e chefes de empresas. O propósito do rapto é diferente: roubar, forçar a cooperação".


Starukh também se pronunciou sobre as explosões que deflagraram em Melitopol, na Ucrânia, e que provocaram a morte e ferimentos a vários invasores. Devido à escassez de vagas nos hospitais locais, as tropas invasoras foram encaminhadas para a Crimeia, segundo informação divulgada pelo jornal britânico Daily News.
17:10 | 12/12

Apresentador russo pró-Kremlin traz críticas de soldados na linha da frente

Vladimir Soloviov, apresentador de um programa televisivo pró-Kremlin de grande audiência na Rússia, visitou a linha da frente da invasão da Ucrânia, onde ouviu de soldados russos críticas aos abastecimentos e à anterior liderança militar.

A má qualidade da comida e da água foi apontada, no programa emitido na noite de domingo (madrugada em Lisboa), por elementos de uma tripulação de helicópteros. "Mas quem é que confecciona a vossa alimentação?", perguntou-lhes Soloviov. "Somos nós próprios", reponderam-lhe.

13:56 | 12/12

Dois mortos em bombardeamento na cidade ucraniana de Kherson

Duas pessoas morreram e cinco ficaram feridas, esta segunda-feira, num "bombardeamento massivo" por parte das forças russas, no sul de Kherson, na Ucrânia, informou o governador, Yaroslav Yanushevych. 
07:28 | 12/12
Lusa

MNE da UE discutem apoio a Kiev antes da última cimeira do ano

Os chefes de diplomacia da União Europeia (UE) vão debater esta segunda-feira, em Bruxelas, o apoio à Ucrânia para fazer face à agressão militar russa, em vésperas da última cimeira de líderes do ano, que se realiza na quinta-feira.
13:53 | 11/12
Lusa

Eletricidade regressa a Odessa após cortes devido a ataques russos

A eletricidade está gradualmente a regressar a Odessa, após mais de 1,5 milhões de pessoas terem ficado sem energia devido a ataques russos a instalações de infraestruturas energéticas, disse este domingo a administração militar regional.

"Gradualmente, durante um breve período de tempo, a eletricidade está a regressar aos consumidores. As comunicações e a internet também estão a regressar", disse Serhiy Bratchuk, porta-voz da administração militar regional de Odessa, numa entrevista televisiva divulgada pela Ukrinform.

Acrescentou que "a situação operacional na região de Odessa continua difícil" e assegurou que os engenheiros "estão a trabalhar incansavelmente, tal como o comando operacional da administração militar regional".

13:53 | 11/12

Papa Francisco deseja que Natal traga "um raio de paz" às crianças que vivem em guerra

O Papa Francisco expressou, este domingo, o desejo de que o próximo Natal traga "um raio de paz" às guerras em todo o mundo, especialmente na Ucrânia, no final da oração do Ângelus, da janela do Palácio Apostólico.

"Convido-vos a rezar diante do presépio para que o Natal traga um raio de paz às crianças do mundo inteiro, especialmente àquelas obrigadas a viver dias terríveis e sombrios de guerra, esta guerra na Ucrânia, que destrói tantas vidas e tantas crianças", disse aos fiéis que o escutavam na Praça de São Pedro, citado pela Efe.

O pontífice também benzeu as figuras do menino Jesus levadas por crianças à praça do Vaticano, uma tradição natalícia iniciada em 1969, pelo Papa Paulo VI.

17:40 | 10/12
Lusa

UE consegue desbloquear 18 mil milhões de euros de ajuda à Ucrânia

Os países da União Europeia (UE) chegaram este sábado a acordo para desbloquear 18 mil milhões de euros de ajuda financeira à Ucrânia para 2023, contornando assim o veto da Hungria, noticiou a agência EFE.
19:38 | 07/12
Correio da Manhã

Proposto nono pacote de sanções contra a Rússia

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, revelou esta quarta-feira que o nono pacote de sanções contra a Rússia foi proposto. "Vamos fazer a Rússia pagar pela sua crueldade", escreveu na rede social Twitter.

A par das oito propostas anteriores, a Comissão Europeia pretende incluir com este novo pacote 200 indivíduos e entidades envolvidas em crimes de guerra na lista de sanções. 

19:00 | 07/12
Lusa

Sofrimento na Ucrânia "não pode tornar-se novo normal", diz o Alto-Comissário da ONU

O Alto-Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Volker Türk, defendeu esta quarta-feira em Kiev que o sofrimento em que estão milhões de civis em toda a Ucrânia "não pode tornar-se o novo normal".

Falando na capital ucraniana, após uma visita oficial de quatro dias ao país, Volker Türk disse que o nível de danos e destruição que viu em Izium foi "chocante", segundo um comunicado divulgado pela ONU.

Em Busha, a norte de Kiev, onde, pouco depois da retirada das tropas russas, foram mostradas imagens de cadáveres de civis espalhados nas ruas, empilhados, alguns carbonizados, outros amontoados em valas comuns, desencadeando a indignação da comunidade internacional, o Alto-Comissário da ONU disse que o trauma da população "permanece evidente".

17:28 | 07/12
Lusa

Presidente russo Vladimir Putin admite uso de armas nucleares mas só em resposta a ataque inimigo

O Presidente russo, Vladimir Putin, admitiu esta quarta-feira que poderá utilizar armas nucleares, mas só "em resposta" a um eventual ataque inimigo desse tipo ao território da Rússia.

"Consideramos as armas de destruição maciça, as armas nucleares, um meio de defesa. [Utilizá-las] insere-se num contexto a que chamamos 'ataque de retaliação': se nos atacam, nós atacamos em resposta", declarou Putin numa reunião por videoconferência com membros do Conselho de Direitos Humanos ligado ao Kremlin (Presidência russa).

O chefe de Estado russo, que já várias vezes emitiu ameaças de utilização de armas nucleares desde que invadiu a vizinha Ucrânia, a 24 de fevereiro deste ano, disse hoje que "em nenhuma circunstância" iniciará um ataque nuclear, ou seja, a Rússia nunca será a primeira a recorrer ao seu arsenal nuclear.

16:03 | 07/12

Analistas russos veem "mão" dos EUA em ataques de drones ucranianos

Os ataques dos últimos dias de drones ucranianos contra alvos no interior da Rússia são desvalorizados por influentes comentadores russos, alguns dos quais apontam para 'mão' norte-americana na ofensiva.
10:42 | 06/12
Lusa

Governador de Kursk diz que aeroporto russo foi atingido por drone de Kiev

O governador da região russa de Kursk afirmou esta terça-feira que um ataque com um drone provocou um incêndio num aeroporto da província que faz fronteira com a Ucrânia.
10:17 | 06/12
Reuters

Ministro da defesa russo acusa a Ucrânia de "terrorismo nuclear" contra a central nuclear de Zaporíjia

O ministro da defesa russo Sergei Shoigu disse, esta terça-feira, que a Ucrânia continua a bombardear a central nuclear de Zaporíjia e que é a principal responsável pela ameaça de uma possível catástrofe nuclear.

Shoigu disse que as forças russas estam a tomar "todas as medidas" para garantir a segurança da central eléctrica face ao que apelidou de "terrorismo nuclear" de Kiev.
16:10 | 05/12
Lusa

Moldávia sofre apagão após ataques russos na Ucrânia

A empresa nacional de energia da Moldávia, Moldelectrica, indicou esta segunda-feira que o sistema elétrico do país está a sofrer perturbações após uma nova vaga de ataques de mísseis russos contra a vizinha Ucrânia.
15:38 | 05/12
Lusa

Putin atravessa ponte da Crimeia parcialmente destruída em outubro

O Presidente russo Vladimir Putin deslocou-se esta segunda-feira à ponte da Crimeia parcialmente destruída em outubro num ataque, na sua primeira visita à península anexada desde o início da ofensiva na Ucrânia, indicaram esta segunda-feira os 'media' russos.
14:41 | 05/12

Fragmento de míssil encontrado na Moldávia, junto à fronteira com a Ucrânia

A polícia Moldava encontrou esta segunda-feira fragmentos de um míssil numa região norte na fronteira com a Ucrânia.
14:24 | 05/12

Zelensky é a personalidade do ano pela revista Financial Times

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, foi eleito pela revista britânica Financial Times como personalidade do ano, onde é definido como um "porta-estandarte da democracia liberal na disputa global mais ampla contra o autoritarismo, que pode definir o século XXI".
12:44 | 05/12
Lusa

Rússia adverte que não reconhece limite de preço para o seu petróleo bruto

A Rússia alertou esta segunda-feira que não reconhece um limite para o preço do seu petróleo e que está a preparar uma resposta à decisão da União Europeia e do G7 de estabelecer o preço de 60 dólares por barril.
12:41 | 05/12
Reuters

Rússia lança novos ataques com mísseis e obriga ucranianos a fugirem para abrigos

A Rússia desencadeou novos ataques com mísseis na Ucrânia, esta segunda-feira, e levou a que várias pessoas fugissem para abrigos em todo o país, à medida que as defesas aéreas ucranianas entravam em acção.

As sirenes de ataques aéreos soaram em Kiev, e por toda a Ucrânia, no que as autoridades descreveram como a última vaga de ataques de mísseis russos desde a invasão de 24 de fevereiro. 
21:58 | 03/12

Rússia vai deixar de fornecer petróleo à Europa este ano

A Rússia vai deixar de fornecer petróleo à Europa este ano, depois de a União Europeia (UE) ter limitado o preço do crude de Moscovo, anunciou, este sábado, o embaixador do país junto das instituições internacionais.

"A partir deste ano, a Europa viverá sem petróleo russo. Moscovo já deixou claro que não fornecerá petróleo aos países que apoiam um teto máximo", afirmou Mikhail Ulyanov, através de uma publicação na rede social Twitter.

21:57 | 03/12

Zelensky considera insuficiente limite para preço do petróleo russo

O Presidente ucraniano Volodymyr Zelensky considerou, este sábado, insuficiente a limitação do preço do barril de petróleo russo a 60 dólares (56 euros) ao considerar não ser uma "decisão séria", com Kiev a sugerir um preço duas vezes mais baixo.

Na sexta-feira, a União Europeia (UE), o G7 (as sete economias mais ricas do mundo) e a Austrália concordaram na imposição deste teto máximo, com a Rússia a indicar de imediato que "não aceitará" esta limitação, que deverá ser aplicada nos próximos dias para limitar os meios financeiros de Moscovo na sequência da invasão militar da Ucrânia.

12:41 | 03/12
Lusa

Autoridades ucranianas pedem à população que "aguente" os constantes cortes de energia

As autoridades ucranianas apelaram este sábado à população que tente "aguentar" os cortes de energia que passaram a marcar a sua vida diária após os ataques russos das últimas semanas, que danificaram significativamente a rede elétrica nacional.

"A partir de segunda-feira, exigirei que a Oblenergo (uma operadora) reveja os horários da região. Muito provavelmente haverá interrupções de quatro horas", indicou no Telegram o governador da região de Mykolaiv (sul da Ucrânia), Vitali Kim.

07:34 | 03/12
Lusa

Apagões na Ucrânia põem em risco vida de doentes crónicos dependentes de equipamento médico

Os apagões causados pelos ataques russos com mísseis e drones contra a infraestrutura elétrica civil ucraniana põem em perigo os ucranianos gravemente doentes que dependem do fornecimento ininterrupto de eletricidade.

"Maksym depende de duas coisas. Cuidados permanentes e eletricidade", disse à EFE Liliia Leptso enquanto vigia o seu filho de nove anos, que está a olhar para uns desenhos animados num 'tablet' junto à sua cama.

07:29 | 03/12
Lusa

Barril de petróleo russo limitado a 57 euros após acordo entre G7 e Austrália

Os países do G7, juntamente com a Austrália, concordaram esta sexta-feira com um limite de preço de 60 dólares por barril para o petróleo russo, após um acordo alcançado pelos 27 Estados-membros da União Europeia, refere um comunicado conjunto.

Após várias rondas de negociações de última hora, a presidência da União Europeia (UE), ocupada pela República Checa, tinha anunciado mais cedo, na rede social Twitter, que "os embaixadores acabaram de chegar a um acordo sobre o preço máximo do petróleo marítimo russo".

21:51 | 02/12

Governo italiano aprova envio de armas a Kiev para todo o ano de 2023

O Governo italiano aprovou um decreto prolongando o fornecimento de ajuda, incluindo armamento, à Ucrânia para todo o ano de 2023.

Com o nome de "decreto da NATO" (Organização do Tratado do Atlântico-Norte, bloco de defesa ocidental), o diploma aprovado na quinta-feira à noite, o sexto de ajuda de Itália a Kiev, deverá ser adotado até ao final deste ano ou no início do próximo, indicaram várias fontes.

Espera-se que inclua sistemas de defesa antimísseis terra-ar Aspide (Asp) para ajudar a deter o bombardeamento da Ucrânia com mísseis russos.

16:17 | 02/12
Lusa

Embaixada ucraniana em Madrid recebe novo pacote suspeito

A embaixada da Ucrânia em Madrid recebeu esta sexta-feira um pacote com alegados vestígios de sangue, semelhante aos recebidos por várias entidades nas últimas horas, tendo um grande destacamento da polícia ocupado, de imediato, as imediações da delegação diplomática.

Segundo o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Oleg Nikolenko, o pacote é semelhante aos recebidos por embaixadas e consulados em vários países europeus, mas ainda não é possível tirar conclusões, já que "estão em curso investigações".

15:49 | 02/12
Lusa

Comissão Europeia preocupada com desinformação sobre a guerra

A vice-presidente da Comissão Europeia Vera Jourová revelou esta sexta-feira no primeiro encontro anual do European Media and Information Fund (EMIF) que "as plataformas 'online' são um campo de batalha ativo na invasão russa da Ucrânia".

Um dia após a Comissão Europeia anunciar a criação de seis novos centros multinacionais de combate à desinformação, passando a cobrir todos os 27 países da União Europeia, Vera Jourová mostrou-se preocupada em relação à desinformação sobre a guerra na Ucrânia, numa mensagem gravada para o evento que decorreu, esta sexta-feira, na Fundação Calouste Gulbenkian.

14:42 | 30/11

Portugal reforça com um milhão de euros pacote da NATO de ajuda à Ucrânia

O ministro dos Negócios Estrangeiros anunciou, esta quarta-feira, que Portugal vai avançar com uma contribuição extraordinária de um milhão de euros para o pacote da NATO de apoio não letal à Ucrânia, num contexto de crise energética naquele país.

"Portugal vai dar um contributo extraordinário para o pacote de assistência abrangente, que é um pacote da NATO para apoio não letal e, portanto, que será também dedicado à reposição da capacidade energética da Ucrânia. E demos hoje a indicação que avançaremos com uma contribuição extraordinária de um milhão de euros", anunciou.

14:40 | 30/11

Tropas russas atacam central nuclear ucraniana de Zaporíjia

A central nuclear ucraniana de Zaporíjia foi bombardeada, esta quarta-feira de madrugada, pelas tropas russas, avança Oleksandr Starukh, chefe da administração militar da região, citado pelo jornal britânico The Guardian. 

Na sequência dos ataques uma distribuição da estação de gás ficou danificada, tendo provocado um incêndio que já foi extinto pelas autoridades. 
17:02 | 27/11

Sistema energético na Ucrânia estabilizado após dias sem luz devido a ataques russos

O primeiro-ministro ucraniano, Denys Shmyhal, anunciou este domingo que o sistema energético do país foi finalmente estabilizado após os ataques russos no início desta semana terem deixado grande parte da Ucrânia sem eletricidade.


22:53 | 25/11

Abastecimento de água e luz totalmente restabelecido em Kharkiv

As autoridades locais de Kharkiv, no leste da Ucrânia, adiantaram, esta sexta-feira, que já foi restaurada na sua totalidade o abastecimento de água e eletricidade naquela cidade, após os ataques das forças russas ocorridos esta semana.
22:51 | 25/11
Lusa

Kiev proíbe exportação de lenha devido a cortes na eletricidade

O Governo ucraniano ordenou esta sexta-feira a proibição da exportação de lenha, assumindo que pode ser um material fundamental para garantir o aquecimento face a um inverno que, em princípio, será marcado por problemas no abastecimento de eletricidade.

Kiev já havia vetado a exportação de carvão em setembro e agora fez o mesmo com a lenha.

22:49 | 25/11
Lusa

Mais de seis milhões de casas continuam com cortes de energia, diz Zelensky

Mais de seis milhões de residências continuavam esta sexta-feira afetadas por cortes de energia na Ucrânia, dois dias depois dos ataques em massa da Rússia contra infraestruturas energéticas naquele país, adiantou o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

"Os 'blackouts' continuavam esta noite [sexta-feira] na maioria das regiões e em Kiev. Mais de seis milhões de lares no total", em comparação com quase 12 milhões na quarta-feira, o dia em que ocorreu o bombardeamento russo em massa, sublinhou Zelensky no seu habitual discurso noturno diário publicado nas redes sociais.

22:01 | 25/11
Lusa

UE ajuda no restabelecimento do fornecimento de energia na Ucrânia

A presidente da Comissão Europeia, assegurou esta sexta-feira ao presidente da Ucrânia que a União Europeia (UE) está a trabalhar para ajudar o país a "restabelecer e manter" o fornecimento de eletricidade e aquecimento para a população.

"Transmiti ao Presidente Volodimir Zelenski a plena solidaridade da UE con a Ucrânia, que está a sofrer com os bombardeamentos propositados e bárbaros de Putin contra a infraestrutura civil do país", indicou Ursula von der Leyen, em comunicado, depois de falar com telefone com Zelenski.

21:56 | 25/11
Lusa

AIEA vai enviar especialistas à central nuclear Sul da Ucrânia na próxima semana

A Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) anunciou esta sexta-feira que vai enviar uma missão de especialistas à central nuclear Sul da Ucrânia, na próxima semana, para verificar a segurança, após concluir a análise em Chernobyl.

O anunciou foi feito pelo diretor-geral de AIEA, Rafael Grossi, num comunicado, no qual também confirma que as quatro centrais nucleares ucranianas ativas, que tinham perdido a ligação à energia externa, estão novamente conectadas à rede elétrica.

19:20 | 25/11

Quinze civis mortos em bombardeamento russo em Kherson

Os bombardeamentos russos na cidade de Kherson, no sul da Ucrânia, provocaram, esta sexta-feira, quinze mortos entre civis, adiantou uma autoridade militar daquela cidade, da qual as forças de Moscovo se retiraram há duas semanas.

"Morreram 15 habitantes da cidade e 35 ficaram feridos, incluindo uma criança", como resultado dos ataques russos, referiu Galyna Lugova, chefe da administração militar da cidade, numa publicação nas redes sociais.

17:48 | 25/11

Milhões em Kiev ainda sem luz e aquecimento dois dias após ataques russos

Quase metade dos habitantes de Kiev continuavam, esta sexta-feira, sem eletricidade e dois terços sem aquecimento, dois dias depois dos ataques russos terem voltado a visar infraestruturas críticas, numa altura em que as temperaturas negativas chegam à região.

"Um terço das casas em Kiev já tem aquecimento, os especialistas continuam a trabalhar para restaurar o abastecimento de energia. Metade dos utilizadores ainda estão sem eletricidade", disse Vitaly Klitschko, o presidente da câmara da capital ucraniana, onde residem cerca de três milhões de pessoas.

23:32 | 23/11

Zelensly denuncia à ONU "crime contra a humanidade"

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, denunciou esta quarta-feira à ONU o ataque da Rússia à infraestrutura energética do país, o que classificou como um "crime contra a humanidade".

"Com temperaturas abaixo de zero, vários milhões de pessoas sem abastecimento de energia, sem aquecimento e sem água, trata-se, obviamente, de um crime contra a humanidade", afirmou Zelensky, que falava, por vídeo, ao Conselho de Segurança das Nações Unidas, no âmbito de uma reunião de emergência que o próprio solicitou.

Novos ataques russos na Ucrânia fizeram 30 vítimas civis, entre mortos e feridos, e deixaram esta quarta-feira milhões de pessoas sem eletricidade, acesso a água e aquecimento, quando se registam já temperaturas negativas nalgumas regiões, segundo as Nações Unidas.

21:36 | 23/11

Eurodeputados portugueses divididos no reconhecimento da Rússia como Estado terrorista

A resolução esta quarta-feira aprovada no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, que reconhece a Rússia como um Estado patrocinador do terrorismo, dividiu os eurodeputados portugueses, com alguns socialistas e bloquistas a absterem-se por a considerarem contraproducente.

Com 494 votos a favor, 58 contra e 44 abstenções, os eurodeputados aprovaram esta quarta-feira, na sessão plenária em Estrasburgo (França), uma resolução que denuncia os ataques russos à Ucrânia como "atos de terror e crimes de guerra".

No Partido Socialista, as opiniões estiveram divididas, com cinco deputados a favor e quatro abstenções.

21:35 | 23/11

Kremlin nega diálogo com EUA para promover negociações de paz com Kiev

O Kremlin negou esta quarta-feira  que a Rússia e os Estados Unidos estejam em contacto para promover negociações de paz com Kiev, após fonte militar norte-americana ter apontado esse cenário como possível devido ao impasse de Moscovo na Ucrânia.

O chefe do Estado-Maior Conjunto dos EUA, Mark Milley, referiu em 09 de novembro que é improvável que a Rússia alcance uma "vitória militar no sentido próprio do termo, alcançada por meios militares", acrescentando que existe "uma janela de oportunidade de negociação".

Mas o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, sublinhou esta quarta-feira que as palavras de Milley não implicam que Moscovo esteja a manter conversações com os Estados Unidos para propor uma mesa de negociações com a Ucrânia, referiu a agência notícias Interfax.

21:18 | 23/11

Papa relaciona "terrível sofrimento" dos ucranianos com "genocídio" de Estaline

O Papa Francisco relacionou esta quarta-feira o sofrimento atual dos ucranianos com o "genocídio causado por Estaline" nos anos 30, quando o ditador soviético foi acusado de causar fome na Ucrânia, que terá vitimado mais de 3 milhões de pessoas.
18:36 | 23/11

Moscovo e Kiev anunciam nova troca de prisioneiros de guerra

As autoridades da Rússia e da Ucrânia confirmaram esta quarta-feira uma nova troca de prisioneiros de guerra, com o regresso aos respetivos países de 70 pessoas, entre soldados e civis.

De acordo com o chefe de gabinete da presidência ucraniana, Andriy Yermak, entre os libertados pela Rússia incluem-se ucranianos que defenderam a cidade de Mariupol, palco de violentos confrontos nas primeiras semanas da guerra.

Segundo Yermak, a Rússia entregou 22 guardas nacionais, quatro soldados da Marinha e um civil, a quem as Forças armadas russas tinham amputado uma perna, segundo a agência noticiosa ucraniana UNIAN.

18:35 | 23/11

Pentágono diz que Rússia regista falta de munições, Moscovo desmente

A Rússia regista uma "penúria significativa" de munições para a sua artilharia e que poderão limitar no futuro as suas operações na Ucrânia, declarou esta quarta-feira o ministro da Defesa norte-americano Lloyd Austin, e apesar dos desmentidos de Moscovo.

"Os russos enfrentam problemas logísticos desde o início" da invasão da Ucrânia, e "ainda estão numa situação fragilizada com a logística", declarou Austin a um grupo de jornalistas a bordo de um avião militar.

"[Os russos] registam uma penúria significativa de mísseis de artilharia", em particular pelo facto de Kiev ter destruído diversas reservas de munições russas", precisou o chefe do Pentágono.

17:10 | 23/11

Ucrânia reclama ter abatido 51 de 70 mísseis russos

A Força Aérea ucraniana reivindicou esta quarta-feira ter conseguido abater 51 dos 70 mísseis russos disparados e que provocaram falhas generalizadas nas principais infraestruturas de energia do país.

"No total, foram disparados cerca de 70 mísseis de cruzeiro Kh-101/Kh-555 Kalibr. As forças de defesa aérea destruíram 51 mísseis. Além disso, cinco 'drones' do tipo Lancet foram destruídos no sul do país", informou a Força Aérea da Ucrânia, na rede social Telegram.

O Ministério da Energia da Ucrânia já reconheceu que esta barragem de ataques russos provocou danos graves nas principais infraestruturas energéticas do país, anunciando que milhões de pessoas ficaram sem acesso a eletricidade ou água.

08:38 | 23/11
Lusa

Bebé morre em ataque russo contra maternidade de Zaporijia

Um bebé morreu na sequência de um ataque russo numa maternidade na região ucraniana de Zaporijia, anexada por Moscovo, disseram esta terça-feira os serviços de socorro de Kiev através das redes sociais.
22:44 | 22/11

Ucrânia inicia investigação a vídeo de alegadas execuções de presos russos

A Procuradoria-Geral ucraniana iniciou uma investigação sobre a alegada execução de prisioneiros russos por soldados ucranianos, após uma denúncia de Moscovo do surgimento nas redes sociais de vídeos que parecem indicá-lo.

Anteriormente, o comissário para os Direitos Humanos da Ucrânia, Dimitro Lubinets, indicou que os soldados russos primeiro declararam a sua rendição e depois abriram fogo sobre as tropas ucranianas, que responderam aos disparos.

"Responder a fogo com fogo não é crime de guerra", comentou.

19:49 | 22/11

Joseph Borrell redere que máquina de propaganda russa é muito poderosa

O chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Josep Borrell, reconheceu esta terça-feira que a batalha desigual que Bruxelas trava contra a máquina de propaganda russa afeta a perceção dos países que beneficiam da sua ajuda.

Num debate no Parlamento Europeu (PE) sobre o desbloqueio de cereais ucranianos retidos pela guerra iniciada pela Rússia, Borrell reconheceu que o regime do Presidente Vladimir Putin tem conseguido criar a ideia em África de que os problemas alimentares resultam das sanções ocidentais contra Moscovo.

"A máquina de propaganda de [Vladimir] Putin é muito poderosa", disse Borrell aos eurodeputados em Estrasburgo, França.

19:02 | 22/11

Forças russas em "alerta máximo" após ataque de 'drones' na Crimeia

A península ucraniana da Crimeia, controlada pela Rússia, foi alvo esta terça-feira de um ataque de 'drones', com as forças russas a ficarem "em alerta máximo", informou o Kremlin.

"Houve um ataque com 'drones'", confirmou o governador da região administrativa de Sebastopol, na Crimeia, Mikhail Razvojayev, que explicou que as forças de defesa aérea estavam em estado de alerta e que já tinham abatido dois desses 'drones'.

Mikhail Razvozhayev acrescentou que nenhuma infraestrutura civil foi danificada e pediu aos habitantes para permanecerem calmos.

14:53 | 22/11
Lusa

Rússia anuncia morte de três pessoas em explosão em Belgorod

Várias explosões mataram três pessoas na região russa de Belgorod, na fronteira com a Ucrânia, anunciaram esta terça-feira as autoridades deste território, onde estão em construção fortificações.
11:11 | 22/11

Apagões na Ucrânia podem durar até ao final de março

O diretor do principal fornecedor de energia para Kiev, Serguei Kovalenko, alertou esta segunda-feira que os ucranianos podem ter que viver com apagões pelo menos menos até ao final de março
14:38 | 21/11
Lusa

Zelensky pede a parlamentos da NATO para declararem Rússia "estado terrorista"

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, apelou esta segunda-feira aos parlamentos de todos os países da NATO para declararem a Rússia um "estado terrorista" e pediu mais sistemas de defesa aéreos e antimísseis.

Zelensky defendeu, numa intervenção por videoconferência na 68.ª sessão anual da Assembleia Parlamentar da NATO, em Madrid, que a Rússia está a levar a cabo uma "política genocida" na Ucrânia, que tem como alvos a população civil ou infraestruturas energéticas e de fornecimento de água, com efeitos similares aos das armas de destruição maciça.

13:21 | 21/11
Reuters

"Todos precisamos de proteção garantida": Zelensky pede que NATO proteja centrais nucleares ucranianas

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, pediu, esta segunda-feira, aos membros da NATO para garantirem a proteção das centrais nucleares da Ucrânia contra a sabotagem russa.

"Todas as nações estão interessadas em não ter incidentes perigosos nas nossas instalações nucleares", disse Zelensky num discurso, em vídeo ,para a Assembleia Parlamentar da NATO, em Madrid. "Todos nós precisamos de proteção garantida contra a sabotagem russa nas instalações nucleares".
11:22 | 21/11
Reuters

Chefe nuclear russo alerta para possível "acidente nuclear" em Zaporijia

O chefe da agência estatal russa de energia nuclear, Rosatom, alertou, esta segunda-feira, que há risco de um acidente nuclear na central nuclear de Zaporijia, após um novo bombardeamento durante o fim-de-semana, informou a agência de notícias TASS.
11:06 | 21/11

Kremlin quer levar à justiça responsáveis pela execução de soldados russos rendidos

O Kremlin disse esta segunda-feira que vai levar à justiça os responsáveis pela alegada execução de mais de dez prisioneiros de guerra russos na Ucrânia, o que considerou um crime de guerra.

"A Rússia está à procura dos autores deste crime. Eles devem ser encontrados e punidos", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, aos repórteres. O vídeo da execução circula nos meios de comunicação social russos.
13:35 | 20/11
Lusa

Agência nuclear ucraniana acusa Rússia de bombardear central nuclear de Zaporijia

A agência nuclear ucraniana acusou este domingo a Rússia de bombardear a central nuclear de Zaporijia, pouco depois de Moscovo ter acusado Kiev de atacar o local.
12:27 | 20/11
Lusa

Rússia acusa forças ucranianas de terem bombardeado central de Zaporijia

A Rússia acusou este domingo as forças ucranianas de terem realizado novos bombardeamentos contra a central nuclear de Zaporijia, no sul da Ucrânia, garantindo que o nível de radiação permanece "em conformidade com a norma".
23:19 | 19/11

Moscovo pede à ONU que investigue execução de militares russos

O Conselho da Presidência Russa para os Direitos Humanos pediu, este sábado, à ONU para criar uma comissão internacional para investigar alegadas execuções de soldados russos no leste da Ucrânia.

"Pedimos a criação de uma comissão internacional para investigar os crimes das Forças Armadas da Ucrânia e dos militantes que lutam ao seu lado, a investigação minuciosa de todos os factos conhecidos e punição dos que os cometeram de acordo com as normas, leis internacionais e legislação nacional", refere um comunicado citado pela agência de notícias Interfax.

16:42 | 18/11
Lusa

Kiev diz que cerca de metade do sistema energético está inoperacional

O primeiro-ministro ucraniano, Denys Shmyhal, afirmou hoje que cerca de metade do sistema energético do país está inoperacional na sequência dos ataques russos contra esta decisiva infraestrutura do país.

"Infelizmente, a Rússia prossegue os seus ataques com mísseis contra a infraestrutura civil essencial da Ucrânia, combatendo contra a sua população civil e privando-a de luz, água, aquecimento e comunicações durante o inverno", disse Shmyhal em Kiev num encontro com Valdis Dombrovskis, vice-presidente da Comissão Europeia.

"Só no dia 15 de novembro, a Rússia disparou cerca de 100 mísseis contra cidades ucranianas. Quase metade do nosso sistema energético está fora de serviço", acrescentou.

17:19 | 17/11
Lusa

Minas terrestres fizeram 227 vítimas civis na Ucrânia

As minas antipessoais provocaram pelo menos 227 vítimas civis nos primeiros nove meses de guerra na Ucrânia, cinco vezes mais que os mortos por este tipo de arma em 2021, indica um relatório anual sobre o impacto destes artefactos.
11:22 | 17/11

Ucrânia insiste que Rússia é responsável pelo míssil que atingiu a Polónia

O chefe da diplomacia ucraniana apontou esta quinta-feira a Rússia como "inteiramente responsável" pelo míssil que atingiu território polaco e matou duas pessoas, falando após um contacto telefónico com o homólogo norte-americano, Antony Blinken.
09:48 | 17/11

Ucrânia anuncia continuação do acordo sobre exportação de cereias

O acordo sobre a exportação de cereais ucranianos através do Mar Negro vai ser prolongado 120 dias, confirmou esta quinta-feira o ministro das Infraestruturas do governo de Kiev.  

"A iniciativa [transporte de cereais] no Mar Negro vai ser prolongada por mais 120 dias", disse esta quinta-feira o ministro Oleksandre Koubrakov através de uma mensagem difundida hoje através da rede social Twitter.

09:46 | 17/11

Rússia dispara míssil na região de Odessa

A Rússia disparou um míssil, esta quinta-feira, na região de Odessa, na Ucrânia. 

Várias infra-estruturas foram atingidas na região ucraniana que não era atingida há várias semanas, segundo The Kyiv Independt.

O governador, Maksym Marchenko alertou sobre ameaça de um "ataque maciço com mísseis contra todo o território da Ucrânia"
22:31 | 16/11

ONU condena violação dos direitos humanos na Crimeia

Uma comissão da assembleia geral das Nações Unidas aprovou, esta quarta-feira, uma resolução a considerar a ocupação russa da península ucraniana da Crimeia ilegal e a condenar "as violações e abusos dos direitos humanos" perpetrados contra a população da zona.

O texto, centrado na situação dos direitos humanos na Crimeia, e impulsionado pela Ucrânia e alguns dos seus aliados, foi aprovado com 78 votos a favor, entre os quais de Portugal, 14 contra e 79 abstenções.

17:49 | 16/11

Câmara de tortura encontrada em Kherson

O serviço de segurança ucraniano afirma que descobriu, esta quarta-feira, outra câmara de tortura alegadamente utilizada pelas forças russas durante a ocupação de kherson, avança a CNN Internacional.

Os russos "mantiveram patriotas locais que se recusaram a cooperar com o inimigo em condições desumanas", disse o Serviço de Segurança Ucraniano, citado pela CNN Internacional. 

"Os residentes de Kherson foram interrogados e brutalmente torturados. Durante a inspeção da câmara de tortura, as autoridades encontraram artigos que indicam sinais de tortura".
11:22 | 16/11

Presidente da Polónia diz que míssil que atingiu o país era ucraniano

A Polónia vai comunicar à NATO que o míssil que atingiu o país, esta terça-feira, era ucraniano e que não vai ativar o artigo 4.º do tratado da aliança, confirmou uma fonte diplomática europeia à agência EFE.

O Presidente polaco Andrzej Duda disse em Varsóvia que "é provável" que o míssil "tenha sido lançado pela Ucrânia" e acrescentou que "nada indica" que tenha sido um "ataque deliberado à Polónia".
11:21 | 16/11

Presidente dos EUA diz que explosão na Polónia foi causada por míssil da defesa ucraniana

O Presidente dos EUA Joe Biden disse ao G7 e aos parceiros da Nato que uma explosão de um míssil no leste da Polónia foi causada por um míssil de defesa aérea ucraniano, referiu fonte da Nato esta quarta-feira à Reuters
11:20 | 16/11

Pequim pede contenção após míssil de fabrico russo ter atingido a Polónia

A China pediu esta quarta-feira "calma" a todas as partes na sequência das informações sobre o míssil de fabrico russo que atingiram a Polónia e que colocaram o exército polaco em estado de alerta.

"Na situação atual, todas as partes envolvidas devem manter a calma e a contenção para que seja evitada uma escalada", disse Mao Ning, porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da China, em Pequim. 

11:19 | 16/11

Zelensky acusa Rússia de enviar mensagem ao G20 com míssil na Polónia

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, acusou esta quarta-feira a Rússia de ter querido enviar uma mensagem ao G20 com o ataque na Polónia, que atribuiu às forças russas.
11:18 | 16/11

NATO rastreia míssil que caiu na Polónia e matou duas pessoas

Um avião da NATO, que sobrevoava o espaço aéreo da Polónia, rastreou o míssil que explodiu no país na terça-feira e matou duas pessoas, disse fonte militar da Aliança à televisão norte-americana CNN.
"A informação com pistas de radar [do míssil] foi fornecida à NATO e à Polónia", acrescentou a mesma fonte, que não foi identificada.

11:07 | 16/11

Sirenes de ataques aéreos soam de novo em toda a Ucrânia

As sirenes de aviso de ataques aéreos soaram esta quarta-feira de manhã em todas as regiões da Ucrânia a pedido da força aérea, um dia depois de múltiplos ataques russos contra infraestruturas de energia.
Na sequência do pedido, as cerca de 20 regiões da Ucrânia estavam em alerta pouco depois de 10h00 locais (08h00 em Lisboa), segundo a agência francesa AFP.
11:06 | 16/11

Ex-presidente russo acusa Ocidente de fomentar terceira guerra mundial

O vice-chefe do Conselho de Segurança russo, Dmitri Medvedev, acusou esta quarta-feira o Ocidente de aumentar a possibilidade de uma terceira guerra mundial, ao comentar a queda de um míssil na Polónia, que atribuiu à Ucrânia.
11:04 | 16/11

Líderes do G20 realizam hoje reunião sobre queda de míssil na Polónia

Os líderes da União Europeia (UE) presentes na cimeira do G20 na Indonésia realizam esta quarta-feira uma reunião de "coordenação" para discutir a queda de um míssil na Polónia na terça-feira, anunciou o presidente da Conselho Europeu, Charles Michel.

Michel tomou esta decisão depois de falar ao telefone com o primeiro-ministro polaco, Mateusz Morawiecki, e assegurar-lhe "a plena unidade e solidariedade da UE em apoio à Polónia".

11:03 | 16/11

França apela a "maior cautela" na determinação de origem de míssil na Polónia

A Presidência francesa pediu esta quarta-feira "a maior cautela" na determinação da origem do míssil disparado contra a Polónia, referindo que "muitos países" da região têm o mesmo tipo de armamento.

"É lógico que abordemos a questão com a maior cautela (..) Muitos países têm o mesmo tipo de armamento e, por isso, identificar o tipo de míssil não é necessariamente identificar o ator que o lançou", sublinhou a Presidência francesa.

11:02 | 16/11

Biden e Sunak classificam de bárbaros últimos ataques da Rússia

O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e o primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, classificaram esta quarta-feira os últimos ataques aéreos da Rússia à Ucrânia como bárbaros.

Os dois líderes falavam no início de uma reunião à margem da cimeira do G20, na ilha indonésia de Bali.

18:28 | 15/11

Mais de sete milhões de lares sem eletricidade após ataques russos

Mais de sete milhões de habitações da Ucrânia estão sem eletricidade após novos bombardeamentos russos que visaram a rede elétrica do país, indicou esta terça-feira a Presidência da República ucraniana.

"Mais de sete milhões de lares estão agora sem eletricidade", depois de 15 centrais de produção de energia elétrica em toda a Ucrânia terem sofrido danos, declarou nas redes sociais Kyrylo Tymoshenko, o chefe-adjunto do gabinete do Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

"Os nossos engenheiros eletrotécnicos estão agora a fazer tudo o que podem para repor o fornecimento de eletricidade o mais rapidamente possível", acrescentou.

17:23 | 15/11
Lusa

Dois mortos na região russa de Belgorod após ataques ucranianos

Duas pessoas foram esta terça-feira mortas em ataques ucranianos contra a região russa de Belgorod, junto à fronteira com a Ucrânia, indicou no Telegram o governador da região, Viatcheslav Gladkov.

De acordo com este responsável, os ataques foram dirigidos contra a localidade de Chebekino. "Registaram-se dois mortos e três feridos", precisou Gladkov.

Este anúncio surge após a Ucrânia ter acusado a Rússia de ataques massivos contra o seu território, incluindo a capital Kiev, que segundo as autoridades ucranianas foram dirigidos contra as infraestruturas energéticas do país.

23:22 | 14/11

Canadá duplica ajuda a Kiev e aprova novas sanções contra russos

O Canadá impôs esta segunda-feira mais sanções contra a Rússia, desta vez a 23 altos responsáveis pelo alegado envolvimento em violações dos direitos humanos, e anunciou, por outro lado, a duplicação do valor da sua ajuda à Ucrânia.

O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, à chegada à ilha indonésia de Bali, onde arranca oficialmente na terça-feira a cimeira do G20.

As sanções anunciadas por Trudeau afetam 23 funcionários do sistema judicial e o aparelho das forças de segurança russas, desde polícias a juízes, procuradores e funcionários prisionais, alegadamente envolvidos na "violação flagrante e sistemática dos direitos humanos contra os líderes da oposição na Rússia".

22:06 | 14/11

Kiev exige compensações de guerra russas antes de conversações de paz

A Ucrânia defendeu, esta segunda-feira, perante as Nações Unidas que o pagamento de compensações de guerra pela Rússia é uma condição básica para negociar o fim do conflito e para que Moscovo seja penalizado pela invasão.

Kiev apresentou perante a Assembleia geral da ONU um projeto de resolução que solicita reparações à Federação russa para a Ucrânia e recomenda o estabelecimento de um registo internacional de danos durante o conflito.

O texto será votado no final de um debate no qual se inscreveram até ao momento 40 países.

22:01 | 14/11

Rússia destruiu central elétrica em Kherson antes de retirar

A empresa nacional ucraniana Ukrenergo afirmou, esta segunda-feira, que a Rússia destruiu uma central elétrica fundamental em Kherson antes da retirada das suas tropas da cidade e da margem direita do rio Dnieper, no sul da Ucrânia.

"A central energética que fornecia eletricidade a toda a margem direita da região de Kherson e a uma parte significativa da região de Mykolaiv está praticamente destruída", escreveu o presidente da Ukrenergo, Volodymyr Kudrytsky, na rede social Facebook, acrescentando que foi uma das "consequências do medo impotente dos ocupantes antes da sua fuga", na semana passada.

"A maior parte da região libertada de Kherson está sem eletricidade desde 06 de novembro [e] estamos a fazer o melhor que podemos para fornecer eletricidade às pessoas assim que possível", prosseguiu o responsável.

10:52 | 14/11
Correio da Manhã

Zelensky visita Kherson após retirada das tropas russas

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, fez uma visita inesperada à cidade da Ucrânia recentemente libertada, Kherson, esta segunda-feira. Zelensky considera que este terá sido um dos maiores sucessos do país desde o início do conflito armadado.

Segundo o jornal The New York Times, o presidente ucraniano terá dito perante centenas de pessoas que "passo a passo, estamos a chegar a todo o nosso país", ao qual acrescenta "estou feliz por estarmos em Kherson".
23:20 | 13/11
Correio da Manhã

Vladimir Putin ordena desmobilização de estudantes das regiões de Donetsk e Lugansk

O presidente russo, Vladimir Putin, ordenou a desmobilização de estudantes nos territórios ocupados de Donetsk e Lugansk que tinham sido convocados para serviço militar, revelou o Kremlin este domingo.
09:36 | 13/11

Guerra na Ucrânia impede comunicado final da cimeira da Ásia Oriental

A cimeira da Ásia Oriental, em que participam Estados Unidos e Rússia, terminou este domingo em Phnom Penh sem um comunicado conjunto devido a referências à guerra na Ucrânia, anunciou o chefe da diplomacia russa. 
11:12 | 12/11

Reino Unido diz que retirada de Kherson é "fracasso estratégico" russo

O ministro da Defesa britânico, Ben Wallace, descreveu este sábado a retirada das tropas russas da cidade ucraniana de Kherson como "outro fracasso estratégico" para Moscovo, e reiterou o apoio do Reino Unido à Ucrânia.

"A anunciada retirada da Rússia de Kherson marca outro fracasso estratégico para eles. Em fevereiro, a Rússia não conseguiu alcançar nenhum dos seus principais objetivos, exceto Kherson", disse Wallace, num comunicado citado pela agência espanhola EFE.

As tropas ucranianas entraram na cidade de Kherson na sexta-feira, depois de as forças russas se terem retirado para a margem sul do Rio Dniepre, a outra metade da região da Ucrânia que Moscovo ocupou nos primeiros dias da guerra.

10:28 | 12/11

Banksy grafita parede de edifício em ruínas na Ucrânia

O enigmático e reivindicativo artista britânico Banksy pintou um dos seus grafítis na parede de um edifício em ruínas na cidade ucraniana de Borodyanka, na região de Kiev, adianta o portal Ukrinform.
A imagem mostra uma rapariga a fazer um exercício de ginástica apoiada no chão e num equilíbrio quase impossível sobre os restos de uma das paredes destruídas pelos bombardeamentos.
09:50 | 12/11

Washington saúda "vitória extraordinária" ucraniana em Kherson

Os Estados Unidos saudaram este sábado a reconquista da cidade de Kherson pelas forças ucranianas, na sexta-feira, como uma "vitória extraordinária".

"Parece que os ucranianos acabam de obter uma vitória extraordinária: a única capital regional que a Rússia apreendeu nesta guerra está agora de volta sob a bandeira ucraniana, o que é bastante notável", disse o Conselheiro de Segurança Nacional Jake Sullivan, citado pela agência francesa AFP.

As tropas ucranianas entraram na cidade de Kherson na sexta-feira, depois de as forças russas se terem retirado para a margem sul do Rio Dniepre, a outra metade da região da Ucrânia que Moscovo controlava desde março.

18:49 | 11/11

Zelensky diz que reconquista de Kherson é um feito "histórico"

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, disse que o seu país está a viver "um dia histórico", após a reconquista às forças russas da cidade de Kherson, onde já estarão forças especiais ucranianas.

"Hoje é um dia histórico!", proclamou Zelensky, numa mensagem divulgada através das redes sociais.

13:57 | 11/11
Reuters

Exército ucraniano regressa a Kherson

A agência de inteligência de defesa da Ucrânia disse, esta sexta-feira, que o exército ucraniano estava a entrar em Kherson e que a cidade do sul estava a regressar ao controlo ucraniano depois de ter sido ocupada pelas forças russas desde março deste ano.

A direção principal dos serviços secretos do Ministério da Defesa ucraniano disse que quaisquer tropas russas que ainda se encontrem em Kherson, devem render-se imediatamente.

A declaração foi a primeira confirmação oficial de Kyiv de que as suas forças se encontravam em Kherson.
08:17 | 10/11

Vladimir Putin ausente da cimeira do G20

O Presidente russo, Vladimir Putin, não vai participar na cimeira do grupo das economias mais desenvolvidas (G20), na ilha indonésia de Bali, na próxima semana, anunciou esta quinta-feira a embaixada russa.
16:36 | 09/11
Reuters

Rússia ordena a retirada de tropas em Kherson

O Ministro da Defesa russo, Sergey Shoigu, ordenou, esta quarta-feira, a retirada das forças russas na região ocupada de Kherson e exortou que assumissem linhas defensivas na margem oposta do rio Dnipro, avança a reuters
00:46 | 08/11

Soldados russos de elite queixam-se da incompetência das chefias

Os militares de uma unidade russa de elite que combate na Ucrânia publicaram esta segunda-feira uma carta de protesto referindo as elevadas baixas que sofreram num ataque que, afirmam, foi planeado de forma "incompetente", noticia o portal russo de notícias no exílio Meduza.
00:45 | 08/11

Zelensky afirma que frente de Donetsk está coberta de cadáveres russos

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, afirmou esta segunda-feira que a frente de Donetsk, onde se travam combates intensos, está "literalmente coberta" com cadáveres russos e que "morrem às centenas todos os dias".
13:55 | 07/11

Kiev recebe sistemas de defesa antiaérea dos EUA, Noruega e Espanha

A Ucrânia recebeu novos sistemas de defesa antiaérea dos Estados Unidos, Espanha e Noruega para contrariar o bombardeamento maciço de infraestruturas críticas pela Rússia, anunciou hoje o ministro da Defesa ucraniano.

"Os sistemas de defesa aérea NASAMS e Aspide chegaram à Ucrânia! Estas armas irão fortalecer grandemente o exército ucraniano e tornar os nossos céus mais seguros", disse Oleksiy Reznikov na rede social Twitter, citado pela agência noticiosa francesa AFP.

"Vamos continuar a abater os inimigos que nos atacam. Graças aos nossos parceiros: Noruega, Espanha e os EUA", acrescentou Reznikov, que publicou duas fotografias das novas armas, mas sem precisar quantas unidades foram entregues às forças de Kiev.

13:12 | 07/11

Soldados russos de elite queixam-se da incompetência das chefias

Os militares de uma unidade russa de elite que combate na Ucrânia publicaram esta segunda-feira uma carta de protesto referindo as elevadas baixas que sofreram num ataque que, afirmam, foi planeado de forma "incompetente", noticia o portal russo de notícias no exílio Meduza.

"Os soldados da Brigada da Marinha de Guerra 155 enviaram uma carta ao governador de Primorye, Oleg Kozhemyako, queixando-se das ações de comando e que causaram grandes baixas", publica o portal Meduza, com sede em Riga. 

22:11 | 06/11

Autoridades preparam Kiev para inverno sem acesso a energia

O presidente da Câmara de Kiev, Vitali Klitschko, avisou os habitantes da capital ucraniana de que se devem preparar para o pior neste inverno, se a Rússia continuar a atacar as infraestruturas de energia.

"Estamos a fazer tudo para evitar isso. Mas, sejamos francos, os nossos inimigos estão a fazer tudo para que a cidade fique sem aquecimento, sem eletricidade, sem abastecimento de água", denunciou o autarca.

15:33 | 06/11

Barragem na região de Kherson "danificada" por ataque ucraniano

A barragem hidroelétrica de Kakhovka, na região sul ucraniana de Kherson, ocupada pela Rússia, foi "danificada" este sábado por um ataque ucraniano, disseram os serviços de emergência regionais às agências noticiosas russas.

"Hoje, às 10h00 (08h00 TMG e em Lisboa), foram lançados seis mísseis Himars. As unidades de defesa antiaérea abateram cinco, uma das quais atingiu a comporta da barragem de Kakhovka, que foi danificada", declarou um funcionário dos serviços de emergência, citado por agências russas.

Kiev acusou Moscovo nas últimas semanas de "minar a barragem", "mentiras" de acordo com as autoridades de ocupação russas.

23:24 | 05/11

EUA pede à Ucrânia que se mostre aberta para negociar com a Rússia

A administração de Joe Biden tem, de forma privada, encorajado os líderes ucranianos a demonstrar alguma abertura de negociação coma Rússia, exceto se Vladimir Putin for afastado do poder.

Com este pedido, as tropas americanas não pretendem empurrar a Ucrânia para a mesa de conversações, mas sim assegurar que o governo de Kiev consiga manter o apoio por parte das outras nações "que enfrentam circunscrições eleitorais cautelosas de alimentar uma guerra durante muitos anos", como se pode ler no jornal The Washington Post.
23:59 | 04/11

EUA alertam para "necessidade extrema" de reforço da defesa aérea de Kiev

A Ucrânia encontra-se num "momento crítico" e enfrenta uma "necessidade extrema" de equipamentos de defesa antiaérea, devido aos ataques russos contra infraestruturas de energia, alertou esta sexta-feira, em Kiev, o conselheiro de segurança nacional dos EUA, Jake Sullivan.

"Reconhecemos a necessidade extrema de defesa aérea, neste momento crítico em que a Rússia e as forças russas estão a lançar mísseis e 'drones' iranianos contra infraestrutura civil deste país", sublinhou Jake Sullivan em conferência de imprensa durante uma visita surpresa a Kiev.

Nas últimas semanas, Moscovo intensificou os seus ataques contra infraestruturas energéticas ucranianas, causando cortes de energia em grande escala em todo o país.

23:21 | 04/11

Zelensky afirma: "Estamos preparados para uma paz justa e equitativa"

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, garantiu esta sexta-feira que o seu país está preparado para "uma paz justa e equitativa" e negou a ideia que a Rússia está disposta a negociar o fim da guerra na Ucrânia.

A fórmula para alcançar a paz é o respeito pela Carta das Nações Unidas, pela integridade territorial da Ucrânia e seu povo, bem como uma punição para todos os culpados da Rússia pelo terrorismo e uma compensação total pelos danos causados, sublinhou o chefe de Estado ucraniano, no seu habitual discurso noturno diário dirigido à nação.

Para Zelensky, a atual "teimosia absolutamente sem sentido dos donos da Rússia é o melhor indicador de que tudo o que alguns líderes estrangeiros dizem sobre a sua alegada vontade de negociar é igualmente falso".

23:21 | 04/11

Juiz britânico qualifica invasão russa de "terrorismo"

Um juiz britânico absolveu esta sexta-feira 10 ativistas do Greenpeace que impediram um cargueiro de descarregar petróleo russo num porto inglês, considerando que a invasão da Ucrânia foi um ato de "terrorismo".

Os ativistas estavam a ser processados por invasão e obstrução de atividades legais, por terem ocupado um cais de um terminal no estuário do rio Tamisa, em maio.

20:43 | 04/11

Itália prepara fornecimento de um 6.º pacote de ajuda militar a Kiev

O ministro da Defesa de Itália, Guido Crosetto, disse esta sexta-feira, em entrevista ao diário católico Avvenire, que o novo governo italiano está pronto para aprovar um sexto pacote de ajuda militar à Ucrânia.

A decisão é consistente com as garantias dadas pela primeira-ministra, Giorgia Meloni, aos parceiros da Itália na NATO e na União Europeia de que não iria divergir deles na questão da invasão russa da Ucrânia.

O presidente italiano, Sergio Mattarella, disse hoje que a paz deve ser atingida na Ucrânia, mas baseada na liberdade e autodeterminação do povo ucraniano.

19:17 | 04/11

Putin comprometeu-se na entrega gratuita de cereais em África

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, anunciou que o seu homólogo russo, Vladimir Putin, se comprometeu a que os cereais exportados através do mar Negro cheguem gratuitamente aos países em desenvolvimento, especialmente em África.

Erdogan serviu de mediador para a Rússia voltar ao acordo de exportação de cereais a partir da Ucrânia, graças ao qual já saíram deste país 10 milhões de toneladas desde julho, segundo estimativas da ONU.

Esta semana, o chefe de Estado turco falou com o seu homólogo russo, que se comprometeu a eliminar obstáculos para que os cereais cheguem a "países como Djibuti, Somália e Sudão", precisou Erdogan numa reunião empresarial noticiada pela agência Anatólia.

17:28 | 04/11

Generais russos querem que comandantes utilizem as armas contra os desertores

As tropas russas começaram a implementar unidades de bloqueio "dada a baixa moral e relutância em lutar", de acordo com o mais recente boletim do Ministério da Defesa britânico. 

Como se pode ler no relatório  "as unidades [de bloqueio] ameaçam atirar os próprios soldados desetores para forçar ofensivas e foram usadas em conflitos anteriores pelas forças russas", ao qual se adiciona "recentemente, os generais russos queriam que os comandantes usassem as armas contra os desertores, incluindo autorizar disparos para matar esses militares depois de um aviso ter sido dado".
17:17 | 04/11

EUA anunciam novo pacote de ajuda militar à Ucrânia

Os EUA anunciaram esta sexta-feira que vão enviar para a Ucrânia mais ajuda militar no valor de 400 milhões de dólares (valor idêntico em euros), criando ainda um posto na Alemanha para supervisionar transferências de armas e treino militar.

O novo posto de comando na Alemanha, intitulado Grupo de Assistência à Segurança na Ucrânia, sinaliza um programa mais permanente e de longo prazo para continuar a ajudar Kiev na sua luta contra a Rússia, disse a porta-voz do Pentágono Sabrina Singh.

Os 400 milhões de dólares incluem contratos para 1.100 aviões não tripulados ('drones') Phoenix Ghost, o financiamento para recuperar 45 tanques e mais 40 barcos fluviais, entre outros sistemas, disse o Pentágono.

14:58 | 04/11
Reuters

Putin diz que a Polónia não abandonou a ideia de tomar posse de várias regiões da Ucrânia

O presidente russo, Vladimir Putin, disse esta sexta-feira que o Ocidente "enfia disparates históricos na cabeça de milhões de pessoas", incluindo o que realmente aconteceu durante a II Guerra Mundial e o papel da União Soviética sobre a Alemanha nazi.

Putin voltou também a referir que a Polónia não abandonou a ideia de tomar posse de várias regiões da Ucrânia. No entanto, o líder russo não citou qualquer evidência que confirme a acusação.

12:40 | 04/11

Putin diz que civis em Kherson devem ser evacuados

O presidente russo, Vladimir Putin, disse esta sexta-feira que os civis ucranianos que se encontram em Kherson devem abandonar a região, ilegalmente anexada pela Rússia.

"Aqueles que vivem em Kherson deve ser removidos da zona de conflito mais perigosa, porque a população civil não deve sofrer" disse Putin, durante um encontro com ativistas pró-Kremlin, numa altura em que o país celebra o Dia Nacional da União.

00:58 | 04/11

Regiões anexadas pela Rússia vão precisar de 14,81 mil milhões de euros para economia

As quatro regiões ucranianas anexadas em setembro pelo Kremlin -- Donetsk, Lugansk, Kherson e Zaporijia -- vão exigir 900.000 milhões de rublos (14,81 mil milhões de euros) para a economia, indicou a Associação de Bancos da Rússia ao jornal Izvestia.

"Se levar conta a população dos territórios que se juntaram à Rússia, cerca de seis milhões de pessoas, a procura por dinheiro seria de cerca de 500 a 600 mil milhões de rublos (de oito a 9,8 mil milhões de euros)", disse o vice-presidente da associação, Alexéi Voylúkov.

No entanto, de acordo com o banqueiro, "nessas regiões a infraestrutura de pagamentos ainda é pouco desenvolvida, existem poucas caixas de multibanco e terminais para pagamento sem dinheiro".

"Para isso, vão ser necessários aproximadamente 50% adicionais, até cerca 900 mil milhões de rublos", explicou.

Voylúkov destacou que é possível transferir essa quantia em dinheiro ao longo de vários meses.

Por sua vez, o banco russo Promsviazbank, que já opera nesses territórios, disse ao Izvestia que já está a reforçar gradualmente a sua rede local com dinheiro.

Segundo as autoridades bancárias, essa quantidade de papel-moeda, mesmo que parcialmente emitida, não afetará a inflação na Rússia.

00:56 | 04/11

Conclusão da AIEA representa "evidência clara" de que não havia "bomba suja" da Ucrânia

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, disse esta quinta-feira que a conclusão "óbvia" da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) representa a "evidência clara e irrefutável" de que não houve preparativos para uma "bomba suja" na Ucrânia.

"Demos total liberdade de ação" à missão da AIEA e após a sua conclusão, "temos provas claras e irrefutáveis de que ninguém na Ucrânia criou ou está em processo de fabricação de bombas sujas", afirmou o chefe de Estado ucraniano no seu habitual discurso noturno.

A AIEA disse esta quinta-feira não ter detetado "qualquer sinal de atividades nucleares não declaradas" em três locais inspecionados a pedido de Kiev, que Moscovo acusa de apagar provas de preparação de uma 'bomba suja'.

00:52 | 04/11

Rússia marca reabertura total da ponte da Crimeia para 20 de dezembro

As autoridades russas definiram 20 de dezembro como o dia em que a ponte Kerch, que liga a Rússia à península da Crimeia, será totalmente reaberta ao tráfego, após a explosão no início de outubro, foi hoje anunciado.

"O Governo alocou os fundos necessários para a restauração da ponte rodoviária. [...] Planeamos iniciar o tráfego em 05 de dezembro, numa das faixas, e em 20 de dezembro, por completo", anunciou o vice-primeiro-ministro russo, Marat Jusnulin, citado pela Europa Press.

Jusnulin, que se reuniu esta sexta-feira com o Presidente russo, Vladimir Putin, detalhou que, atualmente, o transporte de passageiros e mercadorias nos dois sentidos é realizado apenas pelas faixas da margem esquerda.

A ponte de Kerch foi palco, na madrugada de 08 de outubro, de uma enorme explosão atribuída a um tanque de combustível que estava a ser transportado por via-férrea e que destruiu parte da infraestrutura, conforme relatado pelas autoridades russas.

00:49 | 04/11

Quase 4,5 milhões pessoas sem eletricidade após ataques russos

Quase 4,5 milhões de ucranianos ficaram esta quinta-feira sem eletricidade após os recentes ataques russos a instalações de energia no país, afirmou o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky.

"Só esta noite, cerca de 4,5 milhões de consumidores ficaram temporariamente sem energia" em Kiev e em outras 10 regiões do país, indicou Zelensky no seu discurso habitual noturno.

Os russos "não podem derrotar a Ucrânia no campo de batalha, é por isso que estão a tentar destruir o nosso povo", cedendo ao "terror energético", acusou.

18:45 | 03/11

Zelensky diz que não participará na cimeira do G20 se Putin for

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, indicou esta quinta-feira que não participará na próxima cimeira de líderes do G20 se estiver presente o Presidente russo, Vladimir Putin, convidado pelo país anfitrião, a Indonésia, e que ainda não disse se irá.

"Se o líder da Federação Russa participar, a Ucrânia não o fará", declarou Zelensky num encontro com a imprensa, citado pela agência UNIAN, horas depois de o Presidente indonésio, Joko Widodo, ter reiterado por telefone ao seu homólogo ucraniano que está convidado.

Um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros indonésio, Teuku Faizasyah, confirmou que 17 chefes de Estado e de Governo já confirmaram a sua presença no encontro, embora tenha remetido o anúncio final para Widodo, previsivelmente mais próximo da cimeira do G20 (grupo formado pelos ministros das Finanças e presidentes dos bancos centrais das 19 maiores economias do mundo mais a União Europeia) que Bali acolherá nos dias 15 e 16 de novembro, segundo a agência de notícias Bloomberg.

12:33 | 03/11

Central nuclear de Zaporijia ficou totalmente sem energia após bombardeamentos russos

A central nuclear de Zaporijia, no sul da Ucrânia e considerada a maior da Europa, ficou completamente sem energia depois do bombardeamento russo na quarta-feira, que danificou as duas únicas linhas de alta tensão que ligavam a central à rede elétrica ucraniana.

A Energoatom, operadora estatal das centrais nucleares da Ucrânia, informou esta quinta-feira na rede social Telegram sobre a desconexão da central nuclear da rede elétrica ucraniana, localizada em território da Ucrânia, mas atualmente sob controlo militar russo.

12:30 | 03/11

Kremlin diz que ainda não decidiu se vai prolongar o acordo dos cereais

A Rússia ainda não decidiu se irá concordar com uma extensão do acordo dos cereais ucranianos, que expira em pouco mais de duas semanas, disse esta quinta-feira o Kremlin, indicando que primeiro quer avaliar o seu impacto.

A recente decisão da Rússia de retornar ao acordo, do qual se retirou brevemente, não significa que vai querer estendê-lo para além de 19 de novembro, que é o seu prazo atual, alertou o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

16:53 | 02/11

Gasodutos Nord Stream com 2 crateras de origem não natural

A operadora dos gasodutos Nord Stream confirmou, esta quarta-feira, a existência de duas crateras, de origem não natural, após a realização de estudos preliminares.

As crateras estão separadas por 248 metros e a secção do gasoduto entre as duas está destruída.

16:14 | 02/11

Novo acordo de cereais será suspenso se Kiev violar garantias

O Presidente russo, Vladimir Putin, advertiu esta quarta-feira de que suspenderá novamente o acordo de exportação de cereais ucranianos se Kiev violar as garantias escritas de não utilizar o corredor humanitário e os portos ucranianos para fins militares.

"Dei instruções ao Ministério da Defesa para retomarmos a nossa plena participação nesta tarefa. Ao mesmo tempo, a Rússia reserva-se o direito de se retirar deste acordo se a Ucrânia violar tais garantias", declarou Putin no início de uma reunião à distância com o Conselho de Segurança da Rússia.

17:21 | 01/11

Vladimir Putin diz a Erdogan que quer "garantias reais" que Kiev respeita acordo sobre cereais

O presidente russo, Vladimir Putin, disse esta terça-feira ao seu homólogo turco, Recep Tayyip Erdogan, querer "garantias reais" de que Kiev respeita o acordo sobre as exportações de cereais ucranianos, no qual a Rússia suspendeu a participação.

Numa conversa telefónica com Erdogan, o líder russo considerou "necessário" obter de Kiev "garantias reais de estrito respeito pelos acordos de Istambul, em particular de que o corredor humanitário não será usado para fins militares", referiu o Kremlin num comunicado.

"Só depois disso poderemos analisar a retoma do trabalho" no quadro do acordo cerealífero, sublinhou.

14:05 | 01/11
Lusa

Erdogan vai reunir-se com Putin e Zelensky para retomar acordo exportação de cereais

O Presidente turco, Recep Erdogan, vai reunir-se nos próximos dias, separadamente, com os homólogos russo, Vladimir Putin, e ucraniano, Volodymyr Zelensky, para retomar o acordo sobre as exportações de cereais, anunciou esta terça-feira o chefe da diplomacia da Turquia.

"O Presidente falará com Putin e Zelensky nos próximos dias. Acreditamos que vamos ultrapassar isto", disse Mevlüt Cavusoglu aos jornalistas, lembrando que o acordo para a exportação dos cereais "beneficia todos".

Segunda-feira, Erdogan expressou o compromisso turco de manter o acordo de exportação de cereais oriundos da Ucrânia apesar da retirada da Rússia, que já criticou e pôs em causa a decisão de Ancara.

"Embora a Rússia tenha dúvidas sobre isso, porque não tem as mesmas facilidades, nós vamos continuar os esforços para servir a humanidade", disse Erdogan, que, em conjunto com a com Ucrânia, Rússia e Nações Unidas, tinham acordado, no verão passado, a exportação de 9,5 milhões de toneladas de cereais e de outros produtos alimentares.

14:02 | 01/11
Lusa

Rússia acusa Reino Unido de "dirigir e coordenar" sabotagem do Nord Stream

A Rússia acusou esta terça-feira novamente o Reino Unido de estar na origem das explosões que danificaram os gasodutos Nord Stream 1 e 2 no Mar Báltico, concebidos para encaminhar o gás russo para a Europa. 

"Os nossos serviços de informações têm provas que sugerem que o ataque foi dirigido e coordenado por especialistas militares britânicos", disse o porta-voz presidencial russo, Dmitry Peskov, numa conferência de imprensa.

"Há evidências de que o Reno Unido está envolvido numa sabotagem, num ataque terrorista contra infraestruturas vitais de energia não russas, mas internacionais", continuou Peskov.

00:03 | 01/11

Biden repreendeu Zelensky por constantes pedidos de ajuda num telefonema em junho

O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, teve de levantar a voz ao seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, numa conversa telefónica em junho, pelos seus constantes pedidos de ajuda, sem mostrar gratidão, adiantou esta segunda-feira a NBC News.

Na ocasião, Biden havia autorizado uma ajuda militar à Ucrânia, no valor de mil milhões de dólares (cerca do mesmo valor em euros), mas Zelensky retorquiu com uma lista de pedidos adicionais, que alegadamente fizeram o chefe de Estado norte-americanos perder a calma, segundo fontes familiarizadas com o assunto.

O Presidente dos Estados Unidos defendeu então a generosidade da sua Administração e do Exército e da população norte-americana, exigindo mais gratidão do líder ucraniano, com quem sempre afirmou publicamente manter uma relação próxima.

23:59 | 31/10

Agência Internacional de Energia Atómica iniciou investigação à denúncia de Moscovo sobre "bomba suja" ucraniana

A Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) iniciou as suas inspeções na Ucrânia, solicitadas por este país depois do Presidente russo, Vladimir Putin, ter acusado Kiev de apagar evidências da preparação de uma "bomba suja", divulgou esta segunda-feira este organismo.

Os inspetores da AIEA "começaram - e em breve terminarão - a verificação das atividades de dois locais na Ucrânia", destacou, em comunicado, esta agência da ONU com sede em Viena.

No final desta semana, o diretor-geral da AIEA, Rafael Grossi, apresentará os resultados da missão para verificar se não houve desvios de material nuclear que poderiam ser usados numa "bomba suja".

23:55 | 31/10

Kremlin nega alegada invasão do telemóvel da ex-primeira-ministra britânica

O Kremlin negou esta segunda-feira a alegada invasão russa do telefone pessoal da ex-primeira-ministra britânica, Liz Truss, no verão passado, quando era ministra dos Negócios Estrangeiros do Governo de Boris Johnson, conforme avançou o tabloide Mail on Sunday.

"Os órgãos de comunicação social britânicos sofrem de uma escassez de informação que possa ser levada a sério. Este tipo de publicação para nós é imprensa sensacionalista", afirmou o porta-voz presidencial russo, Dmitri Peskov, na conferência de imprensa telefónica diária.

De acordo com o Mail on Sunday, os "ciberespiões", que segundo o jornal trabalhavam para a Rússia, intercetaram mensagens confidenciais entre Truss e políticos internacionais, bem como trocas com Kwasi Kwarteng, que semanas depois a ex-primeira-ministra nomearia ministro da Economia.

23:07 | 31/10

Banqueiro Oleg Tinkov renuncia à cidadania russa

O multimilionário russo Oleg Tinkov, fundador do banco em linha Tinkoff, um grande sucesso da designada 'fintech' dos últimos anos, anunciou que renunciou à cidadania russa por causa da invasão da Ucrânia, que já tinha criticado.

"Tomei a decisão de abandonar a minha cidadania russa. Não posso e não quero ser associado a um país fascista que provocou uma guerra com um vizinho pacífico e que mata inocentes diariamente", escreveu Tinkov, na rede social Instagram.

"Espero que outros empresários russos de primeiro plano sigam o meu exemplo, para enfraquecer o regime de (Vladimir) Putin e a sua economia e levá-lo ao fracasso", acrescentou o fundador do banco em linha Tinkoff, um grande sucesso da designada 'fintech' dos últimos anos. o Banco de Portugal define fintech como "entidades que operam no setor financeiro e que têm modelos de negócio baseados em tecnologias inovadoras."

20:25 | 31/10

Zelensky diz a Guterres estar pronto para "garantir segurança alimentar mundial"

A Ucrânia está determinada em "continuar a garantir a segurança alimentar mundial" e a prolongar as suas exportações de cereais, assegurou esta segunda-feira o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, ao secretário-geral das Nações Unidas (ONU), António Guterres.

"Falei com o secretário-geral da ONU, António Guterres. Confirmei o compromisso da Ucrânia com o acordo de cereais", escreveu Zelensky na rede social Twitter.

A Rússia anunciou, no sábado, a suspensão da sua participação no acordo sobre as exportações de cereais dos portos ucranianos após um ataque de 'drones' (aeronaves não tripuladas e controladas remotamente) que visou a frota russa estacionada na baía de Sebastopol, na Crimeia anexada.

20:15 | 31/10

Rússia está a recrutar comandos afegãos treinados pelos EUA

Soldados das forças especiais afegãs que combateram os talibãs ao lado das tropas norte-americanas e que fugiram para o Irão após a caótica retirada de Cabul em 2021 estão a ser recrutados pela Rússia para combater na Ucrânia.

A garantia foi dada esta segunda-feira à agência noticiosa norte-americana Associated Press (AP) por três antigos generais afegãos, que adiantaram que os russos estão a contratar "milhares" de antigos militares das forças de elite do Afeganistão, criando desta forma uma "Legião Estrangeira".

Para os atrair, segundo referem os três generais afegãos, os russos oferecem o pagamento mensal de 1.500 dólares (1.520 euros), além de promessas de proteção, que envolvem também os respetivos familiares, evitando assim uma possível deportação para o Afeganistão, onde poderiam morrer às mãos dos talibãs.

20:14 | 31/10

França acusa Rússia de impor insegurança alimentar a países em desenvolvimento

O embaixador francês junto da ONU, Nicolas de Rivière, acusou esta segunda-feira a Rússia impor aos países em desenvolvimento, intencionalmente, insegurança alimentar e desnutrição, após Moscovo ter suspendido a sua participação no acordo de exportação de cereais ucranianos.

As declarações de Rivière foram feitas numa reunião do Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU) convocada pela Rússia, que citou um alegado ataque em 29 de outubro contra os seus navios no Mar Negro para suspender a sua participação na iniciativa.

O representante russo junto da ONU, Vasily Nebenzya, alegou perante o Conselho de Segurança que a Ucrânia usou o corredor marítimo aberto pelo acordo de exportação "para propósitos militares", tendo abandonado a reunião após a sua intervenção.

20:12 | 31/10

Moscovo confirma suspensão da circulação de navios no mar Negro

O Ministério da Defesa russo anunciou esta segunda-feira a suspensão do movimento de navios pelo "corredor de segurança" no mar Negro, após ter interrompido o acordo sobre as exportações de cereais, alegando um ataque de 'drones' contra a sua frota.

"Até que a situação em torno da ação terrorista cometida pela Ucrânia em 29 de outubro contra navios de guerra e embarcações civis na cidade de Sebastopol seja esclarecida, o tráfego pelo corredor de segurança da 'Iniciativa do Mar Negro' está suspenso", refere o comunicado oficial.

No sábado, a Rússia tinha anunciado a suspensão da sua participação no acordo sobre as exportações de cereais dos portos ucranianos após um ataque de 'drones' que visou a frota russa estacionada na baía de Sebastopol, na Crimeia anexada.

15:47 | 31/10

Cerca de 2,4 milhões de empregos perdidos desde o início da guerra

Cerca de 2,4 milhões de empregos perderam-se na Ucrânia desde o início da invasão russa, afirmou esta segunda-feira a Organização Internacional do Trabalho (OIT), referindo que é o equivalente a 15,5 por cento do mercado laboral antes da guerra.

Este valor, publicado num relatório sobre as perspetivas do mercado de trabalho global, é inferior às previsões de há meio ano, quando a OIT receava perdas de emprego de até 4,8 milhões, uma vez que, entretanto, diminuiu a extensão das regiões ucranianas ocupadas ou sob hostilidades intensas.
09:09 | 31/10

Ataques russos em massa atingem Kiev e várias outras cidades

Várias explosões foram ouvidas na capital da Ucrânia, Kiev, ao início da manhã desta segunda-feira e as autoridades ucranianas relatam vários ataques de mísseis russos por todo o país.

Os relatos da agência Reuters e do jornal Washington Post referem ataque a centrais elétricas e infraestruturas de abastecimento de água.

Veja o vídeo
14:18 | 29/10

Jornalista russa morre atingida por bala perdida em exercício de tiro na Crimeia

Uma jornalista russa de 50 anos morreu, esta sexta-feira, após ser atingida por uma bala perdida num exercício de tiro, num campo de treino militar na Crimeia, península ucraniana anexada em 2014 pela Rússia, anunciou a sua equipa editorial.
14:17 | 29/10

Kiev e Moscovo relatam grande explosão em Zaporijia

As autoridades da Rússia e da Ucrânia denunciaram hoje a ocorrência de uma grande explosão nas últimas horas na cidade ucraniana de Zaporijia, resultando na destruição de um armazém industrial, sem ter feito vítimas.
00:14 | 29/10

Diretora do canal russo independente Dojd declarada "agente estrangeira" pelo Kremlin

A diretora-geral do canal Dojd, um dos poucos órgãos de comunicação independentes na Rússia, que vive no exílio há vários meses, foi declarada esta sexta-feira como "agente estrangeira" pelas autoridades russas, juntamente com outros dois jornalistas do grupo.

Natalia Sindeeva, Vladimir Romensky e Ekaterina Kotrikadze surgem na lista atualizada de personalidades classificadas como "agentes estrangeiros", publicada pelo Ministério da Justiça russo.

22:14 | 28/10

Novos cortes de energia em Kiev e principais cidades devido aos ataques russos

As autoridades ucranianas anunciaram, esta sexta-feira, novos cortes de energia contínuos nas maiores cidades do país e subúrbios, incluindo na capital Kiev, numa altura em que as forças russas mantêm ataques contra infraestruturas energéticas.

A Ukrenergo, operadora estatal das linhas de transmissão de alta tensão da Ucrânia, referiu que foram retomadas na região de Kiev "interrupções de emergência" de quatro horas por dia.

14:04 | 28/10
Lusa

Rússia acusa Ocidente de impedir distribuição de produtos agrícolas

A Rússia acusou esta sexta-feira os Estados Unidos e a Europa de impedirem o acesso dos produtos agrícolas e fertilizantes russos aos mercados mundiais, prejudicando os países pobres de África, Ásia e América Latina.
14:04 | 28/10

UE determinada em deixar gás russo "de uma vez por todas"

A presidente da Comissão Europeia salientou esta sexta-feira que a União Europeia (UE) está "determinada" em acabar com a dependência dos combustíveis fósseis russos, como o gás, "de uma vez por todas e rapidamente", rejeitando a "chantagem" russa.

"Estamos determinados a pôr fim à nossa dependência dos combustíveis fósseis russos, de uma vez por todas e rapidamente, diversificando o aprovisionamento, poupando energia, e acelerando a implantação de energias renováveis", declarou Ursula von der Leyen, intervindo na Cimeira de Investimento Sustentável da UE, em Bruxelas.

17:09 | 27/10
Lusa

Autoridades ucranianas alertam para mais cortes de energia devido a ataques russos

As autoridades ucranianas avisaram esta quinta-feira a população para novas restrições ao consumo de eletricidade nas regiões centrais do país devido a novos ataques russos às infraestruturas energéticas.

13:12 | 26/10

Kiev anuncia exumação de mais mil corpos em territórios reconquistados

As autoridades ucranianas anunciaram esta quarta-feira que já exumaram cerca de mil corpos nos territórios recuperados durante a contra-ofensiva contra as forças invasoras russas.
O Ministério para a Reintegração de Territórios Ocupados Temporariamente deu conta desta descoberta na sua conta da rede social Telegram, explicando que o comissário do departamento responsável pelas pessoas desaparecidas, Oleg Kotenko, ficou responsável pela deteção de valas comuns na região.
11:23 | 26/10

Rússia contrata tropa de elite afegã treinada pelos EUA para lutar na Ucrânia

Militares que incorporam a tropa de elite dos comandos nacionais afegãos, poderão estar a ser contratados pela Rússia para lutar contra a Ucrânia, segundo informação divulgada pela 'Foreign Policy'.
08:11 | 26/10

Quatro feridos na sequência de uma explosão na estação de serviço Dnipro

Segundo o The Kyiv Independent, o governador da região de Dnipropetrovsk,Valentyn Reznichenko, informou que quatro pessoas ficaram feridas na sequência de uma explosão russa que atingiu um posto de gasolina na cidade de Dnipro, na noite de terça-feira.
23:29 | 25/10

Zelensky solicita ajuda para cobrir défice orçamental

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, solicitou esta terça-feira à comunidade internacional um esforço financeiro para cobrir um défice orçamental de 38 mil milhões de dólares previsto para 2023, devido à invasão do país pela Federação Russa.

Por seu lado, o presidente dos EUA, Joe Biden, visou que a utilização de uma arma nuclear pelos dirigentes de Moscovo constituiria um "erro imensamente grave", quando Moscovo está a avançar que a Ucrânia preparara a utilização de uma 'bomba suja', o que é desmentido por Kiev e pelos ocidentais.

19:10 | 25/10

Grupo que detém a Zara vende lojas e abandona mercado russo

O grupo espanhol Inditex, dono de marcas como a Zara e líder mundial de venda de roupa a retalho, vai sair da Rússia e vender o negócio naquele país, anunciou esta terça-feira a empresa.

A Inditex "alcançou um acordo inicial para a venda do seu negócio na Federação Russa ao grupo Daher, que conta com participações relevantes nos setores da distribuição e imobiliário", lê-se num comunicado do grupo espanhol.

10:57 | 25/10

Zelensky pede compromisso internacional para reconstruir o país

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, pediu, esta terça-feira, um compromisso internacional para cobrir o défice orçamental da Ucrânia de 38.000 milhões de dólares (mais de 38.500 milhões de euros), resultante da invasão russa.

"Para a Ucrânia, é uma quantia considerável de dinheiro", disse Zelensky ao discursar por vídeo numa conferência internacional sobre a reconstrução da Ucrânia, a decorrer em Berlim.

Ucrânia política guerra conflito invasão Rússia invasão russa guerra na Ucrânia
Ver comentários
C-Studio