Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais

Rússia não cumpre promessa de reduzir atividade militar e bombardeia cidades na Ucrânia

Neste 35.º dia de guerra, as forças russas bombardearam 180 vezes a região de Kharkiv.
Correio da Manhã 30 de Março de 2022 às 11:50
Destruição em Kharkiv
Destruição em Kharkiv
Destruição em Kharkiv
Destruição em Kharkiv
Destruição em Kharkiv
Destruição em Kharkiv
Destruição em Kharkiv
Destruição em Kharkiv
Destruição em Kharkiv
Destruição em Kharkiv
Destruição em Kharkiv
Destruição em Kharkiv

Neste que é o 35.º dia de guerra na Ucrânia, a região de Kharkiv foi bombardeada 180 vezes e as áreas residenciais da cidade de Lysychansk foram atingidas com artilharia pesada às primeiras horas da manhã, anunciou o governador regional de Luhansk.

Em Chernihiv, as tropas russas voltaram a bombardear a cidade na última noite e o governador da região garante que as tropas russas não estão a cumprir com a redução "radical" da atividade militar acordado durante as negociações de paz que decorreram terça-feira, na Turquia. 

Em Kharkiv, as forças russas bombardearam 180 vezes a região, só esta quarta-feira, com recurso a lançadores múltiplos de rockets. Os russos também bombardearam várias zonas da região com artilharia e morteiros, danificando edifícios residenciais e infra-estruturas civis, de acordo com o governador Oleh Synehubov.

Na última noite, as sirenes antiaéreas voltaram a tocar em várias cidades ucranianas, como em Kiev, Jitomir, Kharkiv, Dnipro e Poltava, apesar de Moscovo ter anunciado uma redução das operações militares na capital ucraniana e em Chernobyl.

O Ministério da Defesa britânico revelou, esta quarta-feira, que as unidades russas sofreram grandes perdas e, por isso, foram obrigadas a regressar à Rússia e à Bielorrússia para se reorganizarem e reabastecer. As movimentações estão a dificultar a logística "já tensa da Rússia e revelam as dificuldades que os russos estão a ter para reorganizar as tropas em áreas avançadas" na Ucrânia. 

Kiev denuncia "inúmeros casos" de violações de mulheres pelas forças russas

O governo ucraniano denunciou à União Europeia (UE) "inúmeros casos" de violação de mulheres pelas forças da Rússia durante a invasão russa da Ucrânia, revelou na passada terça a comissária europeia dos Assuntos Internos, Ylva Johansson.

Bombardeamentos em Donetsk 

As forças russas estão a bombardear quase todas as cidades ao longo da linha da frente de combate, separando o território controlado pelo governo ucraniano das áreas detidas por separatistas apoiados pela Rússia, na região oriental de Donetsk, avançou esta quarta-feira o governador regional. 

Milhares de pessoas foram retiradas de Mariupol e Zaporijia

Pelo menos 1.665 pessoas foram retiradas nas últimas horas da cidade de Mariupol, no sul da Ucrânia e de outras cidades próximas, como Zaporijia, através de corredores humanitários.

Central Nuclear de Chernobyl

As Forças Armadas ucranianas alertaram, neste que é o 35.º dia de guerra, para o perigo de as munições russas explodirem na Central Nuclear de Chernobyl e exigiu à Rússia que abandone aquela área.

 

Ver comentários