Barra Cofina

Correio da Manhã

Mais CM
2

Morreu a professora e linguista angolana Amélia Mingas

Amélia Mingas era uma das defensoras da convivência entre as línguas africanas e portuguesa.
Lusa 14 de Agosto de 2019 às 00:59
Amélia Mingas
Amélia Mingas FOTO: Direitos Reservados
A linguista angolana Amélia Mingas morreu na segunda-feira, em Luanda, com 73 anos, vítima de doença, disse à agência Lusa fonte próxima da família.

Amélia Arlete Vieira Dias Rodrigues Mingas era natural de Luanda e ocupou vários cargos de direção, entre os quais o de diretora executiva, entre 2006 e 2009, do IILP, organismo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), cuja sede funciona na cidade da Praia, capital de Cabo Verde.

Cabo Verde tem atualmente a presidência rotativa da CPLP.

Professora e linguista, Amélia Mingas preocupava-se com a problemática da convivência entre as línguas africanas e portuguesa, tendo publicado um trabalho intitulado "Interferência do Kimbundu no Português Falado em Luanda".

Em Angola, a professora coordenou o departamento de Língua Portuguesa do Instituto Superior de Ciências da Educação de Luanda (ISCED), dirigiu igualmente o Instituto Nacional de Línguas do Ministério da Cultura e foi decana da Faculdade de Letras da Universidade Agostinho Neto.
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)