Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais
8

Tropas de Putin começam a ganhar terreno na região de Backmut, na Ucrânia

Governo de Kiev implora à Europa o fornecimento de peças para reconstruir a rede energética, destruída pelas tropas de Putin.
Correio da Manhã 30 de Novembro de 2022 às 18:29
Guerra na Ucrânia
Guerra na Ucrânia FOTO: DR
Após semanas marcadas pela fortalecimento da contra-ofensiva ucraniana e pela reconquista de Kherson, as tropas invasoras começaram a ganhar terreno no leste da Ucrânia, mais especificamente em Backmut, uma cidade em Donetsk.

As tropas de Backmut ainda não tiveram uma pausa, uma vez que durante as semanas da retirada de Kherson ocorreu uma lenta ofensiva russa na cidade ucraniana que, com o passar do tempo, começou a ganhar ritmo com a chegada das tropas que foram evacuadas de Kherson, de acordo com a informação divulgada pelo jornal i. A ofensiva russa na cidade de Donetsk foi encabeçada pelos separatistas e mercenários.

Adicionalmente, os múltiplos bombardeamentos russos contra a rede elétrica da Ucrânia provocaram a acumulação de custos, o que levou o governo de Kiev a implorar pela ajuda da Europa, sobretudo no que respeita ao fornecimento de peças para a reconstrução da devastada rede de eletricidade.

Vladimir Putin tentou fragmentar a rede de energia ucraniana em várias partes, destruindo subestações elétricas de modo a que, mesmo que uma região quisesse passar a respetiva energia às regiões vizinhas não conseguisse fazê-lo. Kiev nem celebrou a libertação de Kherson, uma vez que foi prioritário e urgente evacuar a cidade reconquista , pois a chegada do inverto poderia ser insuportável face à escassez de energia, segundo o jornal i.

Até à data, já foram fornecidas cerca de 37 peças à Ucrânia, sendo que as peças prioritárias são essencialmente os transformadores que são usados nas subestações. Para além desta peça, as autoridades ucranianas também necessitam de carros para transportar os técnicos, engenheiros e eletricistas pelo país.
Vladimir Putin Kherson Backmut Ucrânia Donetsk Kiev economia negócios e finanças energia política
Ver comentários
C-Studio