Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais
8

Filipe Gaivão faz a etapa mais longa do desafio de bicicleta: "Percurso impressionou"

Ciclista português viu "vários cemitérios dos mortos da guerra e um memorial aos soldados australianos" a caminho de Paris.
Correio da Manhã 12 de Julho de 2019 às 11:10
Filipe Gaivão faz a etapa mais longa do desafio de bicicleta a caminho de Paris: 'Impressionou'
Filipe Gaivão faz a etapa mais longa do desafio de bicicleta a caminho de Paris: 'Impressionou'
Filipe Gaivão faz a etapa mais longa do desafio de bicicleta a caminho de Paris: 'Impressionou'
Filipe Gaivão faz a etapa mais longa do desafio de bicicleta a caminho de Paris: 'Impressionou'
Filipe Gaivão faz a etapa mais longa do desafio de bicicleta a caminho de Paris: 'Impressionou'
Filipe Gaivão faz a etapa mais longa do desafio de bicicleta a caminho de Paris: 'Impressionou'
Filipe Gaivão faz a etapa mais longa do desafio de bicicleta a caminho de Paris: 'Impressionou'
Filipe Gaivão faz a etapa mais longa do desafio de bicicleta a caminho de Paris: 'Impressionou'
Filipe Gaivão faz a etapa mais longa do desafio de bicicleta a caminho de Paris: 'Impressionou'
Filipe Gaivão faz a etapa mais longa do desafio de bicicleta a caminho de Paris: 'Impressionou'
Filipe Gaivão faz a etapa mais longa do desafio de bicicleta a caminho de Paris: 'Impressionou'
Filipe Gaivão faz a etapa mais longa do desafio de bicicleta a caminho de Paris: 'Impressionou'
Filipe Gaivão faz a etapa mais longa do desafio de bicicleta a caminho de Paris: 'Impressionou'
Filipe Gaivão faz a etapa mais longa do desafio de bicicleta a caminho de Paris: 'Impressionou'
Filipe Gaivão faz a etapa mais longa do desafio de bicicleta a caminho de Paris: 'Impressionou'

Filipe Gaivão, de 57 anos, partiu esta quarta-feira de Bruxelas rumo a Lisboa, numa viagem solitária de bicicleta que visa "dar maior visibilidade às pessoas que sofrem de esclerose múltipla", e fez esta quinta-feira 149 quilómetros, "a etapa mais comprida entre Maubege e Estrees-Saint-Denis que fica a caminho de Paris". 

"Saí às 8 horas e chovia bem, pelo que a solução estava encontrada. Pedalar assim mesmo e ficar molhado. E fiquei mesmo. Felizmente que ao fim de uma hora parou e até ficou bem quente o dia", sublinhou Filipe Gaivão. 

Durante o percurso, o ciclista português viu "vários cemitérios dos mortos da guerra e um memorial aos soldados australianos. Impressionou", revelou.

"Confesso que não estava à espera de me impressionar tanto. O percurso foi sempre por estradas secundárias e pelos caminhos de grandes batalhas da Grande Guerra", explicou, não esquecendo o apoio que recebeu.

"O resto do percurso foi monótono com vento de frente que atrasou muito a minha viagem, mas à chegada tinha a família de Blandine Clain, pais de uma rapariga de 24 anos que está a passar um péssimo momento e que está internada nesta altura. Mesmo assim vieram dar-me força e eu nunca me esquecerei disso", concluiu.

Lisboa Filipe Gaivão Paris Bruxelas Estrees-Saint-Denis desporto ciclismo questões sociais política
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)