Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais
2

Filipe Gaivão já atravessou Paris: "O contacto com os emigrantes portugueses tem sido uma constante"

Ciclista partiu esta quarta-feira de Bruxelas rumo a Lisboa, numa viagem solitária de bicicleta.
Correio da Manhã 13 de Julho de 2019 às 22:00
Filipe Gaivão
Filipe Gaivão
Filipe Gaivão
Filipe Gaivão
Filipe Gaivão
Filipe Gaivão
Filipe Gaivão
Filipe Gaivão
Filipe Gaivão
Filipe Gaivão
Filipe Gaivão
Filipe Gaivão
Filipe Gaivão
Filipe Gaivão
Filipe Gaivão
Filipe Gaivão, de 57 anos, partiu esta quarta-feira de Bruxelas rumo a Lisboa, numa viagem solitária de bicicleta que visa "dar maior visibilidade às pessoas que sofrem de esclerose múltipla", e fez esta sexta-feira 155 quilómetros até Paris, onde destacou o "jantar fantástico" com amigos.

"Tive um jantar fantástico em casa do meu amigo Yves Gallet e de sua mulher, Mafalda, que não só me receberam principescamente como ainda convidaram os meus amigos Fenouil e Puce Morellet. Um jantar onde não faltou nada. Das iguarias portuguesas aos queijos franceses, mas sem esquecer um magnífico Champagne e um divinal Margaux. O único senão é que não descansei o suficiente e hoje com pequenas alterações de percurso acabei por fazer 155 km", começou por dizer Gaivão.

"Tinham-me sugerido a estrada que os soldados americanos usaram a caminho da libertação de Paris após o desembarque da Normandia, mas por ser uma estrada muito movimentada e mais perigosa optei por estradas florestais, agrícolas e ciclovias. Confesso que até agora foi a paisagem mais incrível que vi em França. Desde bosques onde só faltava aparecer o Obélix e o Astérix a correr atrás dos romanos, a terrenos agrícolas de cores incríveis e quase sempre numa calma absoluta que ajuda a pensar no que ando por aqui a fazer. E não há palavras para descrever a Catedral de Chartres. A voltar com mais tempo", revelou, não esquecendo os emigrantes portugueses. 

"Desde que atravessei Paris, o contacto com os emigrantes portugueses tem sido uma constante com apitadelas, grupos de força e paragens para dar um abraço. Estes são sem duvidas momentos muito especiais e que nunca esquecerei. O único problema físico desta viagem foi o começar a ficar assado nas pernas ao roçar no banco, mas já comecei a resolver com o milagroso Halibut. Agora vou descansar, jantar qualquer coisa e voltar a descansar que amanhã há mais e tenho de recuperar bem", concluiu.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)