Barra Cofina

Correio da Manhã

Eu Repórter CM
7

Casas de banho sem sanitas no terminal rodoviário de Évora

Viajei de Lisboa até à Amareleja num autocarro da rodoviária do Alentejo e fiz escala em Évora. Uma vez aí chegada, fui à casa de banho do terminal de autocarros.
21 de Outubro de 2005 às 00:00
Qual não foi o meu espanto quando vi que não havia sanitas, mas sim umas coisas em alumínio para pôr os pés e um buraco no meio, tipo casa de banho da tropa! Nem sequer havia papel nem sabonete líquido para lavar as mãos! Como é que uma senhora de idade faz? Antigamente, dizem os do campo, iam para trás do chaparro e limpavam-se com uma pedra ou uma folha de figueira. Mas nas casas de banho da rodoviária em Évora nem isso há! E isto numa cidade que é considerada Património Mundial! Maria Natália Garcia, Barrancos
RESPOSTA
Esta situação deriva de actos de vandalismo. A estação foi inaugurada em 1999 e, à data, as instalações sanitárias tinham sanitas. Foram destruídas, tal como as saboneteiras e os secadores de mãos. A autarquia colocou então os sanitários de que fala a leitora. A equipa de limpeza faz o que pode e a polícia passa frequentemente pela estação, mas nem assim se consegue evitar os actos de vandalismo. Só nos resta apelar, através do CM, a um comportamento cívico por parte de quem frequenta a estação. Eng.º Mauro Fernandes Responsável do Terminal Rodoviário de Évora
Ver comentários