Barra Cofina

Correio da Manhã

Mais Sobre
6
Saber mais sobre Austerlitz
00:30 | 16/03
O levíssimo torpor das tardes de março

O levíssimo torpor das tardes de março

Nada de tragédias: fiquei retido em casa durante a última semana, o que me impediu de assistir, de longe, aos trabalhos de recuperação do paredão de Moledo, uma das jóias do Minho e do mar português.
01:00 | 18/02
A pátria derramada

A pátria derramada

Na década de 1960, o êxodo fazia-se de comboio para a Europa: "Vi minha pátria derramada na Gare de Austerlitz. Eram cestos e cestos pelo chão. Pedaços do meu país", escreveu Manuel Alegre.
00:37 | 04/07

França: Raio pára comboios

A estação Paris-Austerlitz suspendeu ontem a circulação de comboios devido à destruição das instalações eléctricas por um raio, afectando cerca de 40 mil passageiros, muitos deles com destino a Espanha, anunciou a Sociedade Ferrovias Francesas.
00:00 | 29/03
A vida dos Comboios

A vida dos Comboios

Nos anos sessenta mal via despontar o leve torpor da Primavera, o Tio Alberto viajava. A sua condição de bibliófilo de S. Pedro dos Arcos, aventureiro, botânico, jurista e gastrónomo, deixava-lhe tempo para esses interlúdios na pacatez da sua existência conhecida.
00:00 | 21/10

Sud-Express: um comboio chamado liberdade

Corre o ano da graça de 1887. A 21 de Outubro, parte de Paris o novíssimo Sud-Express, comboio de luxo tendo por destino as duas capitais ibéricas, Madrid e Lisboa. A composição, que dispõe de duas carruagens-cama e restaurante, chega à Estação de Santa Apolónia 43 horas depois.
00:00 | 04/02

A conquista de Napoléon

Um dos cantores da minha vida, Mouloudji, canta uma das canções da minha vida, Les Temps des Cerises, e os acordes lentos calam-se... Há um silêncio. E há uma voz, solitária, feminina, que se ouve do fundo da sala: “Merci”.
00:00 | 27/12

A capital da juventude

A viagem durou 42 horas de carro, mas apesar do cansaço, os quatro polacos – Mariusz, Malgorzata, Anna e Iwona, todos de 25 anos – sorriem e explicam os que os trouxe de Austerlitz a Lisboa: “A necessidade de paz, conhecer pessoas de outros países, porque gostamos de conviver”. São apenas quatro dos 40 mil participantes no Encontro Europeu de Jovens/ Taizé, que este ano realiza-se em Lisboa.
Mais notícias