Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais
5

Combates entre russos e ucranianos intensificam-se em Severodonetsk

"A luta já está a decorrer nas ruas de Severodonetsk. O inimigo está a avançar", afirma governador local ucraniano.
Lusa 30 de Maio de 2022 às 14:30
Rasto de destruição em edifício bombardeado na Ucrânia
Rasto de destruição em edifício bombardeado na Ucrânia FOTO: Alfredo Leite
As tropas russas intensificaram esta segunda-feira o seu avanço na cidade de Severodonetsk, em cuja periferia têm enfrentado as forças ucranianas, para tentar obter o controlo da região de Lugansk, disse o governador local ucraniano.

"A luta já está a decorrer nas ruas de Severodonetsk. O inimigo está a avançar", afirmou Serhiy Haidai, citado pelas agências noticiosas internacionais.

Haidai disse que as "infraestruturas críticas da cidade foram quase 100% destruídas, enquanto 90% das casas foram danificadas e 60% delas estão num estado delapidado".

Os militares ucranianos disseram que as forças russas estavam a reforçar as suas posições na periferia nordeste e sudeste de Severodonetsk e a levar equipamento adicional e munições para a área para pressionar a sua ofensiva.

O governador da região de Lugansk disse que dois civis foram mortos e cinco ficaram feridos nos últimos bombardeamentos russos.

"A situação é muito difícil", escreveu Haidai na rede social Telegram.

Em Moscovo, o Comité de Investigação Russo anunciou que bombardeamentos ucranianos mataram hoje cinco civis, incluindo uma jovem de 14 anos, em Donetsk, na zona separatista do leste da Ucrânia.

O porta-voz das forças armadas russas, major-general Igor Konashenkov, anunciou hoje que a artilharia russa destruiu alvos militares na cidade e noutros locais de Lugansk.

Konashenkov precisou que a defesa aérea russa abateu 15 drones (aviões não tripulados) das forças ucranianas em Severodonetsk e noutras zonas do Donbass, a região do leste da Ucrânia onde se situam as autoproclamadas repúblicas de Lugansk e Donetsk.

Disse também que a artilharia russa destruiu mais de 15 tanques e veículos da infantaria, bem como cinco armas de artilharia de grande calibre num hangar do estaleiro ucraniano "Okean" (Oceano) na cidade portuária de Mykolaiv (sul).

As informações sobre a guerra na Ucrânia divulgadas pelas duas partes não podem ser verificadas de imediato por fontes independentes.

Severodonetsk tem sido um alvo-chave da ofensiva russa na região industrial ucraniana do Donbass, sendo umas das poucas zonas ainda não controladas pelas forças de Moscovo na região de Lugansk, segundo as agências internacionais.

A cidade serviu de centro administrativo para a região de Lugansk, que constitui o Donbass juntamente com a região vizinha de Donetsk.

Ao invadir a Ucrânia, em 24 de fevereiro, a Rússia disse que estava a responder a um pedido de ajuda das forças separatistas pró-Moscovo de Lugansk e Donetsk, cuja declaração de independência tinha reconhecido três dias antes.

As forças separatistas controlam parte do Donbass desde 2014, quando iniciaram uma luta armada contra Kiev com o apoio de Moscovo.

Numa mensagem anterior, o governador Serhiy Haidai tinha confirmado a difícil situação em Severodonetsk e a intensificação dos combates na cidade e na vizinha Lysychansk.

"O inimigo utilizou todas as armas possíveis, incluindo aviões. Contudo, as nossas forças armadas estão a defender-se firmemente para impedir o avanço do inimigo", disse Haidai.

Severodonetsk Donetsk Serhiy Haidai Moscovo Lugansk Ucrânia Igor Konashenkov Donbass
Ver comentários