Barra Cofina

Correio da Manhã

Eu Repórter CM
9

Lembrar a História

Parece que é desta que avançam as obras de recuperação no Convento de Jesus. Esperamos para ver. Mas com medo de um final a meio-gás.
28 de Janeiro de 2007 às 00:00
Após dez anos de impasse e de crescente degradação, parece que é desta que vão avançar as obras de recuperação do Convento de Jesus, em Setúbal. Porém, por muitas que sejam as garantias, convém lembrar que nos últimos anos foram anunciados vários arranques. Sempre em falso.
Infelizmente, no que diz respeito à defesa do património, já estamos habituados a muitas promessas e pouca obra feita.
O abandono a que tem sido votado o Convento de Jesus é ainda mais grave quando se sabe que foi neste local (um expoente máximo do período manuelino) que teve lugar um dos momentos mais importantes da nossa História: a ratificação da assinatura do Tratado de Tordesilhas, que, em 1494, dividiu o Mundo entre Portugal e Espanha.
Anuncia-se, agora, que as Finanças desbloquearam 150 mil euros para a primeira fase da intervenção. No total, serão disponibilizados 600 mil euros. Parece muito, mas é coisa pouca, quando, há dois anos, o valor estimado para as obras foi de dois milhões de euros... Sabendo nós que as obras ficam sempre mais caras do que o inicialmente previsto, como se explica que o que custava dois milhões de euros em 2005 custe agora apenas 600 mil euros?
Corre-se o risco de as tão propaladas obras serem apenas de fachada. Ou seja: que depois do arranque, o final seja a meio-gás.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)