Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais
3

Ataque a mísseis russos na Crimeia tinha como alvo civis

"Para além de explosivos, cada um deles transportava estilhaços", disse o conselheiro do chefe da Crimeia na Rússia.
Correio da Manhã 21 de Março de 2023 às 16:36
Crimeia
Crimeia FOTO: REUTERS

O míssil russo que explodiu na região da Crimeia, esta segunda-feira, após ser intercetado por drones, fez um ferido. Segundo a Reuters, o conselheiro do chefe da Crimeia na Rússia diz que o engenho tinha como alvo civis e acrescentou que a defesa aérea foi ativada.

"Uma explosão na cidade de Dzhankoi, no norte da Crimeia temporariamente ocupada, destruiu os mísseis de cruzeiro russos Kalibr-KN enquanto eram transportados por comboios", disse o ministro da Defesa ucraniana numa declaração da direção dos serviços secretos do Ministério da Defesa da Ucrânia.

A presente declaração informa que os mísseis teriam como objetivo serem lançados pelas forças russas a partir do Mar Negro.

O líder russo instalado na cidade de Dzhankoi, citado pela Agência de Notícias Russa TASS, disse que uma casa, uma escola e uma mercearia incendiaram. O incidente fez estragos na rede eléctrica, acrescentou.

"Todos os drones tinham como alvo civis. Um foi atingido sobre a escola técnica Dzhankoi e caiu entre a área de instrução e uma escola", escreveu Oleg Kryuchkov, conselheiro do chefe da Crimeia na Rússia, na sua conta de Telegram, acrescentando que "não há sítios militares nas proximidades. Os outros foram abatidos em zonas residenciais. Para além de explosivos, cada um deles transportava estilhaços".

Militares ucranianos garantem que Dzhankoi e as regiões que a rodeiam foram convertidas na maior base militar de Moscovo na Crimeia, já existindo uma base aérea militar russa perto da cidade.

Crimeia Dzhankoi distúrbios guerras e conflitos armamento política defesa
Ver comentários
C-Studio