Barra Cofina

Correio da Manhã

Eu Repórter CM
3

PEREGRINOS SEM CASAS DE BANHO NO SANTUÁRIO DE FÁTIMA

Desloquei-me recentemente a Fátima e vi-me e desejei-me para encontrar uma casa de banho aberta no recinto do Santuário.
2 de Setembro de 2004 às 00:00
Procurei saber o que se passava e explicaram-me que a Reitoria decidiu encerrar as casas de banho devido às notícias sobre práticas homossexuais. Mas os milhares de peregrinos que ali se deslocam não têm culpa desta situação. Pelas práticas de uns, pagam os outros. Os responsáveis do Santuário deveriam providenciar outra solução. O que vai acontecer é que muita gente, ao deparar-se com as portas fechadas, e sem tempo para procurar casas de banho, se sintam tentadas a “aliviar-se” no local mais a jeito. António Alves (reformado, 68 anos, Lisboa)
RESPOSTA
Alguns sanitários e alguns parques estão de facto encerrados em determinados períodos do dia. A medida decorre de um estudo em curso, tendo em vista uma melhor gestão de recursos – lembro que a limpeza e a segurança destes espaços são encargos do Santuário – e que visa apurar o horário mais adequado. De qualquer forma, só encerram aqueles em que existe uma alternativa a curta distância. Por último, apesar deste estudo estar a decorrer há algum tempo, as notícias recentes vieram dar uma maior convicção, sobre a necessidade de gerir da melhor forma o funcionamento quer dos sanitários quer dos parques de estacionamento. António Valinhos (Centro de Comunicação Social do Santuário de Fátima)
Ver comentários