Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais
2

António Costa cancela ação de rua devido a dores de costas

Líder do PS atendido no hospital numa altura em que está sob pressão por causa de Tancos.
Liliana Rodrigues 29 de Setembro de 2019 às 01:30
António Costa
António Costa
António Costa
Primeiro-ministro António Costa
António Costa
António Costa
António Costa
Primeiro-ministro António Costa
António Costa
António Costa
António Costa
Primeiro-ministro António Costa
"Não me deixou tirar uma selfie com ele. Perdeu um voto, estou tão nervosa que só me apetece chorar", reclamava, em voz alta, telemóvel na mão, uma das 650 pessoas que este sábado participaram no almoço do PS em Famalicão.

António Costa não parou à saída e, à chegada, a passada era lenta e com cuidado redobrado. O líder do PS esteve rodeado de seguranças e quase inacessível, depois de uma ida na noite anterior ao hospital de Viana do Castelo, onde foi sujeito a medicação injetável. Foi-lhe diagnosticada uma inflamação muscular nas costas e, por isso, a participação em ações de rua este sábado foi cancelada. Ao subir ao palco, o socialista teve até apoio.

António Costa tenta recuperar do problema de saúde de última hora e os jornalistas foram avisados de que não prestaria declarações, nem sobre a polémica de Tancos, nem sobre outro assunto. Sobrou o discurso da praxe, frisando que "há um grande combate a travar".

"É preciso avisar toda a gente que ninguém se pode iludir com sondagens. O que conta mesmo são os votinhos com a cruz posta à frente do símbolo da mãozinha", repetiu António Costa, depois do elogio à governação da geringonça: "Demonstrámos que não era preciso manter a austeridade para ficar no euro."

E lançou um desafio: "Portugal hoje cresce outra vez. A nossa ambição é ter uma década a crescer acima da média." Também não faltou, perante uma plateia maioritariamente sénior, a promessa de que nos próximos quatro anos o Governo irá "aumentar o complemento social para idosos".

E coube ao presidente do PS, Carlos César, responder ao líder do PSD sobre o incómodo de Tancos: "Rui Rio fala de tudo menos do que interessa. Diz uma coisa num dia e outra no dia seguinte, como no caso de Tancos.

Calunia quem não é suspeito, nem acusado." No final, César ainda sublinhou que "no final" o PS vai "ganhar com a maioria que Portugal precisa". Este sábado, não era ainda certo que Costa voltasse à rua.

Rui rio pede cobertura "sem truques" da RTP
O líder do PSD atacou a RTP no caso Tancos. "Não só inverte nos noticiários a cronologia do meu diálogo com António Costa como afirma que me retratei. Espero que a TV pública, tutelada pelo Governo, se contenha e faça a cobertura do final da campanha com elevação e sem truques."

PS tem mandatários de pastores em Braga
Mandatários para os pastores, pescadores, vinho verde e até para o estilo de vida saudável são alguns dos representantes distritais por setores que o PS/Braga apresentou este sábado num almoço-comício em Famalicão. São 28 mandatários e foram todos chamados ao palco pela distrital.
Carlos César António Costa PS Famalicão Tancos Portugal política partidos e movimentos
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)