Barra Cofina

Correio da Manhã

Eu Repórter CM
5

Combate à corrupção

Não sou fã do título da crónica, que até faz parte do nome da Comissão Eventual que na AR está a proceder a audições sobre esta questão.
20 de Fevereiro de 2010 às 00:30
As palavras e os números
As palavras e os números

Por ser redutor, transformando o problema numa luta que se decide pela via repressiva e pelo sistema judicial.

Porém, a corrupção, um crime sem vítima directa mas em que a vítima somos todos nós e a democracia, é desde logo um problema social e político que deve ser encarado nesses níveis.

Como problema social e cultural, deve ser tratado nos planos educativo e formativo dos cidadãos. Como problema político, deve ser encarado pelos actores políticos e pelos cidadãos, exigindo um financiamento transparente dos partidos políticos e com efectiva fiscalização.

Depois porque a forma mais eficaz de ter êxito é prevenir a corrupção. Como qualquer doença, aliás. Com legislação clara e simples e mecanismos legais que potenciem a transparência e a fiscalização social.

Acresce que não pode cair--se na solução fácil, a de fazer apenas ‘mais uma lei’. E, pior, sem identificar primeiro quais as incapacidades ou deficiências do actual quadro legal e da actual resposta do sistema judicial em termos de investigação, acusação e julgamento.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)