Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais
1

Ucrânia e energia na agenda da próxima sessão plenária do Parlamento Europeu

Sob o lema "A Europa como tarefa: Repensar, Reconstruir, Reforçar" o parlamento quer "reavaliar as atuais abordagens" à luz da agressão russa.
Lusa 2 de Julho de 2022 às 09:53
Parlamento Europeu
Parlamento Europeu FOTO: IStockPhotos
O Parlamento Europeu (PE) inicia na segunda-feira uma sessão plenária, em Estrasburgo, França, dominada pelo tema da Ucrânia e pelas questões da energia.

Segundo um comunicado do PE, na quarta-feira, os eurodeputados têm agendados dois debates nos quais a invasão da Ucrânia pela Rússia, iniciada em 24 de fevereiro, é o tema central.

Num deles, o primeiro-ministro da República Checa, Petr Fiala, irá apresentar as prioridades de Praga para a presidência semestral do Conselho da União Europeia (UE).

Sob o lema "A Europa como tarefa: Repensar, Reconstruir, Reforçar", a presidência checa, que se iniciou em 1 de julho, quer "reavaliar as atuais abordagens e premissas" à luz da agressão russa contra a Ucrânia.

De seguida, o PE discute os resultados do Conselho Europeu de 23 e 24 de junho com o presidente da instituição, Charles Michel, e com a líder da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

Recorde-se que nesta cimeira, os líderes da UE concederam à Ucrânia o estatuto de candidato à adesão ao bloco europeu, lançando oficialmente um processo que se adivinha longo, mas deixando um sinal político de apoio ao país.

Na véspera destes dois debates, na terça-feira, os eurodeputados vão debater o plano do executivo comunitário de incluir certas atividades nucleares e de gás na lista de atividades económicas sustentáveis do ponto de vista ambiental, estando a votação agendada para o dia seguinte.

A Comissão Europeia propôs, em 09 de março de 2022, a inclusão, sob determinadas condições, de atividades específicas no domínio da energia nuclear e do gás na lista de atividades económicas sustentáveis do ponto de vista ambiental abrangidas pela chamada Taxonomia da UE.

O PE e o Conselho têm até ao próximo dia 11 de julho para decidir se devem ou não vetar a proposta da Comissão Europeia, que foi já rejeitada pelos eurodeputados da Comissão dos Assuntos Económicos e Monetários e da Comissão do Ambiente, da Saúde Pública e da Segurança Alimentar.

Se uma maioria absoluta (pelo menos 353 deputados) o fizer, a Comissão Europeia terá de a retirar ou alterar.

Esta é a última sessão plenária antes das férias do verão, regressando o PE ao trabalho em setembro.

Ver comentários
}